Paraná bate recorde na captação de órgãos para transplantes


Publicado em 16/06/2016 17:30

Paraná bate recorde na captação de órgãos para transplantes.
Nas últimas 24 horas foram realizadas oito captações de órgãos para transplantes no Paraná. Até então, o recorde de captações no período de um dia era de seis doações, ocorrido em 2015. Este ano já foram contabilizadas 127 doações no Estado – número também recorde quando comparado aos primeiros cinco meses dos anos anteriores.

De acordo com a coordenadora da Central Estadual de Transplantes (CET), Arlene Badoch, é a primeira vez na história da Central em que acontecem tantas captações em tão pouco tempo. “Isso mostra que o esforço que temos feito para sensibilizar a população sobre a importância da doação de órgãos e o trabalho voltado ao aperfeiçoamento de nossa estrutura está dando resultados”, comemora a coordenadora da CET, Arlene Badoch.

No total, foram captados 16 rins, seis fígados e dois pâncreas. Sete rins foram transplantados em Curitiba, sendo dois transplantes conjugados com fígado e pâncreas. Um rim foi encaminhado para Pato Branco, um para Londrina e outros dois não apresentaram compatibilidade no Paraná e foram ofertados para o sistema nacional. Cinco deles ainda aguardam exames de compatibilidade.

Todos os transplantes de fígado foram feitos na Capital do Estado. Um pâncreas foi transplantado em Curitiba e o outro ainda aguarda avaliação de compatibilidade. Também foram retiradas as córneas de quatro doadores, que serão enviadas a bancos de olhos, e duas captações de valvas cardíacas.

As captações ocorreram entre quarta e quinta-feira (15 e 16) no Hospital do Rocio, em Campo Largo; Hospital Ônix, em Curitiba; Hospital Evangélico, também em Curitiba; Hospital Santa Rita, em Maringá; Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá; Hospital Bom Jesus, em Ponta Grossa; Hospital São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba; Hospital Metropolitano, em Sarandi, na região Norte do Estado.

DOAÇÃO – Para ser um doador não é necessário deixar nada por escrito, mas é fundamental comunicar à família esse desejo. Rins, parte do fígado e da medula óssea podem ser doados em vida. Mas, em geral, a doação ocorre após a morte e sempre com a autorização familiar.

Arlene explica que o transplante é a única chance de continuar vivendo para muitos pacientes e por isso o assunto da doação deve ser discutido. “Todas as pessoas são potenciais doadores de órgãos, mas como a doação só ocorre com a autorização dos familiares mais próximos é essencial que a vontade de doar os seja sempre comunicada em casa”, lembra a coordenadora.
 

MPF pede bloqueio de bens de Eliseu Padilha e devolução de R$ 300 mil


Ele é acusado de ter mantido funcionária 'fantasma' quando era deputado.
Padilha alega que ação se vale de escutas e provas já anuladas pelo STF.

Do G1, em Brasília
O Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça Federal o bloqueio dos bens do ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha (PMDB), e a devolução de R$ 300 mil em uma ação de improbidade administrativa na qual o peemedebista é acusado de ter mantido uma funcionária "fantasma" em seu gabinete na época em que era deputado federal.
A informação foi publicada na edição desta semana da revista "Veja" e confirmada pela TV Globo e pelo G1.
A ação de improbidade proposta pelo MPF é decorrente de outra investigação, iniciada em 2008, que tinha como objetivo apurar o envolvimento de agentes públicos e empresários no desvio de recursos públicos destinados à compra de merenda escolar no município de Canoas (RS).
No decorrer das investigações, a Polícia Federal autorizou escutas telefônicas para apurar o envolvimento de suspeitos no esquema de desvio de recursos. Durante a apuração, o nome de Padilha surgiu como um dos integrantes do grupo que fraudava as licitações, o que ele nega.
Na investigação, a PF identificou que uma dona de casa recebeu salário como funcionária do gabinete de Padilha por quatro anos sem nunca ter trabalhado para o parlamentar. A suspeita da PF era de que o atual ministro da Casa Civil teria contratado a funcionária "fantasma" como pagamento de favores a um empresário.
Em 2011, segundo a "Veja", Padilha foi indiciado pela PF por formação de quadrilha. O Supremo Tribunal Federal (STF), porém, considerou que as gravações telefônicas nas quais Padilha aparecia eram ilegais, já que ele tinha foro privilegiado quando era deputado e, portanto, as escutas deveriam ter sido autorizadas pelo STF.
Antes de arquivar o processo, porém, a Corte enviou cópia das escutas para a Justiça Federal para dar andamento à ação de improbidade administrativa contra Padilha pela suspeita de que ele manteve a funcionária "fantasma" por quatro anos.
O pedido de bloqueio de bens e a devolução dos R$ 300 mil ainda não foi aceito pela Justiça, que aguarda parecer da Advocacia-Geral da República (AGU) sobre a continuidade ou não do processo.
Procurado pelo G1, o ministro Eliseu Padilha afirmou que a ação proposta pelo MPF leva em conta dados obtidos de forma ilegal pela PF e que, por isso, devem ser considerados nulos pela Justiça. Ele informou que seus advogados já entraram na Justiça com pedido de nulidade da ação.
"O inquérito [sobre as fraudes em licitações] já foi arquivado pelo STF, que considerou a ação da PF ilegal, já que eu tinha prerrogativa de foro. Tudo que estava lá dentro foi anulado pelo Supremo. Portanto, o que é nulo, não existe juridicamente. [...] Tenho certeza que o juiz vai considerar o pedido [do Ministério Público] ilegal", disse, por telefone.
Ele explicou ainda que, apesar de a funcionária nunca ter frequentado seu gabinete em Brasília ou em Porto Alegre, como deputado, mantinha funcionários em diversos municípios do Rio Grande do Sul para cuidarem dos seus interesses no estado.
"Isso é normal, todos os deputados mantêm funcionários espalhados pelo estado. E o regimento interno da Câmara permite isso. Ou seja, não tem nada ilegal nisso", concluiu o ministro.

Leniência do PT é inviável



A ideia de submeter o PT a um eventual acordo de leniência pressupõe a aplicação da Lei Anticorrupção (12.846/13), que exige do partido a responsabilização de seus dirigentes.
A lógica da lei é de que 'as pessoas passam, mas o partido fica'. Para se salvar, portanto, o PT teria de entregar Lula.
O acordo de leniência do PT é inviável.

Supremo atraso



Teori Zavascki já arquivou os recursos de Lula para evitar que suas investigações voltem para Curitiba?
Foi o atraso no envio de processos (eletrônicos) que permitiu ao petista recorrer e impedir que Sérgio Moro retomasse as investigações essa semana.
Seja rápido, Teori. Ou vamos achar que foi um atraso calculado.

Abaixo de chuva, motociclista perde controle e morre ao bater violentamente contra poste


Por Elizangela Jubanski e Djalma Malaquias

araucaria-moto-essa
Motociclista atingiu poste e morreu na hora. Foto: DM/Banda B

Um motociclista de 28 anos morreu na hora em um acidente na Avenida Manoel Ribas, em Araucária, na região metropolitana de Curitiba. Aprigio Luiz Fonseca Neto pilotava uma Honda CG 125 cilindradas, com placas de Francisco Beltrão, perdeu o controle da moto e atingiu um poste. Com o impacto, ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local.
O acidente aconteceu próximo a uma rotatória do Jardim Maranhão, por volta das 8h. “Aqui é um local muito perigoso porque formam poças aqui, pode ser isso. Tem que andar devagar, não adianta”, contou uma testemunha, que parou para tentar socorrê-lo, mas em vão.
O Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) foi acionado, mas o motociclista já estava morto. O corpo será recolhido ao Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba.
Grave
caminhao-moto
Vítima teve fraturas nas duas pernas. Foto: DM/Banda B
Outro motociclista se envolveu em um acidente e foi internado em estado grave, com duas fraturas nas pernas. O jovem tem 18 anos e cruzou a frente de um caminhão na rua Gal. Potiguara esquina com a Baldur Magnus Grubba, no bairro Portão. O socorrista Gesiel do Siate disse à Banda B que o estado do garoto é grave, mas ele segue estável. “Grave, mesmo. Fratura em ambas pernas, consciente, orientado, mas com muita dor”.
A moto envolvida no acidente foi levada por conhecidos da vítima. O motivo não foi informado. O motorista do caminhão disse que o motociclista estava em alta velocidade, mas não há testemunhas para reafirmar a versão. “Eu estava entrando e ele bateu, ele ia cruzar direto aqui, nem vi ele, estava igual um raio”, finalizou o motorista.

Funcionária de posto que tinha medo de atravessar rodovia morre atropelada na BR-376


Por Elizangela Jubanski

luiza-silva
Funcionária dizia aos familiares sobre o medo de atravessar rodovia. Foto: Arquivo familiar/Reprodução
Luiza da Silva, 37 anos, trabalhava há poucos meses no Auto Posto Monte Carlo, que fica às margens da BR-376, em Tijucas do Sul, na região metropolitana de Curitiba. Todos os dias, ela dizia aos familiares sobre o medo de atravessar a rodovia para ir trabalhar. Na noite desta sexta-feira (17), ela foi atropelada e morreu na hora.
O acidente aconteceu por volta das 22 horas, no quilômetro 652. Luiza cumpria expediente no terceiro turno do posto de combustível e atravessava a rodovia duas vezes a cada período do trabalho. Ela foi atropelada pelo motorista de um Chevrolet Cruze Sport, que parou para prestar socorro, mas em vão.
De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) foi acionado, mas ela não resistiu. Havia bastante neblina no local do acidente, o que pode ter prejudicado a visão de ambos na rodovia.
Bastante abalados, familiares disseram à Banda B sobre o medo que Luiza tinha em atravessar a rodovia. O velório dela acontece na Capela da Lagoinha, em Tijucas do Sul, e o sepultamento acontece no mesmo local às 16 horas de amanhã (19).

A delação e as delações



O Antagonista continua desconfiado da maneira como foi feita a delação de Sérgio Machado na PGR e sua homologação pelo STF. 
Lauro Jardim disse que a delação de Danielle Fonteles, da Pepper, subiu no telhado após as revelações, muito mais importantes, de Benedito de Oliveira, sobre o esquema corrupto gerenciado por Fernando Pimentel.
A exigência por informações relevantes para a investigação fez com que o MPF em Curitiba, por exemplo, recusasse a proposta de delação de Renato Duque.
Da mesma forma, o MPF vem cobrando informações fortes de Marcelo Odebrecht e Léo Pinheiro.
Está clara a diferença de parâmetro no caso de Machado, cuja delação parece servir mais para constranger a cúpula do PMDB e o governo de Michel Temer.

Ganhou 1 salário



Na véspera da posse de Michel Temer, Gilberto Carvalho conseguiu emplacar seu filho Samuel no cargo comissionado de chefe de gabinete do Ministério do Desenvolvimento Agrário.
A boquinha durou pouco. Esta semana descobriram o menino e ele foi demitido.
Samuelainda espera ganhar um carguinho na Conab.

Garoto de 11 anos diz que viu PM 'plantar' arma

Estadão Conteúdo

Em São Paulo

  • Reprodução/TV Globo
O menino de 11 anos que participou do furto de um carro que terminou em perseguição policial e na morte de um amigo, de 10, afirmou em conversa com integrantes da Ouvidoria da Polícia e do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe) que viu o mesmo policial militar que atirou no colega tirar uma arma da cintura e levá-la para dentro do carro onde estava o garoto já morto. A informação deve ser incluída no próximo depoimento à polícia.
Segundo o advogado do Condepe, Ariel de Castro Alves, a informação só veio à tona agora porque o menino e a família estão integrados ao Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte (PPCAAM). "Agora, o garoto estando sob proteção e em local seguro desde quinta, poderá prestar depoimentos sem medo de retaliações", disse.
O garoto deu até hoje (18) três versões para o caso. Na primeira, gravada em vídeo a pedido dos policiais militares, diz que houve tiroteio entre o amigo e os PMs e o menino abaixava o vidro do veículo, atirava, e levantava de novo. Quando o carro bateu e parou, após a perseguição se estender por aproximadamente 300 metros, o menino de 10 anos ainda atirou e morreu no revide. Na segunda versão, no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), ele confirmou o tiroteio, mas disse que, quando o veículo parou, um policial se aproximou e atirou no amigo. Depois, ele saiu do carro, foi dominado, levou tapa e foi ameaçado de morte.
No terceiro depoimento, na Corregedoria da PM, acompanhado por uma psicóloga e em uma espécie de brinquedoteca, ele afirmou que nenhum dos dois estava armado e a arma foi "plantada" pelos policiais.
O laudo necroscópico constatou pólvora e chumbo nas mãos do menino de 10 anos, uma indicação de que ele atirou. No entanto, não encontrou os mesmos materiais na luva de motoqueiro que usava na mão direita. Os peritos do Instituto de Criminalística identificaram vestígios no veículo furtado de disparos de fora para dentro e não encontraram sinais de tiros dentro do carro. Seis PMs que participaram da ocorrência estão afastados das ruas.

Exclusivo: Dirceu pede novo indulto ao STF



A defesa de José Dirceu protocolou no STF um novo pedido de indulto ao ex-ministro em relação à pena do mensalão. Em fevereiro, o ministro Luís Barroso negou o primeiro pedido - até que Dirceu fosse condenado na Lava Jato.
Com a sentença de Sérgio Moro, que considerou Dirceu réu primário, o advogado Roberto Podval recorreu. Barroso já despachou o caso para análise do Conselho Penitenciário do Distrito Federal.
No processo de Dirceu na Lava Jato, Podval conseguiu provar que os recursos do petrolão foram recebidos pelo ex-ministro antes do trânsito em julgado do mensalão. Moro concordou com a tese.
"Essa foi nossa grande vitória, apesar da condenação de Dirceu. Como réu primário, ele tem direito ao indulto", disse Podval a O Antagonista.

Lula recebeu favor da OAS como presidente




Na mesma reportagem sobre o tráfico de influência de Lula para a OAS, a IstoÉ diz que o delator Léo Pinheiro detalhou à Lava Jato o contrato de aluguel de 10 contêineres destinados a armazenar o acervo presidencial do petista.
"Elaborado de forma dissimulada para escamotear o seu real beneficiário, o contrato celebrado pela OAS com a transportadora Granero ao custo R$ 21.536,84 por mês por cinco anos tratava da 'armazenagem de materiais de escritório e mobiliário corporativo de propriedade da Construtora OAS Ltda'. Segundo apurou ISTOÉ, além de, obviamente, confirmar mais um préstimo a Lula, Pinheiro já disse que as negociações ocorreram quando o petista ainda ocupava a Presidência da República, em dezembro de 2010."

Estamos de olho, Lewandowski





Com o afastamento de Dilma Rousseff, Ricardo Lewandowski desistiu de se aposentar em setembro e já mandou fazer um gabinete novo. Ele também se prepara para herdar os processos que estão com Carmen Lúcia - a próxima presidente do Supremo.
Carmen é a relatora da Operação Zelotes no STF, mas Lewandowski não poderá substituí-la no caso.
O Antagonista revelou no mês passado que Lewandowski é amigo da família de Antonio Maciel Neto, presidente do grupo Caoa, investigado na Zelotes. A mulher de Maciel Neto é cunhada de Luciano, irmão do presidente do Supremo.
Lewandowski terá de se declarar impedido.

"A ideia da leniência foi minha"



Roberto Podval aproveitou o contato com O Antagonista para dizer que a ideia da leniência partidária não partiu de João Vaccari Neto ou de José Dirceu.
"A ideia da leniência foi minha", diz Podval. "Eu conversei com o Zé sobre isso. Mas ele, particularmente, não se beneficia da lei. Talvez o Vaccari possa colaborar, já que era o tesoureiro do PT."
Para o advogado, "A Lava Jato fez um "trabalho importantíssimo para desconstruir o atual sistema político. Agora, precisamos pensar em como reconstruí-lo".
"A leniência partidária não significa impunidade. Vamos punir e processar quem enriqueceu, quem usou dinheiro sujo para campanha deve pagar uma multa. É mais ou menos o que aconteceu com a lei de repatriação de ativos. Uma ideia polêmica que acabou sendo aceita por muitos países desenvolvidos e até pelo Brasil. Hoje, o sujeito traz o dinheiro de volta, paga uma multa e legaliza o recurso. É bom para a economia."

Jovem garçom bate carro contra viatura da Rone, confessa que bebeu e fica indignado ao ser algemado


Por Elizangela Jubanski e Djalma Malaquias


“Me algemaram como se eu fosse bandido, eu não sou bandido. Tá certo que eu bebi, mas bandido que tem que ser algemado, eu não sou bandido”, foi que disse o jovem garçom, de 37 anos, preso em flagrante por dirigir embriagado. O motorista estava com um Fiat Palio, atingiu um veículo Renault Clio, que acertou uma viatura da Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone). O acidente aconteceu na rua Getúlio Vargas, esquina com a Conselheiro Laurindo, no bairro Rebouças. Ao ser algemado, o garçom criticou o ação dos policiais.
De acordo com testemunhas, o garçom saiu do trabalho por volta das 6h30 e estava indo para a casa quando o acidente aconteceu. O Renault Clio estava parado no semáforo e foi colhido na traseira pelo Fiat Palio, do garçom. Com o impacto, o carro foi projetado e atingiu a traseira da viatura.
O Batalhão de Polícia de Trânsito (Bptran) foi acionado e confirmou, por meio de bafômetro que o motorista estava embriagado. Ele mesmo confessou que tinha bebido antes de dirigir. “Eu bebi, tipo assim, sai do meu trabalho, mas não tinha bebida muito. Eu sei que não é o correto, eu sei, mas deu o acidente, fazer o que. Eu não tô bêbado, eu tô bem”, disse à Banda B.
A tenente Caroline do Bptran afirmou à Banda B que o motorista seria conduzido a Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran). “Foi acusado um índice até alto, acima de 0,70 mg/L, e agora será conduzido ao Dedetran para medidas cabíveis. Não tem como justificar algo que não precisa”, finalizou.