Copel Telecom apresenta projeto à empresários do município de Colombo


WEBMASTER 21 DE JUNHO DE 2016

Iniciativa visa a utilização de fibra óptica na rede de energia de Colombo, favorecendo assim o desenvolvimento tecnológico da cidade

O projeto utiliza 100% de fibra óptica para o acesso à internet, o que favorece o desenvolvimento tecnológico local
O projeto utiliza 100% de fibra óptica para o acesso à internet, o que favorece o desenvolvimento tecnológico local
 Reunião apresentou ao poder público e empresários do município o projeto Copel Fibra, da Copel Telecom
Reunião apresentou ao poder público e empresários do município o projeto Copel Fibra, da Copel Telecom
Na última sexta-feira, 17, Colombo deu um importante passo em direção ao seu desenvolvimento tecnológico. Na ocasião, foi apresentado aos empresários do município o projeto da Copel Telecom que utiliza 100% de fibra óptica para acesso à internet. A reunião foi uma ação conjunta entre as secretarias de Planejamento, Orçamento e Gestão e a de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho.
No encontro, a prefeita Beti Pavin falou sobre a possível instalação do projeto em Colombo. “Estamos aqui como facilitadores do diálogo entre a Copel Telecom e os empreendedores. O nosso grande objetivo é sempre em busca do avanço de Colombo e não vamos medir esforços para isso”, enfatizou.
Atualmente existem 22 mil empresas instaladas no município, destas apenas 8% tem acesso ao sistema oferecido pela Copel Telecom. O secretário de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho, Antônio Ricardo Milgioransa, ressaltou a importância do município contar com este serviço. “Estamos desenvolvendo diversas ações para garantir que os nossos empreendedores tenham em Colombo um ambiente propício de negócio. A possível vinda da Copel Telecom é mais um importante passo na direção do desenvolvimento do município”, afirma.
Durante a reunião a equipe da Copel Telecom apresentou o projeto, que já está presente em 37 municípios do estado. Além disso, o encontro foi a oportunidade para que os empresários esclarecessem algumas dúvidas relacionadas ao projeto, como: custos, manutenção e serviços.
Também participaram do encontro o vice prefeito, Ademir Goulart, o secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão, Cezar Bittencourt, os vereadores, Gil Gera e Ratinho, e o representante do Deputado Estadual Luiz Carlos Romanelli, o assessor Ronald Oliveira.
  Sobre a Copel Fibra
As conexões do serviço oferecido pela Copel Telecom são feitas exclusivamente por meio de fibra óptica, do provedor até a casa ou empresa do cliente, garantindo assim mais estabilidade e agilidade na hora de navegar pela internet. A Copel Fibra já está atuando em 37 municípios do Paraná.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Marcio Fausto/ PMC

Após oito rodadas, Colombo Futsal segue invicto no Grupo C pelo Campeonato Série Bronze 2016


WEBMASTER 21 DE JUNHO DE 2016

 Com a sétima vitória seguida, o time de futsal do município venceu a equipe de Maringá em um jogo bastante acirrado.

Foto 2Mais uma disputa da Série Bronze 2016 agitou a noite de sábado, 18, às 20h30, no Ginásio Leandro Alberti. A partida de futsal foi realizada entre os times Colombo/Clube Sta Mônica Clube de Campo e Prefeitura de Maringá.
Considerada uma das disputas mais difíceis da temporada, o Colombo Futsal conseguiu mostrar superioridade em quadra e venceu o time de Maringá pelo placar de 4×3.
Após oito rodadas, o time do município permanece líder invicto do “Grupo C”, com sete vitórias e um empate.
“Queremos ver sempre os nossos atletas colombenses brilharem em quadra”, afirma o Secretário de Esporte, Cultura, Lazer e Juventude, José Mauri Henemann, após mais uma vitória do time de Colombo.
No dia 2 de julho acontece à próxima rodada do Campeonato Paranaense Série Bronze e o Colombo/Clube Sta Mônica Clube de Campo enfrenta a equipe da Prefeitura Municipal de Manoel Ribas às 20h30min, no Ginásio Ari Kfoury, em Manoel Ribas.
Campeonato Paranaense Adulto Feminino 2016
Ainda no Ginásio Leandro Alberti, às 18h, aconteceu a 5º rodada do Campeonato Paranaense Adulto Feminino 2016.
O Colombo Futsal Feminino não conseguiu passar pelo time da Prefeitura Municipal de Ivai e acabou perdendo a partida pelo placar de 0x1.
Na próxima rodada que acontece no dia 2 de julho, as meninas do município vão jogar novamente no Ginásio Leandro Alberti, às 19h, contra Prefeitura Municipal de Guarapuava.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

Prefeitura de Colombo disponibiliza Clínica Odontológica e 17 UBS de Atenção em Saúde Bucal


WEBMASTER 21 DE JUNHO DE 2016

O Município também possui o Odontomóvel, um trailer que atende aos alunos e moradores do entorno das escolas, principalmente da área Rural

O município possui um Odontomóvel que presta atendimentos aos alunos e moradores mais próximos das escolas.
O município possui um Odontomóvel que presta atendimentos aos alunos e moradores mais próximos das escolas.
A Prefeitura busca aperfeiçoar e melhorar os serviços odontológicos, garantindo mais acesso ao atendimento para a população.
A Prefeitura busca aperfeiçoar e melhorar os serviços odontológicos, garantindo mais acesso ao atendimento para a população.
Em 2015 foram realizados 184.392 procedimentos odontológicos e 51.050 pacientes foram atendidos.
Em 2015 foram realizados 184.392 procedimentos odontológicos e 51.050 pacientes foram atendidos.
A Prefeitura de Colombo por meio da Secretária de Saúde busca aperfeiçoar e melhorar os serviços odontológicos, garantindo mais acesso ao atendimento para a população.  A atenção odontológica inclui as ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde, além de diagnóstico e tratamento adequado das doenças bucais.
Em 2015 foram realizados 184.392 procedimentos odontológicos e 51.050 pacientes foram atendidos por meio dos programas de odontologia no Município.
A rede de Atenção em Saúde Bucal do município conta com uma Clínica Odontológica e 17 Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Atenção em Saúde Bucal. Dessas UBS, 14 estão implantadas no modelo de Unidades Básicas da Estratégia de Saúde da Família (ESF) e duas estão implantadas no modelo Unidades Básicas (UBS).
Nas Unidades é possível fazer o agendamento semanal. Os atendimentos são realizados nas segundas-feiras – em todas as Unidades de Saúde, além do agendamento mensal, como explica o Secretário de Saúde, Darci Martins Braga. “O serviço mensal é ofertado mediante agendamento nas primeiras terças-feiras de cada mês, com 18 vagas por cirurgião-dentista que atua na unidade. Esta modalidade de atendimento garante até quatro consultas ao cidadão durante o mês”, explica.
Odontomóvel
Além disso, o município possui um Odontomóvel, uma espécie de trailer de Atenção em Saúde Bucal, que presta atendimentos aos alunos e moradores mais próximos das escolas, principalmente na área rural do município.  Os atendimentos em saúde bucal deste equipamento também são agendados, como nas demais UBS.
“O tratamento com as crianças tem que ser intensificado e constante, para elas entenderem que a falta de escovação e de cuidados podem gerar grandes riscos e poderem levar esses ensinamentos para a vida toda e assim, garantimos um sorriso saudável”, ressalta a Prefeita de Colombo, Beti Pavin.
Clínica odontológica
Na Atenção Especializada, faz parte da Rede de Atenção à Saúde Bucal, um Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) na Regional Maracanã. No local são prestados os serviços de endodontia, periodontia, cirurgias, radiologia e atendimento a pacientes portadores de necessidades especiais.
Além dos atendimentos para os inscritos nos Programas de Puericultura e Hiperdia. São realizadas atividades educativas e atendimento clínico das crianças de 0 a 5 anos que fazem parte do Programa de Puericultura mediante acordo com a Coordenação de Odontologia e em conformidade com o trabalho de Puericultura desenvolvido pela equipe de enfermagem. O mesmo ocorre com os inscritos no Programa de Hiperdia.
Atendimento as gestantes
As gestantes também podem contar com a Equipe de Saúde Bucal, após o cadastro no SISPRENATAL. “Todas as gestantes acompanhadas pela Equipe de Saúde da Família tem seu atendimento priorizado pela Equipe de Saúde Bucal. Ela é encaminhada ao Cirurgião Dentista para consulta inicial e tratamento curativo e/ou preventivo”, disse o diretor técnico da Odontologia, Dr. Paulo Renato Sebrão Filho.
Urgências / Emergências odontológicas
São realizados todos os dias da semana, atendimento de supressão da dor e outros tratamentos como: hemorragia, quadros infeccioso e inflamatório agudo, lesões de tecidos moles, traumatismo dentário, reparo de peça protética ou recimentação de restauração e restauração estética de urgência.
Atividade preventiva e educativa em escolares
A Equipe de Saúde Bucal realiza durante a semana em dois períodos de uma hora e meia – para a execução de atividades de promoção de saúde em escolares como: “Palestra semestral” com material de apoio (vídeos, cartazes ou outro material educativo) para todos os alunos da escola; “Evidenciação de Placa Bacteriana” e “Técnica de Escovação” com todos os alunos; “Bochechos Semanais com Flúor” na concentração de 0,2% em todos os alunos da escola, exceto aqueles que estão em terapia com flúor gel em andamento ou já concluída e “Terapia com Flúor” (Escovação Supervisionada e Escovação com Flúor Gel).
“Atendemos as crianças e adolescentes oferecendo o bochecho com flúor, que servem de barreira para as cáries e fazemos o atendimento básico, com restauração, prevenção de doenças e até extrações, se muito necessário”, explica o Dr. Sebrão.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: João Senechal / PMC

Colombo participa de reunião com Ministro da Saúde


WEBMASTER 21 DE JUNHO DE 2016

Foram discutidas melhorias da gestão com prefeitos da Região Metropolitana


Durante o encontro, Beti Pavin destacou as possibilidades para as melhorias dos serviços públicos de Colombo e região
Durante o encontro, Beti Pavin destacou as possibilidades para as melhorias dos serviços públicos de Colombo e região
Prefeita acompanhada do secretário da Saúde, Darci Braga e do vereador Sergio Pinheiro se reúnem com o Ministro da Saúde, Ricardo Barros
Prefeita acompanhada do secretário da Saúde, Darci Braga e do vereador Sergio Pinheiro se reúnem com o Ministro da Saúde, Ricardo Barros
A Prefeita Beti Pavin e o secretário municipal da Saúde, Darci Martins Braga, participaram nesta segunda-feira, 20, em Curitiba, de uma reunião com o ministro da Saúde, Ricardo Barros. A ocasião também contou com a presença de prefeitos e representantes da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) para receber demandas e ouvir sugestões para melhorar o atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS).
“A reunião com o ministro Barros foi muito esclarecedora e franca no que diz respeito a escassez de novos investimentos. Fiquei muito satisfeita com a abertura que nos proporcionou em pensarmos juntos soluções plausíveis para a melhoria dos serviços de saúde, pois necessitamos destas parcerias”, disse a prefeita Beti Pavin.
Durante a reunião, o ministro apresentou as 11 ações prioritárias do Ministério que englobam melhoria da gestão, informatização do SUS, capacitação, investimentos em infraestrutura e otimização dos recursos, entre outras.
“Precisamos integrar ações para produzir mais com os mesmos recursos. Estou convencido de que há um grande espaço para otimizar a saúde no Brasil”, disse Barros. Também participaram da reunião a vice-governadora do Paraná, Cida Borghetti e o secretário da Saúde, Michelle Caputo.
Segundo o secretário municipal da Saúde, Darci Martins Braga, o encontro com o Ministro possibilitou uma proximidade maior e o diálogo sobre o real momento econômico brasileiro. “Ficou muito claro que não há novos recursos para os municípios e que otimizar as ações para o correto gerenciamento dos recursos públicos  começando pela a informatização do sistema será um dos incentivos do Governo Federal”, informou Braga.
PREOCUPAÇÕES
Entre os assuntos e preocupações apontadas pelos prefeitos e secretários municipais estão mais recursos para o custeio, contratação de médicos e profissionais de saúde, melhorias na infraestrutura e manutenção de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).
“Saio daqui com muitas informações, sugestões e reivindicações, e, em especial, com a certeza de que vamos unir esforços para melhorar o atendimento à população”, acrescentou o ministro.
O prefeito de Contenda e presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec), Carlos Eugênio Stabach, elogiou a reunião e reforçou o interesse dos prefeitos em ajudar.
_DSC9633 _DSC9623 _DSC9616 _DSC9589
Também participaram do encontro os prefeitos de Quatro Barras, Loreno Tolardo; Bocaiúva do Sul, Débora Fonseca; Balsa Nova, Luiz Claudio Costa;  Itapereçu, Neneu Artigas; Lapa, Leila Klenk; Fazenda Rio Grande, Marcio Wosniack; Quitandinha, Marcio Oliveira; Rio Negro, Milton Paizani; Campo Magro, Louvanir Menegusso; Piraquara, Marcus Tesserolli, São José dos Pinhais Luiz Carlos Setim. Além de representantes, vice-prefeitos e vereadores.  De Colombo, o vereador Sergio Pinheiro.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

Foto: João Senechal/PMC

Cooperuva de Colombo tem nova diretoria e conselho fiscal


WEBMASTER 21 DE JUNHO DE 2016

Com os programas de incentivo a fruticultura e com a compra de equipamentos para o processamento da fabricação do vinho houve uma necessidade de organização entre os produtores


Os produtores de uva e vinho do município definiram os integrantes que irão compor a diretoria e conselho fiscal da Cooperuva.
Os produtores de uva e vinho do município definiram os integrantes que irão compor a diretoria e conselho fiscal da Cooperuva.
Na última segunda-feira, 20, os produtores de uva e vinho do município realizaram uma reunião extraordinária para definir em votação os integrantes que irão compor a diretoria e conselho fiscal da Cooperuva (Cooperativa de uva e vinho do município de Colombo), na sede da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento.
“Com a compra de todos os equipamentos de processamento para a fabricação do vinho é de suma importância à organização dos agricultores. Pois, através de cooperativa as despesas de registros e assistência técnica e compras de insumos podem ser distribuídas entres os produtores”, disse o Secretário da pasta, Marcio Toniolo.
Com os programas de incentivo a fruticultura – promovido pela Prefeitura de Colombo por meio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento – onde o município subsidia em até 80% o valor da parreira e com a compra de equipamentos para o processamento da fabricação do vinho houve uma necessidade de organização entre os produtores e a Prefeitura, como explica Toniolo.
“Percebemos a mobilização dos produtores em se organizar coletivamente sem perder as características da fabricação do vinho colonial. O caminho do cooperativismo é hoje sem dúvida é a melhor forma para colocar os produtos no mercado diluindo os custos de produção”, ressaltou o secretário.
Programa de Incentivo à Viticultura
O produtor rural de Colombo pode contar com o subsídio de 80% do valor da muda de parreira de uva (bordo, niágara branca e niágara rosada). Para isso, é necessário que o produtor adquira mais de 100 mudas de parreira e entre no “Programa de Incentivo à Viticultura”.
Novos equipamentos
Os produtores de vinho de Colombo contam com novos equipamentos para o processamento do vinho. As máquinas proporcionam aumento da produção dos derivados de uva e são disponibilizadas aos produtores de vinho que estiverem com as cantinas regularizadas pelo MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).
A Prefeitura de Colombo, por meio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento adquiriu seis máquinas, através de um convênio com o Ministério da Agricultura e com uma contrapartida de recursos do município, de aproximadamente 45% do valor.
“Todo processo da compra desses equipamentos teve seu inicio em 2008, com a assinatura do contrato. Na atual gestão, a pedido da prefeita Beti Pavin foi resgatado esse processo e depois de sete anos conseguimos finalmente comprar todos os equipamentos”, comemora Toniolo.
O objetivo das máquinas é realizar todo o procedimento e processo da transformação da uva madura em vinho ou em suco de uva. Ao todo, são nove itens que compõe todo processo proporcionam mais agilidade na produção de vinhos e sucos da fruta, sendo eles: duas desengaçadeiras para separar a uva dos cachos; duas prensas hidráulicas para moer a uva; um filtro para separar as impurezas; um monobloco para fazer o engarrafamento por bombeamento; uma enrolhadeira, uma encapsuladora e uma rotuladora.
Nas regiões produtoras de uva é comum a utilização desses equipamentos devido à exigência do MAPA, em relação ao certificado e registro de todo produto industrializado. “O município tem muito a ganhar, pois faz com que os nossos produtores de uva continuem produzindo ainda mais, mantendo as tradições e sua cultura, profissionalizando-se e qualificando seus produtos diante aos órgãos fiscalizadores, tornando nosso município referência na produção de uvas e derivados”, destaca Toniolo.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Divulgação/ PMC

Estão abertas as inscrições para a 8ª Mostra de Dança de Colombo


WEBMASTER 20 DE JUNHO DE 2016

 Nesta edição, os participantes poderão se inscrever em duas apresentações de gêneros musicais diferentes

Estão abertas até dia 30 de julho – as inscrições gratuitas para 8ª Mostra de Dança de Colombo – promovida pela Prefeitura de Colombo por meio da Secretaria de Esporte, Cultura, Lazer e Juventude.
Nesta edição, os participantes poderão se inscrever em duas apresentações de gêneros musicais diferentes, entre eles estão: a dança gauchesca, fandango, forró, maculele, catira, frevo, dança étnica (Italiana, Espanhola, Ucraniana, Japonesa, Grega, Africana, ETC), hip hop, break, street dance, jazz, dance, balé, samba, anos 60, tango, dança de salão, entre outros.
Vale lembrar que o evento acontece nos dias 07 e 08 de Agosto, e terá como cenário o Auditório da Regional Maracanã, localizado à rua Dorval Ceccon,664.  A ação visa incentivar a criatividade na expressão corporal; Fomentar a cultura através da dança no município; Educar através da arte difundindo valores; e oferecer acesso à arte e a cultura no município.
“A ordem das apresentações será definida e divulgada pela Comissão Organizadora, antes da data do evento por telefone ou pelo e-mail informado no ato da inscrição”, explica a diretora do departamento de Cultura, Rita Straioto.
Poderão participar da 8.ª Mostra de Dança de Colombo as Escolas Municipais, Estaduais, Particulares, CMEIs, Centros de Convivência, Projetos Pró Criando e Grupos independentes (Academias, Escolas de Dança, etc.) do município e Região.
A ficha de inscrição pode ser solicitada no Departamento de Cultura, pelo e-mail:cultura.colombo@yahoo.com.br ou pelos telefones: 3656.8041/3656-6423.
Serviço:
Inscrições gratuitas para 8ª Mostra de Dança de Colombo
Data: até dia 30 de julho
Local: Departamento de Cultura, pelo e-mail: cultura.colombo@yahoo.com.br ou pelos telefones: 3656.8041/3656-6423.

Instituto Lula usava funcionário pago pelo PT



Na busca feita pela Operação Aletheia no Instituto Lula, os investigadores apreenderam documentos, laptops e pendrives do funcionário Paulo Cangussu André.
A defesa de André está pedindo ao juiz Sérgio Moro a devolução desse material. Curioso, é que na lista dos bens requeridos estão um contrato de trabalho dele com o Partido dos Trabalhadores, além de avisos de férias etc.

Acusação grave pede resposta à altura


Com críticas repetitivas a vazamentos e aos delatores, a presidente Dilma desperdiça, de novo, a oportunidade de se defender

DA REDAÇÃO
21/06/2016 - 12h25 - Atualizado 21/06/2016 14h48
Presidente afastada Dilma Rousseff  (Foto: Ueslei Marcelino / Reuters)
Em seu primeiro depoimento de delação premiada na Operação Lava Jato, o lobista Zwi Skornicki disse que dinheiro de caixa dois irrigou a campanha da presidente Dilma Rousseff em 2014. Ex-diretor do estaleiro Keppel Fels, um fornecedor da Petrobras, Skornicki foi preso em fevereiro pela Lava Jato. No dia 8 de junho, assinou um acordo de delação premiada e começou a falar. O delator disse que João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, lhe pediu US$ 4,5 milhões, sem registro, para a campanha presidencial. O dinheiro, afirma, foi depositado numa conta na Suíça em favor de João Santana, marqueteiro da campanha de Dilma. É uma história muito parecida com a que contou Mônica Moura, mulher de Santana, ao admitir que recebeu via caixa dois dinheiro da construtora Odebrecht. O caixa dois na campanha presidencial, se confirmado, poderá reforçar o processo de cassação da presidente – e talvez do vice, Michel Temer – por crime eleitoral, a despeito do que ocorrer com o processo de impeachment no Senado.
Diante de uma acusação tão grave, esperava-se uma resposta clara e categórica da presidente. Dilma apenas divulgou uma nota em que classifica as acusações de Skornicki de “mentirosas e levianas”. São os mesmos adjetivos atribuídos em maio à delação de Delcídio do Amaral, ex-líder do governo no Senado. Adjetivos não bastam para desqualificar depoimentos que podem vir a ser corroborados por documentos e por outros depoimentos. Há um ano, Dilma disse: “Não respeito delator”. À medida que levam a provas e novas testemunhas, as delações são instrumentos importantes para fazer justiça.
Dilma afirma que “os recursos pagos a João Santana para a campanha da reeleição em 2014 totalizam R$ 70 milhões – R$ 50 milhões no primeiro turno e R$ 20 milhões no segundo turno”. Esses são os valores declarados ao TSE. Não estão em questão. As questões são: esse dinheiro declarado legalmente teve origem ilegal? Além do dinheiro declarado, houve caixa dois?Documentos e depoimentos reunidos pelo Ministério Público sugerem que sim. A Operação Lava Jato também recolheu várias evidências de que as doações eleitorais estavam servindo para legalizar dinheiro de propinas de esquemas de corrupção.
Na nota, Dilma diz que as acusações de Skornicki, divulgadas pela imprensa, têm origem em “delações vazadas seletivamente” pela Justiça. Ao atacar vazamentos, a presidente tenta confundir o público. Apurar e punir o vazamento de depoimentos cabe a corregedores. A presidente perde assim a oportunidade de se concentrar no principal: as acusações procedem? Repete a estratégia, até aqui fracassada, de sua defesa no processo de impeachment.

Ausência de aliados chama mais atenção do que a fala de Eduardo Cunha


Presidente afastado da Câmara dos Deputados deu entrevista por quase duas horas. Somente um parlamentar apareceu

TALITA FERNANDES
21/06/2016 - 18h32 - Atualizado 21/06/2016 18h46
Afastado da presidência da Câmara dos Deputados há mais de um mês, Eduardo Cunha falou nesta terça-feira (21) por mais de uma hora para tentar explicar as acusações que pesam contra ele. Sem trazer qualquer novidade, Cunha fez uma longa apresentação de sua vida política, atacou a presidente afastada Dilma Rousseff e voltou a repetir que é dono de trustes, e não contas, na Suíça, e que portanto não deve ser cassado do mandato de deputado federal.
Anunciada com um grande potencial “destrutivo” ou decisivo sobre o processo de comando da Câmara, a fala de Cunha foi malvista por parlamentares. Um aliado, que não quis se identificar, disse que a entrevista não entregou nenhuma novidade no processo de defesa de Cunha. “Talvez ele não tenha usado algo que estava se preparando, porque a impressão que dá é a de que faltou alguma coisa”, diz o parlamentar. Para um líder da Câmara, a forma como Cunha se expôs reflete a “decadência” a que ele chegou no cargo. Nos bastidores da Câmara, a repercussão foi de que a ausência de aliados na entrevista coletiva chamou mais atenção do que a própria fala de Cunha, que por si só não trouxe nenhuma novidade. O presidente afastado da Câmara chegou pontualmente às 11 horas para a entrevista e não foi acompanhado de nenhum dos seus principais aliados. O único parlamentar, além dele, a dar as caras no salão foi o deputado federal Mauro Lopes (PMDB-MG), que comandou a Secretaria de Aviação Civil nos últimos meses do governo Dilma Rousseff. Cunha permaneceu o tempo todo sozinho na mesa de onde falou por quase duas horas.
Cunha se disse vítima de ameaças de morte, embora não tenha identificado de que forma isso se manifestou contra ele e nem de quem partiu o ataque. O presidente afastado disse que seu direito de defesa está sendo “cerceado” e que um dos problemas é a falta de comunicação. Por isso, ele afirmou que voltará a falar com a imprensa com mais frequência.
O presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (Foto: José Cruz/Agência Brasil)
Questionado diante de rumores de que estaria negociando uma renúncia ao cargo de presidente da Câmara, Cunha negou. O Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu no dia 5 de maio afastar Cunha da presidência da Câmara e do mandato de deputado federal mediante acusações da Procuradoria-Geral da República de que ele estaria prejudicando as investigações. Nos bastidores, deputados aliados de Cunha admitem que aumentou a pressão para que ele renuncie à presidência. Contudo, segundo essas mesmas pessoas, ele só renunciaria se soubesse que teria como salvar seu mandato de deputado. O que não aconteceu até agora. Segundo os mesmos aliados, a hipótese de ele chegar a um acordo é remota sob a argumentação de que ele teria demorado muito para reagir. Na semana passada, o Conselho de Ética aprovou por 11 votos a 9 o relatório que pede a cassação de Cunha por quebra de decoro parlamentar por ter mentido sobre a existência de contas de sua propriedade na Suíça.
Na coletiva, Cunha se disse incomodado com a presidência interina de Waldir Maranhão (PP-MA) afirmando que o comando “causa desconforto a todos”. “Inclusive a mim”, disse. Na segunda-feria, Maranhão anulou uma consulta feita à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que poderia beneficiar Cunha no processo de cassação do mandato, já aprovado pelo Conselho de Ética. Aliados de Cunha, embora o encorajem a renunciar, admitem que a possibilidade de ele escapar da cassação é escassa. Na visão dos parlamentares, uma eventual renúncia em troca de alívio da punição pela Casa deveria ter sido negociada antes mesmo de o Conselho dar prosseguimento ao processo.
Enquanto isso, deputados já começam a discutir a sucessão de Cunha no comando da Câmara. Ter um aliado na presidência da Casa, por exemplo, é uma das formas de salvar a pele do peemedebista. Os deputados, porém, estão longe de conseguir chegar a uma solução. Enquanto o “Centrão” batalha por um nome próprio, uma ala do PMDB resiste a apoiar um candidato que não seja da sigla. Por outro lado, para evitar perder mais força, PSDB e PT não descartam a possibilidade de indicar um nome “neutro” para comandar a Casa e, com isso, evitar que o Centrão se firme no poder.
O peemedebista reservou ainda um espaço em sua fala para atacar a gestão do PT. “Não quero ser visto nem como herói, nem como vilão do processo de impeachment”, disse. “Mas vou carregar com orgulho a marca de ter livrado o Brasil do PT e de Dilma”, completou. Cunha voltou a dizer que foi procurado pelo ex-ministro da Casa Civil de Dilma Jaques Wagner para trocar apoio no Conselho de Ética em troca da negação do processo de impeachment. Ele disse ainda que já tinha tomado a decisão de abrir o processo para afastar Dilma no momento das conversas e negou que tenha agido por vingança. “A decisão estava tomada e guardada no cofre.”
A convocação de uma coletiva com antecedência, ainda no fim da semana passada, fez com que uma série de rumores florescesse em Brasília. Enquanto alguns aliados diziam que Cunha poderia renunciar à presidência da Câmara, outros cogitaram a possibilidade de ele se converter em mais um delator da Operação Lava Jato. “Não renunciei e não vou delatar. Para delatar é preciso ter cometido crime e eu não cometi”, disse Cunha.
O deputado, que já é réu na Lava Jato, pode ter outra ação penal aberta contra si. Na quarta-feira (22), o Supremo Tribunal Federal (STF) analisa a segunda denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra Cunha. Desta vez, o que está em questão é a existência de contas secretas na Suíça. Embora Cunha negue, a Procuradoria o acusa de ter abastecido as contas com dinheiro desviado da Petrobras, com dinheiro proveniente de uma operação da estatal em Benin, na África.

“A ligação entre o fim da Oi e o fim do PT é direta”



Hoje, a nossa newsletter traz a Reunião de Pauta em vídeo.
Mario Sabino e Diogo Mainardi falam de Odebrecht e Oi, "impérios" da era Lula que estão desmoronando. Como Lula.
Se você ainda não se inscreveu para receber a newsletter, basta colocar o seu endereço de email no campo do quadro abaixo. Ela será enviada no fim da tarde.
Caso haja alguma dificuldade, por favor, mande o endereço de email para:minhanewsletter@oantagonista.com
Boa Leitura!

Padrasto confessa estupro de enteada de 9 anos no interior de São Paulo


Estadão-6

Depois de ser acusado de estuprar a enteada de 9 anos, o vendedor autônomo J.M.S., de 41 anos, foi preso na segunda-feira, 20, após fugir de Brotas, no interior de São Paulo, no fim de semana. Ele confessou o estupro.
Após ouvir as queixas da filha, a mãe procurou a Polícia Militar, que prendeu o padrasto em Mineiros do Tietê, onde ele tem parentes.
A menina contou tudo para a mãe. “A mãe relatou que a filha estava sendo abusada desde abril”, afirmou o sargento Marques, comandante interino da PM de Brotas.
O padrasto, que teria até amarrado a criança, ameaçava a menina de morte. “Se contasse para a mãe dela, ele a mataria”, explicou o comandante.
Como não houve flagrante, o vendedor foi liberado após ser ouvido na Delegacia de Mineiros do Tietê. “A polícia concluiu que ele não vai atrapalhar as investigações em liberdade”, afirmou Marques.
No decorrer do processo, no entanto, a Justiça pode decretar a prisão preventiva. “A prisão preventiva é por 45 dias prorrogáveis por mais 45 dias”, finalizou o comandante.

Agenda de presidente da OAS aponta reuniões com Lula, Gilberto Carvalho e Dirceu


ldc
A Operação Lava jato apreendeu na casa de um funcionário da OAS uma agenda com o registro das reuniões, almoços e jantares com políticos, do presidente da empreiteira, José Aldemário Pinheiro, o Léo Pinheiro, logo após a deflagração da Operação Lava Jato. São encontros, a maior parte deles em hotéis de Brasília, com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com os ex-ministros José Dirceu e Gilberto Carvalho e com o ex-assessor da presidente Dilma Rousseff Charles Capela de Abreu – todos investigados pela Procuradoria da República. As informações são do Estadão.

A agenda foi encontrada em 14 de abril, nas buscas que tinham como alvo o funcionário da OAS Marcos Paulo Ramalho, secretário de Léo Pinheiro. Nas anotações, há registros ainda de encontros com parlamentares como Rodrigo Maia e Jutahy Magalhães – alvos de pedidos de investigação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
Listado pela Polícia Federal entre os itens recolhidos nas buscas da Operação Vitória de Pirro – em que Léo Pinheiro é acusado de se associar ao ex-senador Gim Argello para comprar parlamentares da CPI das Petrobrás, em 2014 -, o caderno preto com o nome da OAS em relevo na capa guarda ainda os registros de encontros com outros políticos, como Onix Lorenzoni, Índio da Costa e Paulo Skaf – presidente da Fiesp e candidato derrotado ao governo de São Paulo pelo PMDB, em 2014.
Preso em 14 de novembro, alvo da 7ª fase batizada de Operação Juízo Final e condenado pelo juiz federal Sérgio Moro – da 13ª Vara Federal, em Curitiba – , Léo Pinheiro negocia com a força-tarefa da Lava Jato um acordo de delação premiada, em busca de redução de pena. Sua rotina de encontros com políticos poderosos faz parte dos itens que a Procuradoria quer que o empresário detalhe.
As anotações do secretário de Léo Pinheiro surgiram após ele ser mandado para casa para cumprir prisão cautelar, por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF). Alguns dos nomes registrados são alvos de inquéritos ou pedido de investigação feitos pela PGR.
Na mesma agenda estão os encontros de Léo Pinheiro, a maioria em abril e maio de 2014, com outros presos da operação, como o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto e o lobista Julio Gerin Camargo, delator dos processos. Ele confessou ter atuado em parceria com Léo Pinheiro para blindar empreiteiras na CPI da Petrobrás.
PSDB. Há ainda nomes que não havia sido citados, de partidos como o PSDB. O deputado federal Jutahy Júnior (PSDB-BA) é um dos que integra a lista.
Jutahy afirmou que o encontro foi agendado a seu pedido. “Esteve comigo, da mesma forma que esteve comigo em 2010 e 2012.” O parlamentar afirmou que na ocasião foi acerta da contribuição de R$ 600 mil para sua campanha e para campanhas de deputados estaduais na Bahia. Desse valor, apenas a primeira parcela de R$ 300 mil foi paga, em agosto.
Outro nome que aparece na agenda de reuniões de Léo Pinheiro é o ex-deputado federal do PSB Alfredo Sirkis (RJ), um dos principais articuladores das campanhas de Marina Silva, em 2010 e 2014 – quando ela assumiu a disputa no lugar do ex-governador Eduardo Campos, morto em desastre aéreo durante a disputa eleitoral.
O ex-presidente Lula, procurado por meio da assessoria de imprensa do Instituto Lula, não comentou o caso.
Alfredo Sirkis não foi localizado para comentar o caso.
COM A PALAVRA, GILBERTO CARVALHO
“Gilberto Carvalho nunca se reuniu com o senhor Léo Pinheiro”
COM A PALAVRA, O DEPUTADO FEDERAL JUTAHY MAGALHÃES JÚNIRO (PSDB-BA)
O deputado Jutahy Magalhães Junior, do PSDB da Bahia, afirmou que esteve com Léo Pinheiro e que procurou o empresário para pedir doação eleitoral para sua campanha. “Ele (Léo Pinheiro) esteve comigo. Sou uma pessoa muito organizada na minha campanha. Nos meses de abril, maio e junho procuro os possíveis doadores, para saber se é possível me ajudarem. Em 2010 e 2012 a OAS ajudou a minha campanha e o PSDB da Bahia. Está tudo registrado, ou no diretório estadual ou na minha campanha. Então, em 2014, eu estive com ele e quis saber: ‘é possível que a OAS pudesse me ajudar?’. E ele disse sim e combinou fazer duas doações.”
O parlamentar disse que no encontro foram combinadas as datas das doações, a primeira a ser feita na primeira quinzena de agosto e a segundo em setembro. “
“Quem procurou fui eu, em função da campanha eleitoral, como fiz com outras pessoas”, explicou Jutahy. “Eu pergunto se pode ajudar e só digo uma coisa, não diga que pode e depois não ajude. Porque minha campanha é vinculada receita com despesa.”
O deputado disse que o encontro não teria ocorrido no dia 14. “Ele me ligou e disse que não poderia estar em São Paulo nessa data. Deve ter sido no final de abril.”
Ficou combinado que ele faria duas doações, mas no final das contas só uma se concretizou. Ele combinou doar R$ 300 mil em agosto, para o partido. Sendo que R$ 30 mil foi para minha campanha e R$ 270 mil para deputados estaduais.”

Maranhão demite diretor da TV Câmara após transmissão de pronunciamento de Cunha


O presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), durante sessão extraordinária - 08/06/2016
O presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), durante sessão extraordinária - 08/06/2016(Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O Diretor Executivo da Secretaria de Comunicação Social da Câmara dos Deputados, Claudio Lessa, foi demitido nesta terça-feira após a televisão da Casa transmitir o pronunciamento feito pelo presidente afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), Cunha está há um mês e meio impedido de exercer o mandato e, consequentemente, de continuar no comando da Câmara. Ainda assim, a equipe de televisão compareceu nesta manhã à entrevista concedida pelo peemedebista em um hotel em Brasília e transmitiu a fala dele, que durou mais de uma hora, na rede interna.
Responsável pela TV Câmara, Claudio Lessa é servidor de carreira e foi indicado para a diretoria da Secom por Cunha. Ele acabou demitido da função pelo sucessor do peemedebista na presidência, o deputado Waldir Maranhão (PP-MA), que está no posto de forma interina. Nesta segunda, em outra demonstração de força com Cunha, Maranhão retirou uma manobra que poderia ajudar o deputado afastado a escapar da cassação.

No pronunciamento realizado nesta manhã, Cunha se defendeu das ações a que responde na Justiça e no Conselho de Ética da Câmara e acusou o governo de tentar barganhar a sua absolvição no processo por quebra de decoro em troca do engavetamento do impeachment de Dilma Rousseff.
A declaração de Cunha foi transmitida ao vivo no site da Câmara dos Deputados e em um canal interno no YouTube. A medida provocou a reação de adversários do peemedebista, que pedem que ele devolva aos cofres da Casa o valor gasto com a transmissão.
Oficialmente, a assessoria da Câmara afirma que a decisão de Maranhão já estava tomada e que não está vinculada à programação desta terça-feira. Nos bastidores, no entanto, a demissão é justificada como uma forma de evitar que Cunha utilize a estrutura da Casa em benefício próprio.
O peemedebista está suspenso do mandato por, de acordo com o STF, usar o cargo para prejudicar as investigações da Lava Jato e o andamento dos trabalhos do Conselho de Ética. Nesta segunda, ele ingressou com um habeas corpus no STF pedindo para frequentar a Câmara para se defender no processo de cassação.

Empresa-fantasma investigada na Operação Turbulência pagou propina a senador e deputado, diz PF


Arthur e Benedito de Lira
Arthur e Benedito de Lira(VEJA.com/Folhapress)
Operação Turbulência, deflagrada pela Polícia Federal nesta terça-feira, descobriu uma ligação entre uma organização criminosa especializada em lavagem de dinheiro e o senador Benedito de Lira (PP-AL) e o deputado Arthur César Pereira de Lira (PP-AL), segundo revela documento sigiloso obtido por VEJA. Alvos da operação Lava Jato, os parlamentares teriam recebido propinas por meio de uma empresa-fantasma que integra um esquema espúrio que movimentou cerca de 600 milhões de reais desde 2010.
"Uma das empresas utilizadas pelo grupo criminoso sob apuração - a Câmara & Vasconcelos Locação e Terraplanagem Ltda. - fora beneficiária de recursos provenientes de empresas controladas por Alberto Youssef, mais especificamente a Empreiteira Rigidez Ltda. e a MO Consultoria Ltda. Tais repasses suspostamente teriam sido efetuados como pagamentos de vantagens indevidas ao senador Benedito de Lira e ao deputado federal Arthur Cesar Pereira de Lira, conforme acordos de colaboração premiada", diz a PF, em seu pedido de compartilhamento de informações da operação Lava Jato enviado ao Supremo Tribunal Federal, que deferiu o acesso ao inquérito envolvendo os parlamentares do PP.
rasgadinho - item 5 NOVO
(VEJA.com/VEJA)
As investigações que culminaram na Operação Turbulência se iniciaram em janeiro deste ano, após a PF receber um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), órgão de inteligência ligado ao Ministério da Fazenda. De acordo com o documento, as empresas Geovane Pescados Eireli e Câmara & Vasconcelos Locação e Terraplanagem Ltda registraram movimentações de recursos de forma atípica e suspeita. Ao longo das diligências, descobriu-se, então, que se tratavam de meras firmas de fachada, utilizadas para escamotear o fluxo de dinheiro sujo e o destinatário final. Tanto a Geovane Pescados, em nome de um pescador, como a Câmara & Vasconcelos Locação, de Paulo Cesar de Barros Morato, estão envolvidas na compra do jatinho Cessna Citation PR-AFA, que caiu em agosto de 2014 e matou o então candidato à presidência Eduardo Campos (PSB), ex-governador de Pernambuco.
"O modus operandi apurado até o momento é bastante assemelhado ao investigado no bojo da Operação Lava Jato", diz a PF, destacando que as informações da Lava Jato do inquérito envolvendo Benedito e Arthur Lira são de "extrema relevância". Apesar de não serem alvos diretos da operação Turbulência, os dois parlamentares são investigados em procedimentos que tramitam no Supremo Tribunal Federal (STF) por suspeitas de terem recebido propina de contratos fraudados na Petrobras. Lira-pai e Lira-filho já tiveram 4,2 milhões de reais em bens bloqueados por decisão do ministro Teori Zavascki, relator do petrolão no STF.
rasgadinho - item 5
(VEJA.com/VEJA)
Procurado, o senador Benedito Lira disse por meio de sua assessoria de imprensa que "não tem contato algum com o doleiro Alberto Youssef" e que "já prestou esclarecimentos à Polícia Federal". "O único recurso que o PP recebeu foi uma doação de campanha no valor de 400 000 reais, que foi declarada na prestação de contas do partido", disse. Procurado, o deputado Arthur Lira disse que não vai comentar.
Na Operação Turbulência, a PF prendeu os empresários João Carlos Lyra Pessoa de Melo Filho, Eduardo Freire Bezerra Leite, Apolo Santana Vieira e Arthur Lapa Rosal. Lyra e Apolo são apontados como os donos do jatinho que levava Eduardo Campos durante a campanha eleitoral de 2014. A Justiça também expediu 33 mandados de busca e apreensão e 22 de condução coercitiva.
rasgadinho - item 3
(V