Novas regras para banda larga põem em risco as maratonas no Netflix


Netflix
Considerando um pacote de 10 GB de internet, uma maratona de um final de semana seria necessária para esgotar o plano(Netflix/Divulgação)
É hora de começar a se despedir de Frank Underwood, Alex Vause, Pablo Escobar, Annalise Keating e Saul Goodman. A era da internet ilimitada está chegando ao fim. As maiores prestadoras de serviço de internet brasileiras como NET, Vivo, GVT e Oi pretendem impor limites de dados e mesmo cortar o serviço de internet fixa, após o fim da franquia, da mesma forma que já fazem com a conexão de celulares.
Para o consumidor que navega em sites de notícias, redes sociais e vez ou outra assiste algum filme ou série em streaming o impacto não vai ser tão grande - em média, esses usuários utilizam 100 MB por dia. Quem vai sentir a mudança são os heavy users, que assistem a vídeos em alta qualidade todos os dias, por exemplo.
"No caso de um consumidor que assiste a um episódio de Netflix por dia, o plano, com a nova medida, vai acabar em menos de uma semana", adverte o diretor de produtos e inovação da Navita, Fábio Nunes, que tomou como base um pacote mensal de 10 GB.
Se o desejo do consumidor é fazer uma maratona de filmes e séries da Netflix no final de semana o plano se esgotaria em um único final de semana. Ou seja, assistir à primeira temporada completa de House Of Cards consumiria 39 GB de internet, sendo necessários três meses para assisti-la inteira.
Todo esse tempo porque, de acordo com Nunes, assistir a um filme em alta definição (HD, na sigla em inglês) na Netflix gasta 3 GB de internet em uma hora. "Dependendo do plano, isso pode corresponder a todo o limite de internet do cliente", explica.
Poucos usando muito - A nova medida propõe que caso o limite do plano seja atingido, a velocidade da internet deve ser reduzida. O diretor da empresa especializada em serviços de mobilidade e telecomunicação explica que a decisão é tomada porque há pouca gente usando muitos dados de internet. "Um levantamento recente mostrou que 4% dos usuários consomem 25% de toda a rede. É como um buffet livre, em que há gente que come pouco e gente que come muito."
Nunes acredita que hoje em dia ninguém está acostumado a controlar e ver de perto seus limites. "Por isso, vai ser obrigação a criação de ferramentas para avisar sobre o limite ao usuário, para que ele acompanhe o quanto está utilizando desse novo total disponibilizado", conta Nunes.
Para ele, as possibilidades de o projeto ser aprovado são grandes. "Lá fora, muitos países já adotam essa limitação. Acho que vai haver esse limite aqui no Brasil, mas acredito que em um médio prazo algum provedor lance um produto ilimitado", prevê. Ou seja, em um primeiro momento todas as empresas de telecomunicação devem seguir a medida imposta pela Anatel. "Porém, em um médio prazo, deverá surgir no Brasil planos de internet ilimitada", conta.

Mobilização - Nesta terça-feira, logo após o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende, dizer ser preciso não imaginar um serviço de internet ilimitado, muitos consumidores ficaram sem entender muito bem as medidas em discussão. Nas redes sociais, diversos compartilhamentos em tom de questionamento e dúvida. No Twitter, a #ForaInternetLimitada era a menção mais citada do dia.
Criada no início de abril com o objetivo de informar e defender os consumidores das "imposições danosas das operadoras e conivência da Anatel", a página no Facebook Movimento Internet sem Limites tinha nesta terça-feira 444.861. Em um dia, foram mais de 4.000 curtidas. Já a petição online do site Avaaz contava com 1.508.465 assinaturas no final da tarde desta terça-feira.
(Da redação)

Tchau, queridos


Painel, Folha de S. Paulo
O esperado adeus dos ministros peemedebistas Helder Barbalho e Eduardo Braga será um revés para as pretensões do governo de se salvar do impeachment no Senado. Pai de Helder, o senador Jader Barbalho, até aqui uma das últimas estacas de Dilma Rousseff no partido, assim explicou o recente desembarque a um interlocutor: “caititu fora de bando vira comida de onça”. Muito próximo de chegar ao poder, o PMDB subverte a aritmética. Mostra que, na divisão, ele soma.

Adolescente é assassinado quando chegava em casa em Colombo


0
0
0
Da Redação


Um adolescente de 16 anos foi morto a tiros na Rua das Margaridas, no bairro Monte Castelo, em Colombo, na região metropolitana de Curitiba, no início da madrugada desta quarta-feira (19). Ele estava em uma motocicleta e chegava na residência em que morava quando foi vítima de uma tocaia.
O adolescente levou cinco tiros e não resistiu aos ferimentos. A Polícia Civil (PC) de Colombo investiga a motivação do crime, com a suspeita de que a vítima tinha envolvimento com a criminalidade. No local, segundo a PC, a namorada do rapaz não soube passar informações concretas, alegando que tinha com ele um relacionamento recente.
O corpo foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML).

Perícias analisam R$ 292 milhões em doações eleitorais da Andrade Gutierrez


0
0
0

estadao_conteudo_cor-1-3-200x43-4-5


Dois laudos periciais da Polícia Federal, um de engenharia e outro contábil, listaram R$ 292,5 milhões em doações eleitorais e partidárias do grupo entre 2008 e 2014, pagamentos suspeitos feitos a empresas usadas para lavar dinheiro de operadores de propinas e repasses para offshores (empresas com sede fora do país) e os potenciais danos financeiros causados ao cofres públicos. Os documentos foram anexados nesta semana aos autos da Operação Lava Jato que apuram o envolvimento da empreiteira Andrade Gutierrez no esquema de cartel e corrupção na Petrobras.
“Tendo em vista que as investigações realizadas no âmbito da Operação Lava Jato indicam que foram utilizadas empresas de prestação de serviços (consultoria, advocacia, engenharia e correlatas) para viabilizar pagamentos indevidos a funcionários da Petrobras e a agentes públicos, e considerando que pagamentos realizados pela Construtora Andrade Gutierrez a empresas investigadas por lavagem de capitais ou a partidos políticos e a agentes públicos foram contabilizados, primordialmente, em contas contáveis de ‘doações’, ‘aluguéis’ e ‘prestação de serviços por pessoa jurídica’, ‘procedeu-se à compilação dos principais pagamentos realizados através dessas rubricas contábeis”, informa o laudo 10/2016, da PF, em Curitiba.
Executivos da Andrade Gutierrez fecharam acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal em que decidiram contar o envolvimento no cartel, pagamentos de propina e ocultação de valores por meio de doações eleitorais e partidárias oficiais. Além de Petrobras, se comprometerem a fornecer detalhes sobre obras do setor energético, como a Usina Hidrelétrica de Belo Monte, e construções de estádios para a Copa.
Em apenas quatro maiores obras da estatal petrolífera em que participou, a PF apontou um prejuízo de pelo menos R$ 1,9 bilhão para os cofres públicos, por conta da majoração de preços e do cartel montado pelo chamado “Clube dos 16” – maiores empreiteiras do País. Os dados são do laudo 158/2016.
No quesito doações, o PT é o partido que aparece com maior volume de recursos recebidos, R$ 91 milhões – equivalente a 31%. O PSDB é o segundo com R$ 72 milhões (24%), seguido do PMDB, com R$ 63 milhões (21%). São dados lançados oficialmente pela Andrade Gutierrez.
O laudo 10/2016, que lista as doações, é de 25 de fevereiro e foi elaborado pelos peritos criminais federais Daniel Paiva Scarparo, Audrey Jones de Souza e Ivan Roberto Ferreira Pinto. Ele toma como base os dados oficiais lançados na contabilidade da empresa, a partir da quebra do sigilo feita pela Receita Federal.
Dos R$ 292,5 milhões doados pela Andrade Gutierrez, R$ 104 milhões circularam pela conta contábil “Overhead”, que é considerada um caminho para pagamentos de valores para empresas usadas para lavagem de dinheiro da Petrobras.
Offshores
O laudo lista ainda pagamentos para empresas fora do país, as offshores. Constituídas legalmente, o interesse da Lava Jato são nas que possam ter sido usadas para ocultar propina e outros pagamentos irregulares.
Cartel
O laudo foi produzido com base em quebras de sigilos bancários de empresas que são investigadas “no âmbito da Operação Lava Jato pela prática de lavagem de capitais e/ou pelo recebimento dissimulado de recursos”. Foram identificadas movimentações de 12 delas.
A Legend Engenheiros Associados, do operador de propinas Adir Assad, recebeu R$ 125 milhões, em 174 operações entre 2006 e 2012. Outra empresa ligada a ele, a S.P Terraplanagem Ltda recebeu outros R4 7,3 milhões.
Outro operador de propinas que recebeu valores da Andrade Gutierrez por empresas usadas para lavagem de dinheiro foi Fernando Antonio Soares, o Fernando Baiano – que virou delator da Lava Jato. A Technis Planejamento e Gestão em Negócios Ltda movimentou R$ 2,96 milhões em cinco transações entre 2007 e 2008
A empresa de outro operador de propinas que virou delator aparece na lista, a Riomarine Oil e Gás Engenharia e Empreendimentos Ltda, de Mário Góes, que recebeu R$ 4,96 milhões, em 30 operações entre 2007 e 2009.
Com a palavra, a Andrade Gutierrez
A empreiteira Andrade Gutierrez, procurada por meio de sua assessoria de imprensa, informou que não iria comentar o caso.
Os principais executivos da empresa estão colaborando com as investigações, após delação premiada ser homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A empresa negocia também acordo de leniência com o Ministério Público Federal.

Assaltantes ‘reclamam’ de crise e deixam recado na parede: “Não tem nada para roubar”


2
0
0
Da Redação com Portal G1


crise 1
(Foto: Reprodução TV Paraíba)
Um fato inusitado aconteceu em uma escola estadual no bairro das Malvinas, em Campina Grande, na Paraíba, na madrugada desta terça-feira (19). Bandidos que invadiram o local para roubar reclamaram da crise que, segundo eles, chegou até na instituição de ensino.
Os bandidos quebraram armários, procuraram por algo para roubar, mas não acharam nada de valor. Revoltados, antes de ir embora deixaram um recado em uma parede da instituição.  “A crise bateu até nas escolas. Não tem nada pra roubar!!!”, escreveram.
Para não sair de mão abanando, os marginais fugiram com um espelho e o tone de uma impressora. 

Aliados de Temer preparam ofensiva nas redes sociais contra "impeachment é golpe"


Imagens dizem que "crime de responsabilidade é golpe contra o Brasil"

RICARDO DELLA COLETTA
19/04/2016 - 20h12 - Atualizado 19/04/2016 20h12
Banners preparados para um aplicativo de mensagens e redes sociais (Foto: Reprodução)
Aliados do vice-presidente da República, Michel Temer, preparam uma ofensiva nas redes sociais contra o discurso da presidenteDilma Rousseff de que o processo de impeachment seria um "golpe". As imagens montadas trazem dizeres como "crime de responsabilidade sem impeachment é golpe contra o Brasil" e "não vai ter golpe, vai ter justiça!". Há outra imagem com uma expressão mais irônica: “Pedalou, dançou, querida!”

A ajuda involuntária a Lula



Lula quer inviabilizar os primeiros 180 dias de Michel Temer na Presidência, porque, desse modo, acha que pode obtera convocação de eleições gerais.
O plano de Lula, infelizmente, conta com a colaboração involuntária de economistas brilhantes, que se recusam a ir para o governo.
Se os bons não querem colaborar, fica tudo mais difícil -- e mais fácil para Lula.

Mulher de 48 anos é executada quando saía para trabalhar em São José dos Pinhais


36
0
0
Por Luiz Henrique de Oliveira e Djalma Malaquias

gisele 1
Mulher foi morta quando saia para trabalhar (Foto: Reprodução Facebook)

Uma mulher de 48 anos foi assassinada no momento em que saía para trabalhar na Rua das Andorinhas, no Conjunto Apolo, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, por volta das 7h30 desta quarta-feira (20). Gisele Rosilene Molinari, de 48 anos, foi morta com três tiros pelo ocupante de uma motocicleta.
crime fora
Mulher foi morta na residência em que morava com o filho (Foto: Djalma Malaquias – Banda B)
Uma testemunha do crime contou à Banda B que percebeu a movimentação estranha na residência da vizinha. “Eu vi que o rapaz veio devagarzinho de motocicleta e tinha escrito na roupa dele a palavra segurança. Depois, ouvi o barulho e fiquei sabendo que tinha acontecido essa tragédia”, lamentou.
Segundo a mulher, Gisele era tranquila e querida na vizinhança. “Ela morava com o filho, porque estava separada. Sempre foi muito querida por todo mundo”, afirmou a vizinha, que relatou que a vítima trabalhava na área administrativa de uma multinacional.
A Polícia Militar (PM) esteve no local para apurar as informações do caso. Ninguém quis falar até o momento sobre uma possível motivação do crime. O filho de Gisele dormia no momento do assassinato.
Assista vídeo que mostra o momento do crime:




Descrição: No início da gravação, feita em uma residência em frente a da vítima, é possível observar uma motocicleta no canto esquerdo superior do vídeo. Aos 36 segundos de vídeo, no canto direito superior, a vítima aparece e abre o portão para sair do local, às 07:07:31.
Com um minuto e 16 segundos de vídeo, o motociclista vai em direção à residência, para cometer o crime. Com um minuto e 22 segundos, os tiros são disparados e duas pessoas que estavam na rua correm assustadas com o barulho. O que chama a atenção é que, após ter cometido o crime, o suspeito permanece na residência por pelo mais de um minuto e não leva nenhum pertence da vítima.