Quem adiou a discussão sobre o foro privilegiado



Segue a lista dos sete deputados que suspenderam a discussão sobre o fim do foro privilegiado, na reunião da CCJ da última terça-feira:
- Delegado Edson Moreira (PR-MG)
- Delegado Waldir (PR-GO)
- Maia Filho (PP-PI)
- Max Filho (PSDB-ES)
- Tadeu Alencar (PSB-PE)
- Waldih Damous (PT-RJ)
- Cristiane Brasil (PTB-RJ)
Com o pedido de vistas, o relatório pelo fim do foro acabou não sendo votado. Agora, a PEC deve retornar à pauta da comissão em duas sessões.

Velocidade e falha nos freios foram causas de acidente que matou 18 estudantes em SP, diz perícia


Da Agência Brasil
prefeitura_de_bertioga
(Foto: Prefeitura de Bertioga)

O laudo pericial sobre o acidente ocorrido no dia 8 de junho na Rodovia Mogi-Bertioga, que provocou a morte de 18 estudantes, diz que o veículo trafegava em velocidade acima da permitida na via e tinha falha no freio. Elaborado pelo Núcleo de Física do Instituto de Criminalística, o laudo foi divulgado na noite de ontem (25) pelo secretário de Segurança Pública Mágino Alves Barbosa Filho.
“A conclusão é de que o veículo trafegava numa velocidade acima da máxima permitida na via e que o exame dos freios concluiu que eles apresentavam deficiência na frenagem devido ao desgaste excessivo dos tambores dianteiros, que deveriam ter sido substituídos por novos, demonstrando manutenção inadequada”, disse o secretário.
Segundo ele, o excesso de velocidade pode ter sido em decorrência dessa falha no freio ou então o motorista já dirigia em velocidade excessiva e, depois, houve a deficiência no freio. No trecho onde ocorreu o acidente, a velocidade máxima permitida é de 60 quilômetros por hora.
A investigação, de acordo com o secretário, prossegue na Delegacia de Polícia de Bertioga, que deve apurar quem era o responsável pela manutenção do veículo. “Há uma responsabilidade clara. O laudo aponta falta de manutenção e alguém, obviamente, era o responsável por essa manutenção”, afirmou Mágino.
O acidente ocorreu por volta das 22h50 do último dia 8, quando o ônibus fretado pela prefeitura de São Sebastião para o transporte de estudantes capotou no km 84 da Rodovia Mogi-Bertioga, entre o município de Biritiba-Mirim e de Bertioga, no litoral norte. O destino era a cidade de São Sebastião, no litoral paulista, para onde os passageiros voltavam depois de uma noite de aulas em universidades de Mogi das Cruzes.

Carro em perseguição bate em caminhonete, capota e por pouco não cai em lago no Parque Tingui


Por Marina Sequinel e Flávia Barros
(Fotos: Flávia Barros – Banda B)

Uma perseguição terminou com um acidente ‘cinematográfico’ no Parque Tingui, em Curitiba, na tarde deste sábado (25). Segundo testemunhas, uma caminhonete seguia por uma das ruas do local quando o veículo que era acompanhado pela Polícia Militar (PM) fez uma curva em alta velocidade e a atingiu em cheio.
Com o impacto, o carro capotou várias vezes e, por pouco, não foi parar dentro do lago. “Eu estava quase estacionando quando vi o veículo desgovernado vindo na minha direção. Ele deu na lateral da minha caminhonete, capotou, invadiu a pista do parque e só parou lá do outro lado. Logo depois veio a viatura da PM”, contou o motorista atingido, que preferiu não se identificar, em entrevista à Banda B.
Segundo informações apuradas no local, o rapaz de 23 anos, ocupante do veículo, tinha um mandado de prisão em aberto por estourar caixas eletrônicos. Uma grande quantidade de dinheiro foi encontrada dentro do automóvel. “No momento do acidente eu percebi que tinha dinheiro voando para tudo quanto era lado. A polícia recolheu e guardou tudo. Foi uma cena inesquecível, graças a Deus não havia ninguém na pista onde o carro capotou. Imagina só se esse lugar estivesse cheio”, completou o dono da caminhonete.
Ainda não se sabe se o veículo é roubado e se o suspeito fugia de algum roubo no momento do acidente. A jovem que estava com ele, de 24 anos, sofreu ferimentos moderados devido ao acidente e acabou encaminhada ao hospital. Já o rapaz foi preso e levado à delegacia, onde permanece à disposição da Justiça.


Foro privilegiado: "O Congresso não pode ser cego e surdo"



De Efraim Filho, relator da PEC do foro privilegiado na CCJ, a O Antagonista:
"O Congresso não pode ser cego e surdo. O fim do foro privilegiado é um dos assuntos mais expostos na sociedade, desde as manifestações de 2013. A pior resposta que o Congresso poderia dar seria engavetar, de novo, essa matéria."
O deputado acrescenta:
"É preciso esse avanço institucional, e também uma intensa mobilização da sociedade, como no caso da Ficha Limpa."
O Antagonista fará sua parte.

Pelo fim do foro privilegiado (há 10 anos)



Há dez anos e oito meses, foi apresentada na Câmara dos Deputados a primeira PEC que pede o fim do foro privilegiado. De lá para cá, um punhado de outras propostas no mesmo sentido também surgiram.
Nesta semana, os deputados repetiram o que fizeram ao longo de todo esse tempo em relação a esse assunto: nos enrolaram. A CCJ pediu vistas coletiva da análise do parecer favorável ao fim do foro.
Depois de passar pela CCJ, o assunto terá de ser apreciado por uma comissão especial, antes de chegar ao plenário.

Pai e filho de dois anos são mortos a tiros dentro de carro na RMC


Por Marina Sequinel e Flávia Barros
(Fotos: Flávia Barros – Banda B)

Um homem de 34 anos e o filho dele, uma criança de apenas dois anos, foram baleados em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, na manhã deste sábado (25). O pai morreu no local e o menino chegou a ser socorrido em estado gravíssimo ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos e também faleceu.
O caso aconteceu na Rua Presidente Tancredo Neves, próximo ao cruzamento com a Campo Largo, no Jardim Roma. Segundo informações apuradas no local, o homem tinha acabado de sair de casa de carro quando foi surpreendido pelos atiradores.
A criança, que estava no banco da frente com o pai, foi atingida na cabeça. Ela foi socorrida em estado gravíssimo para o Hospital Evangélico, em Curitiba, mas não resistiu. A mãe, muito abalada, contou à Banda B que o marido saiu para terminar um serviço de pedreiro e levou o pequeno junto, como fazia algumas vezes. Eles estavam a cerca de duas quadras da residência no momento em que foram atingidos.
O corpo dos dois devem ser recolhidos ao Instituto Médico Legal (IML) e a Polícia Civil investiga o caso.

Um exemplo da "indecisão" no Senado



Hélio José, também conhecido como Hélio Gambiarra, é um dos senadores "indecisos" em busca de holofotes - e outras coisas - nesta reta final do impeachment.
Suplente do governador Rodrigo Rollemberg (DF), ele chegou ao Senado filiado ao PT e, antes de desembarcar no PMDB, passou pelo PSD e pelo Partido da Mulher Brasileira.
Ao mesmo tempo em que tem fome por cargos em Itaipu no governo de Michel Temer, vislumbra o apoio de outros partidos, incluindo o PT, em uma eventual campanha para senador em 2018.
O PMDB do Distrito Federal enxerga Hélio José como "inexpressivo" e não abraçaria nenhuma tentativa de candidatura dele.

O carteiro e o poeta



O Antagonista acompanhou o caminho dos inquéritos de Lula da gaveta de Teori Zavascki até a escrivaninha de Sergio Moro.
Hoje eles ganharam as manchetes da Folha de S. Paulo e do Estadão:

(Folha de S. Paulo)
(Estadão)

Dupla é presa por tráfico de drogas dentro de terminal em Curitiba


Por Marina Sequinel e Flávia Barros
terminal-pinheirinho
Caso aconteceu no terminal do Pinheirinho. (Foto: Maurilio Cheli/SMCS)

Dois jovens, um de 20 e outro de 25 anos, foram presos por tráfico de drogas dentro do terminal do Pinheirinho, emCuritiba, na madrugada deste sábado (25). Equipes da Polícia Militar (PM) realizavam patrulhamento na região quando um passageiro denunciou a dupla.
“Uma pessoa avisou que viu dois indivíduos no banheiro do terminal, em atitude suspeita. Os policiais foram até o local e lá encontraram a dupla, com quase um quilo de maconha”, contou a sargento Márcia, da PM, em entrevista à Banda B.
Os jovens foram levados ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac-Sul) e autuados por tráfico de drogas.
Balanço da madrugada
No total, segundo a sargento, o Ciac recebeu seis ocorrências durante a madrugada, quatro encaminhadas pela PM e duas pela Guarda Municipal. Entre os crimes estão roubo e receptação; furto simples, onde a suspeita, de 50 anos, pagou fiança e foi liberada; e tráfico de drogas.

O STF vai homologar a delação da Odebrecht?


A Lava Jato teme a delação da Odebrecht.
Pela primeira vez, segundo a Época, “os investigadores se perguntam se as instituições serão capazes de absorver o gigantesco impacto que causará o que já foi entregue pela empreiteira e o que ainda está sendo negociado.
Há preocupação crescente de que, quanto mais robusta e ampla se torna a delação, mais inviável ela pode vir a ser na hora da homologação pelo STF.
A delação não poupa nenhum Poder da República ou partido político”.
Os procuradores não devem se preocupar com o alcance das denúncias. Quanto mais completo for o expurgo, melhor. A única dúvida é se a Odebrecht vai falar a verdade ou não.
O Antagonista desconfia daquela gente.

O fim das empreiteiras



O Estadão, assim como O Antagonista, defende que as empreiteiras condenadas pela Lava Jato sejam proibidas de assinar contratos com o setor público:
“De acordo com relatório do TCU, há provas suficientes para declarar inidôneas 16 empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato, proibindo-as de participar de licitações e firmar contratos com o poder público. Sendo mais um reconhecimento da amplitude da corrupção praticada durante os governos petistas, o resultado da auditoria do tribunal serve também de alerta sobre as tentativas enviesadas de alterar a legislação anticorrupção, com o intuito de abrandar as penas de quem fraudou o poder público. É hora de aplicar a lei, não de alterá-la…
Há também o risco de tentar abrandar as penas, com o falso argumento do impacto econômico que causaria a declaração de inidoneidade dessas empreiteiras. Foi o que tentou fazer, no fim do ano passado, a presidente afastada Dilma Rousseff quando alterou, com a MP 703/2015, algumas regras relativas aos acordos de leniência…
Os efeitos da declaração de inidoneidade não devem ser temidos pela sociedade. São eles muito positivos, a começar pelo reforço da ideia de que o respeito à lei é uma condição para contratar com o poder público”.

A lista do impeachment



Dilma Rousseff alegou que as pedaladas no BNDES bancaram empréstimos para pequenos e médios empresários.
Agora o BNDES mandou para a Comissão do Impeachment a lista de beneficiários desses empréstimos estatais.
A lista ridiculariza a mentira de Dilma Rousseff.
No documento reproduzido pela coluna do Estadão, aparecem algumas das maiores empresas do Brasil e do mundo.
A multinacional Vallourec, investigada na Lava Jato, foi a maior destinatária dos recursos das pedaladas, com mais de um bilhão de reais.
Em seguida, vem a Progress Rail, do grupo Caterpillar.
A Rumo e a ALL, que se tornaram uma empresa só, receberam 500 milhões de reais cada uma.
A lista prossegue com Vale, Sky, Cielo, Klabin, Ford.
As pedaladas serviram até mesmo para bancar a Petrobras, a principal estatal quebrada por Dilma Rousseff.
A Petrobras recebeu 400 milhões de reais diretamente do BNDES, e outros 350 milhões de reais por meio da Braskem, sua parceria com a Odebrecht.

"Dilma participava e sabia de tudo"



Eduardo Cunha, entrevistado pela IstoÉ, contou os detalhes da tentativa de golpe de Dilma Rousseff contra o impeachment.
ISTOÉ – O sr. disse que recebeu Jaques Wagner, em outubro do ano passado, em três diferentes ocasiões, nas quais ele lhe propôs um acordo para que o sr. livrasse a presidente do impeachment. Como se deu essa abordagem?
Eduardo Cunha – Obviamente que toda conversa política tem sempre os seus meandros, suas idas e vindas. Mas o que aconteceu clara e textualmente é que ele sentou para discutir pontos de governabilidade, tentando uma aliança comigo, para que pudéssemos andar juntos. E para isso, começou a oferecer votos no Conselho de Ética. Ele ofereceu textualmente algo que eu até reputei como ridículo, que foi a interferência do governo para que mantivessem a minha mulher (Cláudia Cruz) e minha filha (Danielle) no Supremo. O que eu já disse de pronto que eu não acredito nesse tipo de interferência. Não creio que o governo tenha esse controle de quem quer que seja. Refutei.
ISTOÉ – Aliados de Dilma vazaram a versão de que, na verdade, as conversas de Wagner com o sr. eram para te enrolar até que fossem aprovadas as metas fiscais.
Cunha – Quando dão uma desculpa dizendo que estavam querendo me enrolar, na verdade estão é confirmando que fizeram a oferta. E enrolar faz parte da natureza deles. Enrolaram o Brasil esses anos todos e deu no que deu. Minha pergunta é: estão querendo dizer que a presidente Dilma era a cabeça de um plano de enrolar o presidente da Câmara no intuito de aprovar um projeto? Na conversa do dia 12 de outubro, na Base Aérea, quando ele (Jaques Wagner) me ligou e marcou, ele saiu do nosso encontro e disse que naquela noite mesmo ainda conversaria com a presidente e que falaria comigo depois. Que era para relatar a conversa a ela. Então, a cada conversa, ele dizia que ia sair e que ia até a presidente para relatar. O que comprova, mais uma vez, que ela participava e sabia de tudo.