Os exemplos do Paraná


Gov. Beto Richa, retratos
Beto Richa
Nesta sexta, inauguramos, com muita satisfação, a fábrica da Ambev em Ponta Grossa, cuja pedra fundamental foi lançada em agosto de 2013, com o estímulo do “Paraná Competitivo”, programa do nosso governo.
Agora, não só esta fábrica, que produzirá 4,6 milhões de hectolitros de cerveja e refrigerantes (4% da produção nacional) e atenderá a 80% das demandas da empresa no Estado, está edificada, com mais de 400 mil metros quadrados de área construída, mas igualmente está consolidada nossa certeza de que empreendedores continuam a confiar no Paraná, apesar de todos os desacertos da área econômica do governo federal e da profunda crise que estamos vivendo.
Esta nova indústria nos Campos Gerais, na companhia de vários outros empreendimentos na mesma região, que somam mais de R$ 2,3 bilhões em investimentos, demandou R$ 848 milhões investidos e oferecerá empregos diretos para 500 brasileiros. Isto sem contar o significativo investimento de R$ 8,8 bilhões, o maior do setor privado na história do Paraná, sob responsabilidade da Klabin, em Ortigueira.

Desde 2011, estabelecemos em nosso Estado um governo baseado no diálogo e no respeito jurídico, abandonado a retórica vazia e as ameaças ao capital e aos investidores. A resposta à nossa conduta se manifesta a cada dia no Paraná.
Além disso, fizemos, com muita responsabilidade, um grande ajuste para equilibrar as finanças e recuperar a capacidade de investimento estadual.
Hoje, o Paraná tem a melhor situação fiscal e financeira do Brasil. A própria mídia nacional, que ressalva a situação menos grave de alguns entes federados, tem destacado a penúria dos Estados e Municípios, agravada desde sempre pela má distribuição nacional dos impostos e tributos recolhidos pela União.
Conseguimos, por isto, manter absolutamente em dia o pagamento e reajustes do funcionalismo público estadual e consolidar a confiança conquistada com empreendedores privados. Além do comprometimento com a responsabilidade fiscal, mantivemos a aplicação correta em setores fundamentais como a saúde, educação, segurança pública e infraestrutura, entre outros.
Só para termos exemplos, neste ano investiremos R$ 7,8 bilhões em educação até o ensino médio, sem contar os aportes em ciência e tecnologia e no ensino superior. No setor de saúde, estimamos aplicar R$ 4,5 bilhões. Em resumo, sem nos esquecer dos outros setores, priorizamos educação, saúde, segurança, infraestrutura, a manutenção e a qualificação dos programas sociais, com redução da desigualdade e promoção de oportunidades.
Paralelamente, o Paraná, que desde o início de nosso governo conseguiu investimentos da ordem de R$ 40 bilhões, irrigando a economia em todas as regiões do Estado, gerando empregos e distribuindo renda, não merece desrespeitos. Desde 2011, passamos à quarta economia do país, o que é um feito histórico perseguido há meio século, e considerado pela consultoria britânica Economist Intelligence Unit (EIU), divisão de análise do grupo The Economist, o segundo Estado mais competitivo do país, com exemplos da convivência saudável entre as iniciativas pública e privada, com um custeio equilibrado. Além disso, o Paraná, de acordo com análise do Jornal Financial Times FDI Intelligence, tem a melhor estratégia para atração de investimentos da América do Sul.
Este Paraná, que continua investindo e promovendo desenvolvimento socioeconômico, em meio à uma grave crise nacional, reivindica o fim da discriminação sistemática imposta aos paranaenses por parte do governo federal, para que tenhamos participação maior nos projetos e investimentos federais, e possamos ainda mais oferecer a todo país exemplos de respeito a todos os cidadãos.
Beto Richa, governador do Paraná.

Dilma sanciona regras mais rígidas ao Código de Trânsito; uso do celular passa a ser infração gravíssima


 

Da Redação com Agência Brasil

A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta sexta-feira (5) uma série de alterações que endurecem as normas do Código de Trânsito Brasileiro. Entre as novidades, está a pena mais dura para os motoristas que costumam usar telefone celular ao volante. Segurar ou manusear o aparelho enquanto dirige passa a ser infração gravíssima. Além destas medidas, as multas sofrerão um reajuste de aproximadamente 50%.
Curitiba atinge marca de um milhão de motoristas habilitadosFoto: Juliano Pedrozo/Detran
Foto: AEN
Também foi criada uma infração específica para aqueles que se recusarem a se submeter a teste, exame clínico, perícia ou outro procedimento que permita certificar a influência de álcool ou outra substância. A multa, nesses casos, será de R$ 1.915,40 e, em caso de reincidência no período de 12 meses, a penalidade será aplicada em dobro.
O texto prevê que a responsabilidade pela instalação da sinalização nas vias internas pertencentes aos condomínios constituídos por unidades autônomas e nas vias e áreas de estacionamento de estabelecimentos privados de uso coletivo é do proprietário. O descumprimento será punido com multa de R$ 81,35 a R$ 488,10, além das possíveis ações cíveis e penais.
Outro ponto da lei sancionada hoje determina que os veículos licenciados no exterior não poderão sair do território nacional sem o prévio pagamento das infrações de trânsito cometidas e o ressarcimento de danos que tiverem causado ao patrimônio público ou de particulares, independentemente da fase do processo administrativo ou judicial envolvendo a questão.
A nova redação prevê que o uso de qualquer veículo para, deliberadamente, interromper, restringir ou perturbar a circulação na via sem autorização do órgão ou entidade de trânsito com circunscrição será considerada infração gravíssima. Além da multa, a punição inclui a remoção do veículo e a suspensão do direito de dirigir por 12 meses.
O transporte pirata de passageiros também está sujeito a penalidades mais rígidas. A infração agora é considerada gravíssima, com multa R$1.149,24 e suspensão do direito de dirigir, além do recolhimento da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do motorista flagrado.
Saiba os novos valores de multas:
Infração leve: de R$ 53,20 para R$ 88,38 (aumento de 66%)
Infração média: De R$ 85,13 para R$ 130,16 (aumento de 52%)
Infração grave: De R$ 127,69 para R$ 195,23 (aumento de 52%)
Infração gravíssima: De R$ 191,54 para R$ 293,47 (aumento de 53%)

Um dia antes de caso Carli Filho completar 7 anos, Yared volta a local de acidente e pede justiça


Da Redação
christiane-yared
(Foto: Reprodução)

Um dia antes do caso Carli Filho completar sete anos, a deputada federal Christiane Yared fez um vídeo no local do acidente que vitimou o filho dela, Gilmar Rafael, de 26 anos, e o jovem Carlos Murilo de Almeida, de 20. Até agora, o ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho, acusado de causar a ocorrência, não foi julgado.
“São sete anos de dor, lágrimas e de luto. Eu sei que o meu filho não morreu em vão [….]. Este lugar está marcado na história da cidade e do Paraná. Eu não procuro por vingança, procuro por justiça. Mas eu sei que quando ela é tardia, se torna injustiça”, disse Yared no vídeo publicado em página do Facebook nesta sexta-feira (6).
As imagens mostram o cruzamento das ruas Ivo Zanlorenzi e Paulo Gorski, no bairro Mossunguê, onde aconteceu o acidente que matou os dois jovens. “O que nós temos para lutar por nós é a justiça. Essa luta não é só minha, é de todos nós”, completou ela no vídeo.
Assista ao vídeo abaixo:



Julgamento suspenso
No dia 13 de janeiro deste ano, uma liminar do Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu o júri popular de Carli Filho. O julgamento, que estava previsto para acontecer nos dias 21 e 22 do mesmo mês, não tem data para acontecer.
A decisão foi proferida pelo ministro do Superior Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, em substituição ao relator do processo, ministro Gilmar Mendes, que estava de férias. No recurso, a defesa do ex-parlamentar alega nulidade de provas e cerceamento de defesa.
O caso
O acidente vitimou Gilmar Rafael Souza Yared e Carlos Murilo de Almeida no dia 7 de maio de 2009.  Na ocasião, a acusação informou que o ex-deputado dirigia embriagado e tinha 130 pontos na carteira de habilitação por infrações de trânsito.




“Eu não vou para debaixo do tapete porque sou a prova da injustiça”, diz Dilma no nordeste


estadao_conteudo_cor-1-2-1200x255-1-200x43-4
Poucas horas depois de a Comissão Especial do Impeachment no Senado aprovar relatório favorável ao prosseguimento do processo, a presidente Dilma Rousseff afirmou que “estão condenando alguém que é inocente e que não há nada mais grave do que isso”. “Eu sou a prova da injustiça”, lamentou a petista, durante visita a obras do Projeto de Integração do São Francisco (PISF), na zona rural de Cabrobó, em Pernambuco.
1017887-06052016minha%20casa%20minha%20vida_dsc3220-
Foto: Agência Brasil
“Eles sempre quiseram que eu renunciasse. Sabem por quê? Sabem o tapete? Você levanta ele e esconde a sujeira debaixo. Se eu renunciar, eu vou debaixo do tapete. Mas eu não vou, vou ficar aqui brigando”, disse. Nesta sexta-feira, 6, a comissão aprovou parecer do senador Antonio Anastasia (PMDB-MG) pela admissibilidade do processo de impeachment, por 15 votos a 5. A admissão do processo vai agora ao plenário do Senado. A expectativa é de que a peça seja lida na segunda-feira, com a votação pelos senadores na quarta-feira, 11 – são necessários 41 votos para a aprovação.
Em mais uma tentativa de trazer a opinião pública para o seu lado, a presidente aproveitou discurso em uma pequena cidade do interior de Pernambuco para reafirmar que o impeachment é golpe e ressaltar seus programas sociais. “Esse golpe tem um motivo. E o motivo é que o Brasil nesses 13 anos mudou: as pessoas ganharam autoestima e dignidade”, falou, dando ênfase ao Bolsa Família, às universidades federais, à ascensão da classe média.
O Nordeste foi o maior eleitorado de Dilma que disse que “nunca esquecerá disso” e que ficará muito triste, com o coração partido, e será uma grande injustiça se ela não estiver presente quando a obra estiver pronta, como presidente. “Nós (ela e Lula) lutamos para fazer essa obra. Nós fizemos o projeto”, declarou. No começo de seu discurso, inclusive, agradeceu nominalmente a todos os deputados do Nordeste que votaram contra o processo de impedimento.
“Ninguém votou em mim por causa dos meus belos olhos, apesar de serem muito belos. Porque o povo votou em mim? Porque eu tinha um programa. O voto que vocês me deram foi para garantir as políticas sociais”, falou. E emendou uma crítica indireta ao vice-presidente Michel Temer: “Resolvem que essa crise tem que ser enfrentada reduzindo programas sociais. Como é que alguém vai votar em quem vai reduzir direitos, programas sociais?”.
Dilma reafirmou ainda em sua fala que não recebeu dinheiro de corrupção, que não tem conta no exterior. “Não há legitimidade no impeachment; esse é um golpe para compromissos sociais”, disse. “Um governo deve ser julgado sempre pelas escolhas que fez. E tenho imenso orgulho das escolhas que fiz”, falou, citando que uma delas é o projeto de integração da bacia de São Francisco.
Esse discurso da presidente foi em mais um evento para reforçar a agenda positiva perto da votação do processo de impeachment no plenário do Senado, cuja aprovação pode afastá-la da presidência por 180 dias. Mais cedo, pela manhã, Dilma, no Palácio do Planalto, participou de cerimônia de contratação de 25 mil unidades do programa Minha Casa, Minha Vida. Em seu discurso, a presidente acusou Temer de ser “cúmplice” do agora presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha e havia mencionado que não vai renunciar ao mandato.

Assalto a joalheria no Shopping Cidade termina em tiroteio e acidente próximo à Linha Verde


Por Luiz Henrique de Oliveira e Flávia Barros
(Fotos: Colaboração Banda B)

Um assalto a uma joalheira no Shopping Cidade, no bairro Hauer, em Curitiba, terminou em confronto entre bandidos e policiais militares no Parolin, por volta das 12h30 desta sexta-feira (6). Três suspeitos ficaram feridos e foram socorridos ao hospital, depois de baterem o carro contra um árvore. Os produtos levados no crime foram recuperados.
acidente
Assaltantes perderam o controle do carro e bateram contra uma árvore (Foto: Colaboração)
Os bandidos fugiram em uma Palio Wekeend preta e colidiram contra uma árvore na Rua Aluízio Finzetto, após o condutor ter sido baleado em confronto, conforme explicou à Banda B o tenente Hey.
“Uma viatura passava pelo local e os policiais viram o carro em fuga, iniciando uma perseguição. Em determinado ponto, o condutor passou a atirar contra os policiais que revidaram e acertaram o condutor, que perdeu o controle do carro e bateu contra a árvore”, explicou.
Após a batida, os policiais prenderam três envolvidos no crime. “O condutor baleado e outros dois feridos devido ao acidente foram detidos. Um quarto elemento saiu andando e até agora não foi localizado”, descreveu o tenente.
Os suspeitos feridos foram levados em estado grave a hospitais de Curitiba. Foram recuperados pelos policiais 55 relógios, um par aliança e  um pulseira,de ouro.
Banda B entrou em contato com a assessoria de imprensa do shopping e aguarda um retorno. A reportagem também conversou com uma atendente da joalheria assaltada, que não quis falar sobre o caso.

COMISSÃO APROVA IMPEACHMENT 15 A 5



A comissão especial do impeachment no Senado acaba de aprovar o relatório de Antonio Anastasia por 15 votos a 5.
Agora, caberá ao plenário aprovar o afastamento da petista na próxima quarta-feira 11.

Professor admite troca de imagens íntimas com alunas, mas nega relação sexual


Catve

parana-professor-dentro
Foto enviada às aulas. Imagem: Catve
Nove dias após ser denunciado, continuam as investigações do caso que envolve um professor de uma escola pública de Nova Santa Rosa acusado de trocar fotos íntimas com as alunas. A Polícia Civil quer saber se ele mantinha relações sexuais com as adolescentes.
Conforme o delegado da Polícia Civil de Marechal Cândido Rondon, Pedro Lucena, nos últimos dias mais uma aluna prestou depoimento à polícia, porém, ela recusou fazer o exame para confirmar se houve conjunção carnal.
O fato teve grande repercussão na cidade e na região, devido a isso, para preservar as alunas e famílias envolvidas, o caso segue em sigilo. Lucena afirmou que o professor já prestou depoimento e, assim como as alunas, admitiu a troca de fotos em que aparecem nus, porém, negou que houve relações sexuais. Ele foi afastado da escola.
Ainda segundo o delegado, em outras oportunidades o professor já havia chamado atenção devido a conduta profissional. Ainda no dia 27 de abril, duas alunas realizaram exames no IML (Instituto Médico-Legal) para confirmar se houve conjunção carnal.