“Ele aparecia pegando dinheiro”, diz deputado

Candidato favorito na corrida para suceder o peemedebista Eduardo Cunha na presidência da Câmara, o deputado federal Rogério Rosso (PSD-DF) aparece recebendo propina em vídeo gravado pelo ex-secretário do governo do Distrito Federal Durval Barbosa. A acusação foi feita por duas testemunhas ouvidas por VEJA: o deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF) e o ex-gerente da Codeplan (Companhia de Desenvolvimento do Distrito Federal) Luiz Paulo Costa Sampaio.
Durval Barbosa é delator do escândalo do mensalão do DEM no DF, esquema de cobrança de propina de empresas que prestavam serviços ao governo do DF e responsável direto por abreviar o mandato do então governador José Roberto Arruda (ex-DEM). Às vésperas da eleição para o mandato-tampão na Câmara, Alberto Fraga e Luiz Paulo Sampaio aparecem como testemunhas do escândalo que pode minar as pretensões de Rosso. Os dois engrossam a lista das pessoas que dizem ter assistido ao vídeo em que Rogério Rosso aparece recebendo dinheiro. O primeiro de todos eles foi o técnico em informática Francinei Arruda Bezerra, que confirmou o episódio à justiça.
“Assisti [ao vídeo], mas faz tempo. O próprio Durval me mostrou. Tem vídeo dele [Rogério Rosso] e tem vídeo da mulher [esposa de Rosso, Karina Rosso]. Ele aparecia pegando dinheiro”, disse Fraga a VEJA. O deputado foi depositário das imagens por quase um semestre e as guardou em um lugar seguro. O motivo: Durval Barbosa tinha medo de morrer e não queria que as provas desaparecessem. O vídeo nunca veio a público.
“O vídeo não vai aparecer, mas o Durval tem. Não vai aparecer porque o Durval não tem interesse em botar isso para fora agora. Eu fiquei como depositário desses vídeos durante quase dois meses. Durval tinha medo de morrer”, afirma.
Luiz Paulo Costa Sampaio, que trabalhou com Francinei e com Durval Barbosa, também compromete o candidato à presidência da Câmara. Diz que ele próprio viu quatro vídeos do Rosso. Em um deles, descreve que o deputado estava de camisa clara, e, sozinho, recebeu “dois ou três” maços recheados de notas de 100 reais e guardou a propina em uma sacola de papel, como as de lojas de shopping. O ex-funcionário da Codeplan tentou fechar um acordo de delação premiada, mas não conseguiu.
A VEJA, o ex-servidor detalhou que, antes de repassar a propina, Durval exibiu os maços para que a Câmara pudesse captar as imagens. O dinheiro foi recolhido, segundo ele, de empresas de engenharia na parceria público-privada (PPP) que atuaria na construção do Centro Administrativo do Distrito Federal, uma obra que, segundo a controladoria-geral do DF, estava eivada de irregularidades.
O promotor Clayton Germano, que atua nas investigações da Operação Caixa de Pandora, contesta a existência do vídeo contra Rogério Rosso. “Falar de vídeo novo é politicagem, coisa de submundo”, diz. Segundo ele, Francinei não tem “credibilidade” e que apresenta versões conflitantes sobre a existência ou não de vídeos inéditos de políticos embolsando propina. “Não vamos dar corda para uma versão fantasiosa [de vídeo de Rosso]. A verdade não pode vir a conta gotas. Nas circunstâncias em que ele apresenta as informações, às vésperas da eleição na Câmara, parece politicalha”, afirmou.

Procurado, o deputado Rogério Rosso não foi encontrado.

Mulher de Cunha chama como testemunhas 2 ministros de Temer

A jornalista Cláudia Cruz, mulher do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), apresentou uma lista de 26 testemunhas de defesa no processo a queresponde pelos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas perante a 13ª Vara Federal de Curitiba, em primeira instância. Entre os chamados, estão dois ministros do governo interino: Maurício Quintella (Transportes) e Bruno Araújo (Cidades); e seis deputados federais: Jovair Arantes (PTB-GO), Gilberto Nascimento (PSC-SP), Hugo Motta (PMDB-PB), Felipe Maia (DEM-RN), Carlos Marun (PMDB-MS), e Átila Lins (PSD-AM). Jovair Arantes foi relator do processo do impeachment contra a presidente afastada Dilma Rousseff; e Hugo Motta, presidente da CPI da Petrobras, encerrada no ano passado.
A jornalista é suspeita de ter escondido recursos de propina em uma conta secreta no exterior, da qual era beneficiária final. De acordo com o Ministério Público, o empresário Idalécio de Castro Rodrigues de Oliveira pagou 1,5 milhão de dólares ao deputado Eduardo Cunha para ser beneficiado em um contrato de aquisição, pela Petrobras, para exploração de um campo de petróleo em Benin, na África. Parte desse dinheiro teria sido repassada para contas em nome de offshores ou trusts, que alimentavam o cartão de crédito usado por Claudia em compras de artigos de luxo e no pagamento de cursos aos filhos do casal no Estados Unidos e na Inglaterra.
A defesa de Claudia enumera o que considera como violação ao direito do contraditório e à ampla defesa e “ilicitudes da prova”, citando vícios no acordo de cooperação jurídica internacional e a não tradução de informações bancárias vindas da Suíça. Por fim, os advogados Igor Tamasauskas e Pierpaolo Cruz Bottini pedem que o processo seja paralisado, que a denúncia contra Claudia seja rejeitada por “manifesta inépcia formal e material” e que ela seja “absolvida sumariamente”.

A defesa também pediu à Justiça que devolva o passaporte da ré, uma vez que ela demonstrou “plena disposição em não se furtar a qualquer ato processual” ao comparecer para prestar depoimento diante do Ministério Público Federal.

Após perder a família em acidente, mulher decide doar, RINS, PULMÃO e FIGASO do filho


Foram retirados coração, pulmões, rins e fígado do adolescente de 14 anos.
Captação foi feita no Hospital Regional de Presidente Prudente.

Heloise HamadaDo G1 Presidente Prudente
Captação dos órgãos foi realizada no Hospital Regional de Presidente Prudente (Foto: David de Tarso/TV Fronteira)Captação dos órgãos foi realizada no Hospital Regional de Presidente Prudente (Foto: David de Tarso/TV Fronteira)
Foi realizada nesta terça-feira (12), no Hospital Regional (HR), em Presidente Prudente, a retirada de seis órgãos do adolescente de 14 anos que morreu vítima de um acidente de trânsito na Rodovia Júlio Budiski (SP-501), em Álvares Machado, no fim de semana. Segundo a Comissão Intra-hospitalar de Transplante de Órgãos do HR, foram extraídos o coração, os pulmões, os rins e o fígado.
saiba mais

O acidente aconteceu no último sábado (9) e, conforme o hospital, o adolescente já deu entrada na unidade com sinais de morte encefálica, que foi confirmada nesta segunda-feira (11). Ainda segundo a comissão, assim que é excluída a reversão do quadro, são realizados diversos exames clínicos. Dado o diagnóstico, é feita a entrevista com a família sobre a vontade ou não de doar. Em seguida, os órgãos são oferecidos de acordo com a fila única e cada equipe entra em contato com o hospital.
Desta vez, duas equipes do Instituto do Coração (Incor) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) compareceram para a retirada do coração e dos pulmões e uma de Sorocaba (SP), para a extração do fígado. Já os rins, foram retirados pela equipe da Santa Casa de Misericórdia de Presidente Prudente.
Pela ordem, deste paciente, foram retirados o coração, os pulmões, o fígado e os rins.
Foram retirados o coração, pulmões, fígado e rins (Foto: David de Tarso/TV Fronteira)Foram retirados o coração, pulmões, fígado e rins
(Foto: David de Tarso/TV Fronteira)
A decisão
De acordo com a enfermeira da comissão, Elaine Regina de Souza, responsável pela entrevista familiar, a doação só é abordada com os parentes de primeiro grau no fim do protocolo. "Constatado o óbito, precisamos conversar com a família do doador para explicar tudo o que aconteceu com o paciente e ela precisa compreender o que levou até aquela situação", disse ao G1.
A enfermeira ressaltou que a família autoriza a doação, caso o paciente tenha manifestado o interesse anteriormente. No entanto, se ele nunca abordou a questão, fica para os familiares a decisão. "Se falarem que não, anunciamos que será interrompido o suporte para poder liberar o corpo", salientou.
O acidente que vitimou o adolescente matou seu pai, de 40 anos, e sua irmã, de 19. Somente o jovem e seu sobrinho, de nove meses, foram socorridos e levados para o HR. As outras duas vítimas morreram no local da colisão entre uma caminhonete e um carro.
A família contou à comissão que um pouco antes do acidente eles estavam discutindo sobre a doação de órgãos e o pai e o garoto se mostraram favoráveis. “Quem autorizou a doação foi a mãe do adolescente, que perdeu a família toda. Ela só não seguia no carro porque estava recém-operada", frisou a comissão.
"Ela tinha somente esses dois filhos, mas ainda há o neto, que está internado", relatou a enfermeira.
Mãe decidiu doar os órgãos do filho de 14 anos (Foto: David de Tarso/TV Fronteira)Mãe decidiu doar os órgãos do filho de 14 anos
(Foto: David de Tarso/TV Fronteira)
Captações
A extração desta segunda-feira (12) é a 12ª do ano no Hospital Regional. Até o momento, conforme a comissão, foram retirados 75 órgãos, entre corações, pulmões, fígados, rins, ossos e córneas. Apesar do número, a quantidade é considerada "razoável", já que muitos órgãos foram perdidos por falta de transporte aéreo.
“Mas, com a autorização do uso dos aviões da FAB [Força Aérea Brasileira], mudou a situação. Hoje veio um fretado e um da FAB", destacou a comissão.
A captação teve início às 9h e encerramento às 13h55.
Colisão
O acidente foi registrado na noite do último sábado (9), na Rodovia Júlio Budiski, em Álvares Machado. A batida foi entre uma caminhonete GM A20, com placas de Santana de Parnaíba (SP), e um VW Parati, de Álvares Machado, e, na ocasião, deixou duas pessoas mortas e três gravemente feridas.
Colisão frontal foi neste sábado (9), na Rodovia Júlio Budiski, em Álavres Machado (Foto: Valmir Custódio/G1)Colisão frontal foi neste sábado (9), na Rodovia
Júlio Budiski, em Álavres Machado
(Foto: Valmir Custódio/G1)
Segundo informações da Polícia Militar Rodoviária, o VW Parati seguia no sentido Alfredo Marcondes-Presidente Prudente e a caminhonete transitava na pista contrária, quando se chocaram, por motivos a serem esclarecidos pela perícia, por volta das 22h, no km 17,5 da rodovia.
O VW Parati era ocupado por quatro moradores do Parque dos Pinheiros, em Álvares Machado. O condutor, de 40 anos, e uma passageira, de 19 anos, morreram no local. Eles eram pai e filha. Também estavam no carro o adolescente e a criança de nove meses.
Conforme a Polícia Rodoviária, a caminhonete era conduzida por uma mulher de 29 anos, moradora de Alfredo Marcondes, que foi encaminhada, também em estado grave, ao HR. A motorista se recusou a fazer o teste do bafômetro.
Conforme o Hospital Regional, o bebê de nove meses ainda segue internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas está bem e fora de risco. Já a mulher de 29 anos segue na enfermaria da unidade, também fora de risco. Não há previsão de alta para os dois.
Captação dos órgãos foi realizada no Hospital Regional de Presidente Prudente (Foto: Hospital Regional/Divulgação)Captação dos órgãos foi realizada no Hospital Regional de Presidente Prudente (Foto: Hospital Regional/Divulgação)
Foram retirados o coração, pulmões, fígado e rins (Foto: David de Tarso/TV Fronteira)Foram retirados o coração, pulmões, fígado e rins (Foto: David de Tarso/TV Fronteira)

Acusado de matar e cortar pênis de haitiano na Grande Curitiba é condenado a 20 anos de prisão


Da Redação

Acusado de matar um haitiano em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba, Elielmo Gomes da Silva, de 35 anos, foi condenado a 20 anos de prisão por homicídio qualificado nesta terça-feira (12). Ele responde pelo assassinato de Emanes Saint Louis, em setembro de 2013. O crime chocou a Grande Curitiba na época, uma vez que o haitiano teve o pênis decepado por Elielmo.
De acordo com o Ministério Público do Paraná (MP-PR), o réu segue preso e agora segue para cumprir a pena pela condenação por homicídio em Santa Catarina, onde já respondia por latrocínio. Como destacou o Tribunal do Júri de Campo Largo, houve “plena intenção em humilhar a vítima e sua honra, deixando uma mensagem velada de que merecia ser morta, o que merece extrema reprovação”.
De forma brutal, o haitiano teve o pênis decepado e foi assassinado com um corte no pescoço na casa em que morava de aluguel na Vila Operária, em Campo Largo. Na época, o superintendente Job de Freitas contou que o crime teve requintes de crueldade. “Além do pênis ter sido cortado e colocado na boca o rapaz estava com as mãos amarradas”, relatou.
Elielmo já foi encaminhado ao sistema prisional para cumprir a pena.

Homem morre atropelado após tentar atravessar Rodovia do Xisto; motorista fica em desespero


Por Luiz Henrique de Oliveira e Flávia Barros


reanimar
Socorristas do Siate ainda tentaram reanimar a vítima (Foto: Araucária no Ar)
Um homem de 64 anos morreu atropelado por um carro no início da tarde desta terça-feira (12). O acidente aconteceu na Rodovia do Xisto (BR-476) no perímetro urbano de Araucária, região metropolitana de Curitiba.
O Siate do Corpo de Bombeiros tentou reanimar Francisco Codomir Moinarovicz, mas nada pôde ser feito. O motorista envolvido no atropelamento ficou para prestar socorro e entrou em desespero ao ver que o pedestre morreu.
“O motorista buzinou e tentou evitar o atropelamento, mas estava muito em cima e não deu tempo. Conheço este senhor só de vista, ele costumava andar por aqui”, afirmou à Banda B uma testemunha do atropelamento.
O corpo será recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML).

Justiça aceita denúncia e ex-BBB Laércio vira réu em processo


 

Da Redação
laercio
Laércio está preso desde o dia 16 de maio. (Foto: Divulgação)

Justiça do Paraná aceitou a denúncia do Ministério Público do estado (MP-PR) contra o ex-BBB Laércio de Moura, de 53 anos, que agora passa a ser réu no processo. O tatuador foi acusado pelo MP-PR por estupro de vulnerável e tráfico de drogas.
Ainda não se sabe, no entanto, se a Justiça acatou a denúncia por um ou pelos dois crimes, já que o processo ocorre em sigilo. O ex-BBB foi preso no dia 16 de maio deste ano, suspeito de manter relações sexuais com uma menina de 13 anos no ano de 2012.
Após a exposição de Laércio no reality show, a adolescente, atualmente com 17 anos, prestou depoimento na delegacia e confirmou o envolvimento com o ex-BBB. “O consentimento é irrelevante, a lei diz que praticar qualquer ato libidinoso com menor de 14 anos é crime. Há uma presunção de violência e ela é absoluta. Não importa qualquer comportamento da menina, uma vez que ela tinha menos de 14 anos, e ele um homem de 40 e tantos anos, na época”, afirmou a promotora Tarcila Santos Teixeira em entrevista coletiva depois da prisão do tatuador.
Laércio continua detido preventivamente na Casa de Custódia de Curitiba.

Quadrilha de contrabando de cigarros comandada por médico e advogado é desarticulada pela Polícia Federal




Redação com PF

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (12), a Operação PLEURA, visando desarticular uma grande organização criminosa baseada no extremo Noroeste paranaense que utilizava uma nova rota fluvial para escoamento de cigarros contrabandeados.
Cerca de 100 Policiais Federais estão cumprindo 38 mandados judiciais, sendo 21 mandados de prisão preventiva e 17 de busca e apreensão, nos estados do Paraná (Loanda, Querência do Norte e Capanema), São Paulo (Tupã) e Mato Grosso do Sul (Naviraí).
As investigações iniciadas neste ano detectaram o uso intenso e diário dos Rios Paraná e Ivaí, na região de Querência do Norte/PR, para escoamento de cargas contrabandeadas de cigarros paraguaios, em potentes embarcações que saíam de Salto del Guairá, no Paraguai.
O poderio da organização gerou a criação de uma extensa rede de olheiros, carregadores e batedores que utilizavam armas e lanchas de apoio para viabilizar a atividade criminosa em diversas cidades da região.
Durante as apurações, constatou-se que dois irmãos residentes em Loanda/PR, um médico e um advogado, eram líderes do esquema criminoso. Além deles, uma família baseada na região também atuava intensamente na atividade ilícita, com diversos integrantes do grupo vinculados aos atos delitivos.
A atuação criminosa levou à necessidade de a Polícia Federal criar um grupo especial em Maringá/PR, cujo combate ao crime organizado na região, colocou a unidade nos primeiros lugares de produtividade no País.
O nome da Operação remete à membrana que protege o pulmão – principal órgão responsável pela respiração – em alusão à atividade delituosa enfrentada.
Mais informações a Polícia vai repassar em entrevista coletiva no final da manhã, em Maringá.

Prêmio milionário sai pela terceira vez para lotérica com nome sugestivo; aposta foi simples


Por Felipe Ribeiro e Luiz Henrique de Oliveira

Uma aposta simples feita na lotérica “Pé Quente”, em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba, é a grande vencedora de um dos prêmios milionários da Quina, sorteio realizado nesta segunda-feira (11). Este é o terceiro prêmio de grande valor que sai para uma aposta realizada na loteria, que anteriormente já havia sido contemplada com a Dupla Sena e com a Lotofácil.
lotericapequente
Foto: Reprodução Google Street View
Uma das responsáveis pela lotérica, Ângela Pangracio, disse à Banda B que é provável que o sortudo apostador seja morador da Capital da Louça. “A maioria das pessoas que usam a lotérica são moradoras da região central de Campo Largo. É raro que uma pessoa de fora da cidade venha até aqui fazer alguma coisa, mas não faço ideia quem pode ser esse vencedor”, comentou.
O acertador dos números 01 – 10 – 11 – 24 – 60 irá receber um prêmio de R$ 3.745.548,60. Um outro apostador de Maceió (AL) irá embolsar o mesmo valor.
Sobre o nome sugestivo da lotérica, Ângela brincou e disse que ficou sabendo em casa. “Eu ainda não sabia que lotérica era o vencedor e ainda disse, será que aconteceu de novo, e tivemos a confirmação”, concluiu.
Até o momento, segundo a Caixa Econômica Federal, o vencedor não retirou o prêmio.

Temer sanciona lei de medição individualizada de consumo d’água em condomínios


 

Estadão-6-6-3-1-1

consumoágua
Foto: EBC
O presidente em exercício, Michel Temer, sancionou nesta terça, 12, a Lei 13.312, que torna obrigatória a medição individualizada do consumo d’água nos condomínios.
A lei, publicada em edição extra do Diário Oficial da União, desta terça-feira (12), tem como objetivo aprimorar a sustentabilidade ambiental e fazer justiça àqueles que economizam a água da planeta.