"O intuito foi o de tentar beneficiar a própria esposa"



Ao suspender a posse de Carolina de Oliveira, mulher de Fernando Pimentel, o juiz Michel Curi e Silva escreveu:
"Por fim , deve ficar claro que o que me deixou plenamente convencido a, neste momento, deferir o pedido liminar foi a sucessão de e soma dos inquestionáveis fatos e acontecimentos que precederam a nomeação hostilizada pelos autores, a saber: o fato de tratar-se da mais próxima e íntima parente do Senhor Governador (sua esposa), somado aos fatos de que ela se encontra na situação de 'alvo' em conhecida investigação da Polícia Federal e de que as diversas ações populares asseveram que o intuito da nomeação foi o de tentar beneficiar a própria esposa, valendo-se de um mandato popular."
Fernando Pimentel, ao nomear Carolina de Oliveira para o governo, quis obstruir a Justiça, assim como Dilma Rousseff fez ao nomear Lula ministro da Casa Civil.
Deu errado em Brasília; deu errado em Belo Horizonte.
Há juízes no Brasil.

Lewandowski: defesa de Dilma terá 20 dias corridos para apresentar defesa



estadao_conteudo_cor-1-2-1200x255-1-200x43-4-5-1-1-1-1

lewandovski
Foto: Agência Senado
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, assinou nesta quinta-feira mandado de citação para a presidente da República afastada, Dilma Rousseff, apresentar sua defesa no processo de julgamento do impeachment da petista no Senado. Dilma deve ser notificada ainda nesta quinta, 12, e terá 20 dias corridos para apresentar sua defesa.
Nesta quinta-feira, Lewandowski também assinou ato em que assume a presidência do Senado para julgar atos relacionados ao impeachment. O presidente do Supremo terá uma sala no Senado. O primeiro vice-presidente da Casa, senador Jorge Viana (PT-AC), cedeu a sala da primeira vice-presidência para que o ministro do STF possa despachar e fazer reuniões.
Fases
Lewandowski disse que o julgamento do impeachment de Dilma no Senado terá, a partir desta quinta-feira, duas fases. A primeira será destinada à produção de provas, diligências, debates entre acusação e defesa. A segunda será a do “julgamento propriamente dito”. Segundo ele, Dilma pode vir depor pessoalmente ou mandar um representante em qualquer uma dessas fases.
O presidente do Supremo reafirmou ainda que o julgamento do impeachment de Dilma no Senado deve se ater aos motivos apresentados na denúncia acatados pelo então presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afastado do cargo desde 5 de maio. Lewandowski disse ainda que seguirá os trâmites do processo de impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello, em 1992.

Terminal do Roça Grande recebe obras de revitalização para melhorar a operação de linhas de ônibus


WEBMASTER 12 DE MAIO DE 2016

Os serviços de reforma visam garantir um serviço de qualidade para as pessoas que precisam do serviço de transporte público

A reforma visa melhorar a operação das linhas metropolitanas que circulam próximas a Rodovia da Uva.
A reforma visa melhorar a operação das linhas metropolitanas que circulam próximas a Rodovia da Uva.
Como o terminal ainda está em obras é necessário à compreensão dos passageiros.
Como o terminal ainda está em obras é necessário à compreensão dos passageiros.
O Terminal Metropolitano do Roça Grande, localizado às margens da Rodovia da Uva, conta atualmente com dez linhas de ônibus.
O Terminal Metropolitano do Roça Grande, localizado às margens da Rodovia da Uva, conta atualmente com dez linhas de ônibus.
Quem usa o terminal diariamente já percebeu que o local está recebendo obras de revitalização. Serviços de adequação dos sanitários, como: o conserto dos azulejos, troca de vasos, troca de portas e restauração da parte elétrica, lavagem do telhado, melhoria na iluminação e pintura fazem parte do pacote de obras. A ação visa melhorar a operação das linhas metropolitanas que circulam próximas a Rodovia da Uva, no bairro Roça Grande.
“Haverá alguns ajustes nas linhas de ônibus, e as obras visam o aproveitamento com maior atendimento nos horários de picos, ajustes para cumprimento de horários e criação de novas linhas e atendimentos”, resaltou a Prefeita Beti Pavin.
O Terminal Metropolitano do Roça Grande, localizado às margens da Rodovia da Uva, conta atualmente com dez linhas de ônibus, durante 20 horas diariamente (das 5 horas da manhã até 1 hora da madrugada). E para deixar o local mais confortável e seguro, a prefeitura de Colombo por meio da secretaria de Obras e Viação vem desenvolvendo um projeto de revitalização do terminal.
Construído pelo Governo do Estado por meio do Programa de Integração do Transporte (PIT), da Secretaria do Desenvolvimento Urbano (Sedu) e da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), no valor de R$ 1,6 milhão, o terminal conta com dez plataformas de embarque e desembarque e quatro unidades comerciais, numa área coberta de 1.506 m².
Como o terminal ainda está em obras é necessário à compreensão dos passageiros. “A revitalização foi planejada para atender os passageiros que diariamente precisam desse serviço. Queremos garantir uma estrutura adequada e um serviço de qualidade. Porém, é necessária a colaboração de todos”, afirma o secretário de Obras e Viação, Agnaldo Santos.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Marcio Fausto/ PMC

Colombo participa da 14º Semana Nacional de Museus


WEBMASTER 12 DE MAIO DE 2016

As atividades são voltadas a toda população que poderá conhecer mais sobre as diferentes culturas presentes no município

CARTAZ MUSEU PRONTOA Prefeitura de Colombo por meio do Departamento de Cultura vai promover atividades culturais no dia 20, às 14h, no Museu Municipal Cristóforo Colombo. A ação é em comemoração a 14º Semana Nacional de Museus, lembrado em 18 de maio. Será um dia de encontros sobre a diversidade de culturas existentes do município.
A iniciativa tem como objetivo oferecer uma oportunidade para a população de conhecer mais sobre as diversidades culturais presentes no município. O evento contará com apresentações de painéis de grupos culturais que relatarão os trabalhos, objetivos e propostas no âmbito da cultura local.
A diretora do Departamento de Cultura, Rita Straioto, ressalta sobre a importância do evento para o município. “Nós possuímos várias identidades culturais e essa é uma oportunidade do museu dar voz a todos. Esse evento permite que todos tenham mais informações sobre as diferentes culturas presentes em nosso município”, disse.
Em sua 14º edição, a Semana Nacional dos Museus, que acontece de 16 a 22 de maio. A temporada cultural promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), conta com a participação de 1.236 instituições, responsáveis por 3.700 atividades especiais, como visitas mediadas, palestras, oficinas, exibição de filmes entre outros. O evento acontece em todo território nacional e tem como objetivo lembrar o Dia Internacional de Museus, celebrado no dia 18 de maio.

Serviço
Museu Municipal Cristóforo Colombo
Data: 20/05/2016
Horário: Das 13h30min às 17h
Local: Rua Marechal Floriano Peixoto, 8771 – Centro.
Informações: 41 3656-6612 / 41 3656-6423
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

II Seminário de Medidas Socioeducativas acontece no mês de junho


WEBMASTER 12 DE MAIO DE 2016

O evento abordará temas sobre Justiça Restaurativa e Direitos Humanos

Devido à necessidade do diálogo entre a rede de atendimento aos adolescentes, em cumprimento as medidas socioeducativas – será promovido o II Seminário de Medidas Socioeducativas: Justiça Restaurativa e Direitos Humanos – realizado no dia 10 de junho, das 8h às 17h, no auditório do Regional Maracanã.
As inscrições podem ser feitas através do site: www.colombo.pr.gov.br e as vagas são limitadas. O encontro será promovido pela Prefeitura de Colombo, por meio da Secretaria de Assistência Social em conjunto com o Programa Especializado em Medidas Socioeducativas (PEMSE), e em parceria com o Núcleo de Direitos Humanos da PUCPR.
Segundo a Coordenadora do Programa Especializado em Medidas Socioeducativas (PEMSE), Sineide Ribeiro Lurckevicz, o encontro busca aprofundar a temática do seminário de 2015. “Além de novos conhecimentos, o primeiro evento nos trouxe questionamentos e inquietações que serão discutidos e rediscutidos nesse seminário”, disse.
Entre os temas que serão abordados durante o encontro, estão: Justiça Restaurativa; Práticas de Justiça Restaurativa; Justiça Restaurativa na Prática Pedagógica Escolar; Sistema de Garantia de Direitos – SGD; Equipes multidisciplinares e Redução da Maioridade Penal. Vale lembrar que seráconferido certificado aos inscritos que obtiverem participação integral no evento.
As inscrições podem ser feitas através do link:
portal.colombo.pr.gov.br/ii-seminario-de-medidas-socioeducativas
Serviço:
Evento: II Seminário sobre as Medidas Socioeducativas: Justiça Restaurativa e Direitos Humanos: Desafios e possibilidades da aplicação da justiça restaurativa pelas equipes multidisciplinares.
Data: 10 de junho de 2016
Horário: das 8h às 17h
Local: Regional Maracanã
Endereço: Dorval Ceccon, 664, 2º andar – Auditório principal
INSCRIÇÕES PELO SITE: www.colombo.pr.gov.br (vagas limitadas)
Informações: PEMSE Colombo 41 3562-6206
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

Avenida Prefeito João Batista Stocco recebe obras de contenção de enchentes em Colombo


WEBMASTER 12 DE MAIO DE 2016

Uma nova rede de drenagem está sendo implantada para minimizar os pontos de alagamento da via


Os serviços se concentram na Avenida Prefeito João Batista Stocco esquina com Avenida das Tôrres, na região do São Gabriel.
Os serviços se concentram na Avenida Prefeito João Batista Stocco esquina com Avenida das Tôrres, na região do São Gabriel.
Ao todo, 30 novas manilhas com 80 cm de diâmetro vão substituir as antigas.
Ao todo, 30 novas manilhas com 80 cm de diâmetro vão substituir as antigas.
Além da nova rede de drenagem, o sentido do canal também irá mudar.
Além da nova rede de drenagem, o sentido do canal também irá mudar.
A Prefeitura de Colombo, por meio das secretarias de Obras e Viação e Meio ambiente, vem realizando obras de contenção de enchentes. A ação tem como objetivo minimizar os problemas dos bairros mais afetados -, a fim de diminuir os pontos de alagamento. Atualmente, os serviços desta ordem se concentram na Avenida Prefeito João Batista Stocco esquina com Avenida das Tôrres, na região do São Gabriel. Entre os trabalhos previstos no local estão à substituição de 30 manilhas.
“Está é uma região que constantemente sofre com problemas de alagamentos. Por isso, vamos substituir as manilhas por outras de diâmetro maior para diminuir ou eliminar os pontos de alagamento naquela via”, ressaltou o diretor de Obras de Combate às Enchentes, João Nowacki.
Ao todo, 30 novas manilhas com 80 cm de diâmetro vão substituir as antigas e seis caixas de captação de água, possibilitando uma vazão maior de água da chuva. Além da nova rede de drenagem, o sentido do canal também irá mudar. “Vai ser mudado o sentido porque antes esse canal era insuficiente. O objetivo é escoar a água que fica concentrada na via, assim evita novos alagamentos”, afirma Nowacki.
Este novo sistema de captação de água, que era um pedido antigo da população, é uma obra complexa conforme explica o diretor de Obras de Combate às Enchentes, João Nowacki. “É um local difícil para trabalhar porque além de ser uma via muito movimentada, possui cerca de três metros de profundidade e isso atrapalha no momento de colocação das manilhas”, disse Nowacki. A previsão é que os serviços sejam concluídos nos próximos 10 dias.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Marcio Fausto/PMC

Reunião Setorial de Música acontece em Colombo


WEBMASTER 12 DE MAIO DE 2016

O objetivo do encontro é discutir metas e ações pertinentes à música

EVENTO Musica CulturaCantores, compositores, músicos, professores de música e a sociedade em geral estão convidados a participar da Reunião Setorial de Música, que acontece no dia de 16, às 8h30, no Miniauditório da Regional Maracanã.
O encontro será realizado pela Prefeitura de Colombo por meio do Departamento de Cultura em parceria com o Conselho de Cultura e visa traçar metas e ações que tragam melhorias para o Plano Municipal de Cultura – Setorial de Música.
A diretora do Departamento de Cultura, Rita Straioto ressalta sobre a importância da participação dos amantes do meio musical no encontro. “É um grande evento em que se definirão as ações que serão adotadas futuramente. Por isso é importante à contribuição dos músicos colombenses e de toda a população”, disse a diretora.
Entre os temas que serão abordados estão: leitura e cartunismo, artes plásticas, patrimônio histórico e manifestação cultural e artística.
 Serviço
Reunião setorial de música
Data: 16/05/2016
Horário: 08h30
Local: Mini auditório da Regional Maracanã
Endereço: Rua Dorval Ceccon, 664
Informações: 3656-6423/36568041
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: 
facebook.com/pmdecolombo

URGENTE: JUSTIÇA SUSPENDE POSSE DE MULHER DE PIMENTEL



O juiz Michel Curi e Silva, titular da 1a Vara da Fazenda Pública Estadual de Minas Gerais, acaba de suspender, em caráter liminar, a posse de Carolina de Oliveira, mulher de Fernando Pimental, na secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social.
Carolina de Oliveira, investigada pela Acrônimo, ganhou foro privilegiado com a nomeação.

Enterrada jovem agredida na BA por namorado: 'Isso não está certo', diz tia


Sepultamento ocorreu na tarde desta quinta (12), na cidade de Itapetinga.
Vítima deixa filho de cinco anos, que mora com os avós.

Do G1 BA, com informações da TV Sudoeste
Corpo da jovem foi velado na manhã desta quinta-feira, em Itapetinga, na Bahia (Foto: Reprodução / TV Bahia)Corpo da jovem foi velado na manhã desta quinta-feira, em Itapetinga, na Bahia (Foto: Reprodução / TV Bahia)
Foi enterrado na tarde desta quinta-feira (12) o corpo de Jéssica Nascimento, de 21 anos. A jovem, que estava grávida, morreu após ser agredida pelo namorado na cidade de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia. O enterro aconteceu no Cemitério Parque da Eternidade, na cidade de Itapetinga, onde a família mora.

Parentes e amigos de Jéssica estiveram presentes no cemitério e lamentaram a morte da jovem. “É um momento de muita tristeza, nunca imaginei que ia enterrar o corpo de minha sobrinha. Isso não está certo”, disse, emocionada, Elma Augusta, tia da vítima. O corpo de Jéssica foi velado em uma capela no centro de Itapetinga, na manhã desta quinta-feira.
Amigos e parentes estiveram presentes no velório da jovem (Foto: Reprodução / TV Bahia)Amigos e parentes estiveram presentes no velório
da jovem (Foto: Reprodução / TV Bahia)
A jovem deixa um filho de cinco anos, que morava com os avós em Itapetinga. Segundo informações de Elma Augusta, a criança não esteve no enterro, mas compareceu ao velório da mãe. "Ele é muito novo e ainda não entendeu o que está acontecendo, achamos melhor poupar ele desse momento", explicou. 

A tia de Jéssica falou ainda sobre o sentimento de impunidade que fica após a morte da sobrinha. “Vamos continuar lutando por justiça, lutando para que esse crime não fique impune”, disse. 
Jéssica morreu na terça-feira (10), após duas semanas internada em coma induzido na UTI do Hospital de Base de Vitória da Conquista. Segundo informações da unidade de saúde, Jéssica teve falência de múltiplos órgãos.
Na terça-feira, a mãe da jovem Jéssica Nascimento falou sobre a situação em que a garota estava e sobre o medo de perder a filha por conta do estado de saúde delicado. “Eu entrei no hospital, lá na UTI, eu não consegui ficar de junto dela. Quando eu vi aquela cena, eu saí num desespero, chorando, com medo de perder a minha filha”, disse Jeane Augusta Silva.
Jéssica Nascimento, Vitória da Conquista, Bahia (Foto: Reprodução/ TV Bahia)Jéssica Nascimento morreu após ser agredida por
namorado (Foto: Reprodução/ TV Bahia)
Crime
O delegado Gustavo Tortarelli, que investiga o caso, informou ao G1 que, com a morte de Jéssica, o suspeito da agressão, Américo Francisco Vinhas Neto, passa a responder por lesão corporal seguida de morte.
Ele teve a prisão decretada na sexta-feira (6) e está foragido. "Muda a tipificação do crime. Agora ele vai responder por lesão corporal seguida de morte, artigo 129, parágrafo 3º doCódigo Penal. A pena é de 4 a 12 anos", disse.
Enquanto Jéssica estava internada, o suspeito estava respondendo por lesão corporal gravísisma por conta da agressão e da morte do bebê de aproximadamente 4 meses que a vítima perdeu por causa das lesões sofridas no espancamento. O inquérito deve ser concluído até o dia 25 de maio.
UTI
Jéssica estava respirando com a ajuda de aparelhos e não vinha respondendo bem ao tratamento, segundo o relato de familiares. Por causa de uma lesão no pulmão, ela contraiu uma bactéria nos últimos dias, o que agravou bastante o quadro de saúde. A jovem chegou a ter uma parada cardíaca na madrugada de segunda-feira (9).
Jéssica havia apresentado sinais de melhora na sexta-feira (6). Segundo a família, ela chegou a abrir os olhos e balbuciar algumas palavras, após os médicos fazerem uma tentativa de dimnuir o uso de sedativos, mas a paciente voltou ao coma induzido por conta das febres e pressão alta.
Américo Vinhas, suspeito de agredir jovem grávida em Vitória da Conquista, na Bahia (Foto: Reprodução/ TV Bahia)Américo Vinhas, suspeito de agredir jovem grávida
está foragido  (Foto: Reprodução/ TV Bahia)
Prisão decretada
O suspeito de agredir a jovem, o estudante de Engenharia Américo Francisco Vinhas Neto, 24 anos, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça na sexta-feira. O advogado dele, Gutemberg Macedo, disse que não vê legalidade no pedido de prisão do cliente e que vai entrar com o pedido de habeas corpus.
Ainda conforme o advogado, Américo não vai se entregar à polícia até o Tribunal de Justiça da Bahia emitir uma decisão sobre a legadidade do pedido de prisão preventiva.
O mandado de prisão foi expedido pela juíza Juliane Nogueira Santana Rios, da Vara de Violência Contra a Mulher. O pedido tinha sido feito na quarta-feira (4), pelo delegado Gustavo Tortorelli, que investiga o caso.
Segundo o delegado, policiais civis da cidade foram até a casa do suspeito no final da tarde de sexta-feira e ele não foi localizado. Aos policiais, conforme informou Tortorelli, foi dito que Américo não estava em casa e que não se sabia do paradeiro dele.
Caso
Jéssica foi agredida em uma festa realizada na casa em que morava com um amigo na cidade de Vitória da Conquista. Além dela e do suspeito da agressão, cinco pessoas estavam no local. Segundo a polícia, Américo Francisco inicialmente negou que teria agredido a jovem. Em um segundo depoimento, na terça-feira (3), ele disse não lembrar do que aconteceu no dia do crime.
O delegado Gustavo Tortorelli informou que o suspeito nega que mantinha um relacionamento amoroso com a vítima e relatou ter feito uso de drogas e bebida alcoólica no dia da agressão, além de afirmar que não sabia que a jovem estava grávida. Um exame deve apontar se Amério fez uso de drogas no dia do ocorrido.
Américo Francisco Neto teve material genético colhido para que seja feito exame de DNA com amostras retiradas do feto. O prazo para o resultado do exame não foi informado.
Jovem está em coma induzido após agressões (Foto: Reprodução/ Facebook)Jovem está em coma induzido após agressões
(Foto: Reprodução/ Facebook)
Segundo o delegado, as investigações apontam que Jéssica e Américo se conheciam há pouco tempo. Testemunhas que estavam na casa da jovem no dia da agressão confirmaram que ela e Américo se conheciam há pouco tempo.
A versão dos familiares de Jéssica é diferente.Eles apontam o suspeito como namorado de Jéssica. Os familiares da jovem disseram também que não sabiam que a jovem estava grávida quando foi agredida.
O suspeito da agressão chegou a ser preso em flagrante, mas foi solto mediante pagamento de fiança. O advogado dele, Gutemberg Macedo, disse que a situação foi acompanhada por um outro advogado e que o valor da fiança foi de cerca de R$ 5 mil.
Conforme Macedo, o cliente foi liberado pelo delegado Tortorelli que configurou o caso como violência doméstica, mas entendeu que a situação era afiançável. O delegado disse ao G1 que no dia do ocorrido não tinha conhecimento de que a vítima estava grávida, o que muda a configuração do crime.

O alívio de Renan



De Renan Calheiros, aos jornalistas, após o encontro com Ricardo Lewandowski:
"Estou aliviado. Já decidi demais. Agora, não tenho mais expectativa sobre prazo nenhum. Vocês terão que perguntar para o Lewandowski."
O Antagonista acha que Renan não tem motivos para estar aliviado.

Lindinho Guevara



É divertido ouvir petistas, como Lindbergh Farias, afirmando que não vão reconhecer Michel Temer como presidente.
Qual é a opção?
O PT deixar de ser partido e ir para a "luta armada"?
Já imaginaram Lindbergh Farias vestido de guerrilheiro, com boina de Che Guevara?

Em meio à crise, Jaques Wagner compra sítio do tamanho de 14 Maracanãs


Ministro e um ex-lobista do banqueiro Daniel Dantas compraram fração de fazenda com cinco suítes por R$ 538 mil, com o nome de “Sítio Felicidade”

FILIPE COUTINHO
12/05/2016 - 10h43 - Atualizado 12/05/2016 17h47
SÍTIO FELICIDADE Enquanto o governo ruía, Jaques Wagner compra sítio na chapada Diamantina junto com o amigo e ex-lobista de Daniel Dantas (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Enquanto o governo começava a se esfarelar com o avanço do processo de impeachment, o ministro Jaques Wagner já pensava no seu futuro e encontrava espaço na agenda para comprar o seu“Sítio Felicidade”. Era 16 de dezembro de 2015 e o país vivia uma semana decisiva. O Supremo Tribunal Federal começava a discutir o rito do impeachment na Câmara, assunto de máxima atenção para o Palácio do Planalto. Era quarta-feira e 21 cidades recebiam manifestações em defesa da presidente Dilma Rousseff. Apenas na Avenida Paulista, 55 mil pessoas classificavam o impeachment de golpe. O governo, claro, acompanhava de perto o andar daquele dia. Escalado por Lula para auxiliar Dilma na batalha para salvar o governo, Jaques Wagner registrava em cartório naquele dia a compra do sítio. Ele se associava ao ex-lobista e amigo de longa data Guilherme Sodré, o Guiga, para comprar o imóvel por R$ 538 mil. Guiga é pai de um enteado de Jaques Wagner. 
Com o nome de Fazenda Dinamarca, Wagner, sua mulher e Guiga compraram uma fração de 14 hectares do imóvel _ algo como 14 Maracanãs. O local incluía casa com cinco suítes, garagem, piscina e acesso ao Rio Santo Antônio, da Chapada Diamantina. Agora, o nome é “Sítio Felicidade”. Segundo o registro do cartório, o imóvel teve uma entrada de R$ 398 mil e o resto dividido em dez prestações de R$ 14 mil. O salário de Jaques Wagner é de R$ 30 mil. O antigo dono é o prefeito de Andaraí, Wilson Cardoso (PSB). Pelo rateio, segundo o registro cartorial, Jaques Wagner e sua mulher têm 76% do imóvel (cerca de R$ 408 mil), enquanto a empresa de Guiga tem os outros 24% (cerca de R$ 129 mil).
O PREÇO Escritura Imóvel de Jaques Wagner na chapada  (Foto: Reprodução)
LAZER O "Sítio Felicidade" tem cinco suítes e piscina (Foto: Reprodução)
Por coincidência, naquele 16 de dezembro Jaques Wagner só teve agenda oficial às 18h, em Brasília. Guiga ganhou notoriedade ao surgir na Operação Satiagraha, que investigou o banqueiro Daniel Dantas. A operação acabou anulada na Justiça. Guiga fora apontado como um lobista do banqueiro. Era o responsável por fazer contatos políticos. Uma auditoria da Brasil Telecom descobriu que ele recebera R$ 255 mil da empresa, quando a empresa era controlada por Daniel Dantas. Esse valor representa algo como R$ 465 mil em valores atuais.
O ex-lobista é uma figura conhecida nos bastidores de Brasília, sempre próxima de empresários e políticos. Em um dos episódios mais notórios, Jaques Wagner queria levar a colega Dilma Rousseff, então ministra da Casa Civil, para um passeio de lancha na Bahia.  O ano era 2006. Wagner recorreu então a Guiga. O ex-lobista nunca cobrou a fatura do aluguel. Nem Jaques Wagner pediu. Mesmo assim, Jaques Wagner e Dilma acharam normal passear de lancha de graça em 2006. Depois se descobriu que Guiga tinha recorrido aos préstimos do empreiteiro Zuleido Veras, da construtora Gautama - a empreiteira foi acusada de superfaturamento e desvio de recursos públicos pela Operação Navalha.
Guiga afirmou que fez o pagamento por meio de transferência eletrônica, mas não quis informar o valor. Ele disse que fez a compra como representante da empresa MMSM, cujo um dos sócios é o filho dele com a mulher de Jaques Wagner, Fátima Mendonça. “Eu sou um dos sócios da empresa e um dos sócios é meu filho e enteado do ministro. Essa é a única razão de eu ter uma parte da propriedade. É para meu filho”, disse.
Jaques Wagner, por sua vez, afirma que não é sócio de Guiga. “Somos amigos há mais de 30 anos. Temos relação familiar e compartilhamos o mesmo local com a finalidade de lazer. Ele é pai do meu enteado e adquiriu parte do sítio para o seu filho”, disse o ministro. “A compra do sítio em Andaraí, na Chapada Diamantina (450 km de Salvador), foi efetuada em 2015, devidamente escriturada em cartório, e lançada no meu Imposto de Renda de 2016”, afirma.
O prefeito Wilson Cardoso disse que, sempre que Jaques Wagner ia à região, comentava que, depois do mandato de governador, tinha interesse em comprar uma propriedade na Chapada.  Wilson Cardoso afirmou que recebeu os valores em transferência eletrônica. Ele conta, ainda, que Jaques Wagner conheceu o local quando sobrevoava a região, durante uma crise de seca. “Ele dizia no palanque que queria um cantinho na Chapada. E sempre tinha muitos prefeitos vendo e todo mundo queria levar o Jaques Wagner para a Chapada. Eu disputei com vários prefeitos”. Apesar da vontade do ministro e da disputa dos prefeitos, Jaques Wagner terá de esperar mais alguns meses até poder curtir o sítio. Agora com a presidente Dilma afastada do cargo com o processo de impeachment, o petista permanecerá em Brasília na equipe que tenta a díficil tarefa de reverter a votação no Senado. 

O rombo de bilhões deixado por Dilma


Temer precisa mostrar como vai diminuir o déficit de R$ 96 bilhões, num país que não tolera mais manobras fiscais nem aumentos de impostos

FILIPE COUTINHO
12/05/2016 - 16h36 - Atualizado 12/05/2016 16h38
Com provavelmente dois anos e meio de mandato pela frente,Michel Temer recebe um governo com tripla crise: econômica, política e administrativa. Os números mostram um país paralisado desde 2015, cuja presidência Dilma Rousseff recebeu na forma de um segundo mandato, mas que ela governou muito pouco ou quase nada.
Agora afastada, Dilma deixa para Temer uma Esplanada dos Ministérios em descompasso. Sem dinheiro, muitos ministérios,embora com uma folha de pagamento gigante, têm pouco a fazer.  O Itamaraty, por exemplo, atrasa alugueis no exterior e sofre até com falta de papel higiênico. Temer pega um governo de cofres vazios e um país mais vigilante contra manobras fiscais e menos tolerante com aumentos de tributos.
Dilma Roussef (Foto: AFP)
Os números são claros. É possível que Temer retome a governabilidade e tenha amplo apoio de políticos e empresários? Sim. Mas, antes, precisará de dinheiro. Em março, o governo levou ao Congresso uma previsão de déficit na meta fiscal em R$ 96 bilhões. Temer terá, de imediato, a missão de aprovar esse projeto no Congresso. Embora esse valor como déficit seja astronômico, o valor inicial era um superávit de R$ 24 bilhões – a lei obrigaria o governo a praticamente parar para tentar se aproximar dessa meta. Ou seja, o rombo é inevitável. É com esse cenário que Temer deverá, ao mesmo tempo, tentar frear a queda na economia e atender ao apetite por cargos e espaço do PMDB. Para piorar, o governo Dilma superestimou em algo como R$ 90 bilhões a arrecadação para este ano.
Além disso, a margem para manobra é pequena. Isso porque embora o orçamento tenha o gigantismo da casa do trilhão, os gastos com a dívida, pessoal e a previdência consomem boa parte desse montante. Em 2015, por exemplo, o gasto com funcionários foi o maior em 17 anos, representando quase 40% das receitas. Não bastasse o desequilíbrio fiscal, Temer terá ainda o rombo da previdência, um problema histórico que Dilma se empenhou pouco em resolver. A estimativa para este ano é de um déficit de R$ 133 bilhões. Os números mostram que a situação da previdência é insustentável, mas lidar com o tema exige que o governante entre numa discussão sobre aposentadorias e adote medidas impopulares. Temer estará disposto a ter esse desgaste?
Na economia real, o país está em frangalhos. Quando Lula enfrentou uma crise, sua solução foi incentivar o consumo. Temer, no pós-Dilma, não conta com essa arma em seu limitado arsenal. A inflação ainda está alta demais para permitir queda significativa da taxa de juros. E as contas públicas destroçadas não admitem que o governo conceda benesses tributárias nem linhas de crédito subsidiadas.
Os números permitem resumir o governo Dilma de forma bem simples, sobretudo desde o ano eleitoral: uma gastança desmedida. Em algum momento, essa conta chegaria. Ela ajudou a derrubar Dilma, e também afetará Temer. O presidente interino se beneficiará, nos próximos meses, de um pequeno arrefecimento da crise, que viria com ou sem mudança. A inflação reduz o ritmo, porque a intensidade da crise esfria o consumo e dificulta elevações de preços. O nível de atividade vai parar de cair e talvez cresça um pouco, simplesmente porque a base de comparação, nos trimestres anteriores, é ruim demais. Mas isso não eximirá o governante de adotar medidas concretas.
Muitas dessas medidas, contudo, precisam do apoio do Congresso e do empresariado – um fracasso duplo do governo Dilma. A principal cartada da presidente era aumentar a receita por meio da CPMF. Fracassou. Temer também terá dificuldades. Terá de viabilizar, na política, as soluções para a economia. Nos 13 anos de PT, a governabilidade foi feita à base de cargos e fisiologismo político – incluindo ainda o apetite insaciável do PMDB de Temer.O resultado foi uma Esplanada dos Ministérios inchada e cara. A sede do PMDB não mudará com Temer no poder. Pelo contrário, agora em carreiro solo, longe dos acordos com o PT, o PMDB terá mais espaço para preencher na Esplanada. E isso pode custar caro para a economia – exatamente como custou nos anos de Dilma. Como Temer conseguirá aliar seus interesses políticos, agradando partidos de centro, direita e nanicos, e ao mesmo tempo, fazer um forte ajuste na economia? O cenário pós-Dilma não será nada fácil.