Pacote anticorrupção será votado até o fim do ano, diz Rodrigo Maia


rodrigo-maia
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta terça-feira (19), em reunião com representantes do Judiciário e do Ministério Público, que a votação do pacote das 10 medidas de combate à corrupção deve ocorrer até o final do ano. Favoráveis às propostas, os representantes das entidades saíram satisfeitos após Maia dizer que vê a tramitação das medidas com “bons olhos” e prometer agilidade. As informações são do jornal O Globo.

Segundo a reportagem, os apoiadores dessas alterações na legislação já teriam inclusive estipulado uma data simbólica para a aprovação do texto: 9 de dezembro, Dia do Combate à Corrupção. “Como representantes da sociedade, temos que estar próximos dos que construíram esse texto e apoiá-lo. Essa é uma agenda prioritária. A superação da crise não é só na área econômica, mas na melhoria do controle e no aperfeiçoamento da punição dos que cometeram ilícitos”, disse Maia.
O democrata afirmou que deixou um canal aberto com os defensores do projeto. Segundo ele, os parlamentares poderão agregar ideias e propostas ao texto que está sendo discutido numa comissão especial da Câmara. “Vejo esse projeto com bons olhos. O que pretendemos, neste processo legislativo, é somar boas ideias às medidas e colocar o assunto na pauta”, completou o democrata.
Após o encontro, o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), relator da comissão especial que trata do tema, disse que vai elaborar um cronograma de trabalhos a ser apresentado no início de agosto, quando o Congresso volta do recesso branco. “Há um marco estabelecido: o dia 9 de dezembro. Nós queremos, até lá, estar com a matéria votada no plenário da Câmara. Esse é o objetivo que a comissão vai perseguir, inclusive por orientação do presidente Rodrigo Maia”, ressaltou.
De acordo com o presidente da Associação Nacional dos Juízes Federais (Ajufe), Roberto Veloso, que também participou do encontro, um dos desafios será aprovar no Congresso a extinção do foro privilegiado para parlamentares e autoridades. “Para combater a impunidade é preciso extinguir o foro privilegiado e permitir o cumprimento da pena após a condenação em segundo grau”, afirmou.
Na avaliação do presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República, José Robalinho Cavalcanti, as decisões prévias tomadas na reunião foram satisfatórias para a sociedade. “Ficamos muito felizes e satisfeitos, em nome da sociedade, ao ouvir que há um cronograma e uma tentativa de votar até o 9 de dezembro, que é um marco histórico internacional. Se nós chegarmos lá com essa etapa vencida, será um vitória para todo o país”, disse.
(foto: câmara deputados)

Sumitomo investe em fábrica de pneus na Fazenda Rio Grande


SUMITOMORUBBER (1)
A japonesa Sumitomo Rubber, fabricante dos pneus Dunlop, confirmou na semana passada investimento de R$ 487 milhões para a construção de sua primeira fábrica de pneus de caminhões no Brasil. Além da nova fábrica, a unidade de pneus para veículos de passeio será ampliada. A construção da nova unidade terá início em 2017 e vai se juntar à planta existente em Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba. O empreendimento tem o apoio do governo estadual, por meio do programa de incentivos fiscais Paraná Competitivo.

A Sumitomo quer garantir um fornecimento estável de pneus para o mercado interno brasileiro e, por isso, o investimento será dividido em R$ 104 milhões para a construção da infraestrutura da nova planta, R$ 208 milhões na compra de equipamento de produção e R$ 175 milhões na expansão da atual fábrica de pneus de veículos comerciais leves.
Com o novo investimento, a planta que hoje conta com mais de 1.200 funcionários, deverá gerar cerca de 160 empregos até o final de 2020. Entre diretos e indiretos serão 600 vagas. Em 2011, a Sumitomo instalou sua unidade de produção de pneus para veículos comerciais leves em Fazenda Rio Grande.
“O novo aporte da Sumitomo atesta o êxito do investimento inicial feito pelo grupo na implantação de sua fábrica, além de demostrar sua confiança no Paraná e na retomada do crescimento econômico nacional”, disse o governador Beto Richa.
NOVA FÁBRICA – A empresa, que atualmente importa os pneus de carga para o mercado interno, estuda o crescimento do segmento em cerca de 2% a cada ano de operação da fábrica, motivo que influenciou a decisão de investimento. A produção local de pneus de caminhões está programada para começar em março de 2019, com uma capacidade de 500 pneus por dia. Volume que deve ser aumentado, em resposta à mudança das condições de mercado. O mesmo se aplica aos truck centers da marca, que atualmente são 10 no Brasil.
DIFERENCIAL – O diferencial da nova fábrica de pneus de carga no Brasil é a adoção da tecnologia Sun System em toda a produção: “O Sun System é uma tecnologia japonesa de produção que permite a fabricação de pneus sem emendas. Esse sistema de produção aumenta consideravelmente a qualidade dos pneus, resultando em uma rodagem mais confortável, otimizando o tempo de resposta em manobras devido à maior uniformidade do produto. A nova planta será a primeira fábrica de pneus de carga no mundo a empregar essa tecnologia” afirma Shizuma Kubota, presidente da Sumitomo Rubber do Brasil. Os pneus de passeio produzidos no país já carregam essa tecnologia.
EXPANSÃO DA FÁBRICA – O anúncio de expansão ocorre três anos após a inauguração da primeira unidade fabril da Dunlop no País. A fábrica brasileira, considerada a mais moderna do Brasil, começou a produzir pneus para veículos de passeio em outubro de 2013 e atingiu sua capacidade máxima de produção no final de 2015, com 15 mil pneus por dia. A expansão da produção de pneus de passeio possibilitará alcançar o número de 18 mil pneus por dia até o final de 2019.
Reconhecida como uma das principais marcas de pneus do mundo, a Dunlop conquistou crescimento de 62% em vendas de pneus de passeio em 2015 e chegou a 10% de participação no mercado de reposição deste mesmo segmento. No mesmo ano, a empresa também iniciou a comercialização de pneus diretamente com as montadoras de veículos, já equipando modelos da Toyota, Volkswagen e da FCA (Fiat Chrysler Automobiles).
Essas conquistas ampararam a decisão de ampliação. “A decisão pela expansão e aporte reforça definitivamente nossa presença no mercado brasileiro. Ampliar o negócio propicia o abastecimento com a produção local e evita a variação de preço com a flutuação cambial e seus riscos inerentes à importação de produtos” completa Kubota.
CONFIANÇA – O diretor-presidente da Agência Paraná de Desenvolvimento (APD), Adalberto Netto, afirma que o investimento da Sumitomo é uma demostração da confiança da empresa no Paraná. “Apesar da crise que passa o Brasil, a Sumitomo acredita no Paraná e na segurança jurídica garantida pelo Estado. Hoje, o investidor sabe que se investir no Paraná terá a garantia que o negócio irá prosperar”, disse ele.
Em cinco anos, o programa Paraná Competitivo já atraiu R$ 40 bilhões em investimentos privados que geraram mais de 400 mil empregos. Adalberto Netto destaca ainda que o investimento da Sumitomo atrairá diversas fornecedoras para a região de Fazenda Rio Grande. “Assim como a Klabin transformou Ortigueira, a Sumitomo está mudando a realidade de Fazenda Rio Grande garantindo desenvolvimento social e econômico”, afirmou.
(foto: pedro ribas/aen)

URGENTE: TEMER DEMITE BITTAR DA TELEBRAS



Michel Temer acaba de demitir Jorge Bittar do comando da Telebras. Toda a diretoria será renovada, segundo a Folha.
Mais cedo, O Antagonista revelou que Bittar entregou um contrato de R$ 400 milhões para instalação de estações terrestres para expansão da banda larga ao consórcio EMC, presidido por Ronald Valladão, ex-assessor de Bittar.
O anúncio será oficializado amanhã.
No lugar de Bittar, assumirá Antônio Loss, executivo do setor de telecomunicações, que já trabalhou na Oi.

Fruet veta projeto que obrigaria bancos a ter vigilantes mulheres em Curitiba


Da Redação com CMC

O prefeito Gustavo Fruet o projeto que obrigaria bancos a contar com pelo menos uma vigilante mulher no quadro de funcionários. De acordo com publicação do Diário Oficial do município da última segunda-feira (18), a vigilante mulher deve partir da livre iniciativa das empresas de segurança e na relação de trabalho dessas empresas com os empregados. A proposta da Câmara obrigaria bancos a ter uma profissional encarregada de realizar revista em pessoas do sexo feminino.
vigilantes
Foto: CMC
Segundo a justificativa apresentada pelo prefeito, a exigência da contratação de vigilante do sexo feminino “atinge, direta e indiretamente, as empresas que prestam e fornecem mão de obra de segurança, o que implica na livre iniciativa das empresas de segurança e na relação de trabalho dessas empresas com seus empregados”. Além disso, explica que compete à União legislar sobre o tema.
O texto encaminhado pela prefeitura salienta que a vigilância exercida nos estabelecimentos bancários se trata de procedimento de iniciativa particular, pelo qual a pessoa é submetida para ter acesso a determinados lugares. “Trata-se, portanto, de relação jurídica regida pelo direito privado, em que predomina a autonomia da vontade. Logo, o consumidor não está obrigado a se submeter a essa imposição, porque se trata de proteção de direitos fundamentais como o direito à honra, à privacidade e à intimidade, garantidos no art. 5º, inciso III e X, da Constituição Federal”, considera.

Idoso escorrega em canaleta e fica gravemente ferido após ser atropelado por biarticulado


Por Felipe Ribeiro e Flávia Barros
atropelamentovilaizabel

Um idoso de 76 anos ficou gravemente ferido após ser atropelado por um ônibus da linha Santa Cândida/Capão Raso no começo da tarde desta quarta-feira (20) na Avenida República Argentina, no bairro Vila Izabel, em Curitiba.
De acordo com testemunhas, a vítima escorregou próximo do cruzamento com a Rua Sebastião Paraná e parte do rodado do veículo passou por cima do corpo.
Em entrevista à Banda B, o tenente Fogaça, do Corpo de Bombeiros, explicou que todo o lado direito da vítima acabou atingido, o que ocasionou uma grave hemorragia. “Não podemos precisar o que aconteceu. Algumas pessoas falaram que ele escorregou, mas no momento realizamos todo o trabalho para manter a vítima estável”, explicou.
A vítima foi encaminhada ao Hospital do Trabalhador e corre risco de morte.

Pais vão buscar filha de onze meses na escola e descobrem que ela foi esquecida trancada e sozinha


Por Luiz Henrique de Oliveira


O pai e a mãe de uma menina de onze meses passaram por momentos que querem esquecer no início da noite desta terça-feira (19) no bairro Bacacheri, em Curitiba. Eles afirmam que os responsáveis por uma pré-escola particular deixaram a filha do casal, de onze meses, trancada na instituição de ensino sem ninguém. A família já fez um Boletim de Ocorrência (BO) do caso junto à Polícia Civil por abandono de incapaz. Procurado, o departamento jurídico da escola reconheceu o “esquecimento”, lamentou  e garantiu que os funcionários envolvidos no caso já foram afastados.
rodrigo
Pai fez postagem sobre o caso na rede social Facebook (Foto: Reprodução Facebook)
Rodrigo Gomide, pai da menina, contou à Banda B como tudo aconteceu. “Ontem fomos buscar minha filha às 18h10. Tocamos o interfone e esperamos, mas não conseguimos contato. No muro da escola tem um buraco e consegui me abaixar e enxergar dentro da escola, o que começou a nos deixar extremamente preocupado, porque estava tudo apagado”, contou.
O pai descreveu que, neste momento, sua esposa começou a chorar, pensando no pior. “Ela ficou desesperada achando que poderiam ter entregue a minha filha a um estranho. Na hora ligamos para o 190 e tentamos contato com a página da escola no Facebook. Ela então conseguiu falar com a proprietária da instituição, que ficou pedindo por calma e disse que a coordenadora estava chegando para ver o que havia acontecido”, afirmou.
Em torno de 30 minutos depois, a coordenadora chegou e os pais tiveram uma surpresa que os deixou mais tranquilos, mas, ao mesmo tempo, revoltados. “A minha filha estava no fundo do berçário dormindo no carrinho. Simplesmente esqueceram que ela estava lá. Fecharam a escola, foram embora e se não conseguíssemos contato pelo Facebook minha filha provavelmente estaria morta agora de manhã”, reclamou Gomide.
Na noite de ontem, pai e mãe foram até o Centro de Atendimento Integrado ao Cidadão, o Ciac-Sul, onde fizeram um Boletim de Ocorrência (BO). “O número do BO é 2016/ 746815, por abandono de incapaz. Agora queremos que os responsáveis sejam identificados. Foi uma situação horrível que passamos, o pior passou por nossa cabeça”, concluiu.
De acordo com a Polícia Civil, o caso foi entregue ao 5° Distrito Policial, que faz a análise do caso para saber se o inquérito continuará no distrito de área ou se será levado ao Nucria (Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes).
Outro lado
O advogado da instituição, Rogério Faria da Silva, afirmou que a escola está averiguando os fatos e já tomou medidas necessárias. “Os responsáveis pela situação foram afastados e a escola está tomando todas as medidas cautelares necessárias para manter as suas atividades. Na parte da tarde emitiremos uma nota oficial. A instituição lamenta o que aconteceu por se tratar de um fato isolado, em uma escola que funciona há anos na capital”, disse.
Ele enviou, ainda, uma nota sobre o caso. Leia na íntegra:
Venho por meio desta, como advogado da instituição citada nas notícias sobre o caso da criança e a escola infantil, informar o seguinte:
Primeiramente cumpre observar que os procedimentos administrativos internos estão sendo realizados a fim de averiguar a realidade dos fatos.
A instituição lamenta o ocorrido, sendo este um caso isolado, não existindo qualquer situação semelhante em quatro anos de atividade.
A Instituição reforça seu comprometimento e cuidado no exercício de sua atividade, que compreende como de grande responsabilidade, garantindo medidas cautelares necessárias a fim de resguardar o correto e adequado exercício de suas atividades.
Cabe ainda observar, que os proprietários estão extremamente abalados e fragilizados com os fatos imputados à Instituição, ficando os mesmos à disposição para eventuais esclarecimentos e apoio necessário aos envolvidos.
A escola averigua ainda, a falha de seus colaboradores, sendo que de imediato realizou o afastamento de pessoa envolvida.

LULA NÃO EXPLICA COFRE



Esgotou-se o prazo dado pelo MPF para que Lula esclarecesse o armazenamento irregular, num cofre do Banco do Brasil, das centenas de peças de ouro, jóias e obras de arte recebidas de chefes de Estado e delegações estrangeiras quando era presidente da República.
O acervo pertence ao Estado, mas Lula se apropriou de tudo e escondeu num cofre registrado em nome de Marisa Letícia e Fábio Luis Lula da Silva.
De fato, não há o que explicar.

Esposa de jogador morto por PM chora e diz que marido nunca se envolveu em confusões


Por Elizangela Jubanski

casal-dentro
Casal tem um filho de 8 anos. Foto: Reproducao
A esposa do jogador morto pelo policial militar está a base de calmantes e não sabe dizer o que pode ter motivado o crime contra Gilson Camargo, 28 anos, no último domingo (17), em Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba. Fátima Camargo e o filho de apenas 8 anos passam boa parte do dia na casa da mãe dela. “Eu estou a base de calmantes, não estou dirigindo, consegui dormir hoje, meu corpo treme o tempo todo, horrível. Meu coração está um caco, não tenho nem como explicar. Tudo me lembra o Gilson, quando entro em casa fico em pânico”, disse, emocionada, à Banda B, em entrevista exclusiva na manhã desta quarta-feira (20).
Assim como amigos e familiares, a esposa afirma que o marido não gostava de confusão, de brigas e sempre a pedia calma em momentos tensos. “Eu acredito que não tenha acontecido nada de atrito. A gente era família, participava da Igreja, eu acredito que atrito não teve, ele não tinha boca para nada. Ele gostava muito de brincar, era muito brincalhão. Pode ser que alguém tenha levado por outro lado”, defende.
Há cerca de um mês, a pedido do marido, Fátima deixou de trabalhar para se dedicar à casa. “Ele era minha estrutura, meu marido, ele que pagava as contas, que ia atrás do que a gente precisava. Agora, preciso ser forte pelo meu filho, ele me pede forças e diz que está aqui comigo para o que der e vier, sinto que meu mundo acabou, mas preciso reagir por ele”, chora.
Fátima soube por meio da entrevista que o policial militar, que efetuou os disparos contra Gilson, pode ter a prisão preventiva decretada. “Meu Deus! Que notícia boa. Aquilo foi uma versão absurda, não tem cabimentos. Jamais, nem faca ele gostava que a gente mexesse perto do Eduardo. Sempre foi um exemplo de pai, marido, amigo. Muitas testemunhas estavam lá e quais dela ficaram do lado do PM?”, indagou.
Embora a família tenha sido destruída por um ato precipitado do policial, Fátima não quer guardar rancor. “Eu não desejo mal porque a Justiça de Deus faz tudo por nós. Eu não quero guardar rancor no meu coração, preciso passar bom exemplo para o meu filho e o Gilson não iria querer que eu mantivesse esse sentimento. Quero que a Justiça seja feita e ele pague pelo que fez”,  deseja a esposa.
Notícia
A esposa de Gilson contou que estava em casa, preparando o almoço, quando recebeu a visita de três amigos do marido. “Naquele dia, o Eduardo não foi porque estava muito frio, ele ficou dormindo. Eu estava fazendo almoço e desliguei as panelas para atender os amigos dele. Meu coração notou que não era coisa boa quando eles pediram que eu levasse o Eduardo para o quarto. Estou até agora vivendo esse pesadelo”, finaliza.
O caso
O crime aconteceu em uma cancha na Rua Júlio Guidolin, no Jardim Santa Rosa, na tarde de domingo (17). O time do policial disputava uma partida contra a equipe de Gilson. Em momentos diferentes, o representante foi expulso e o policial substituído no jogo. Os dois terminaram de assistir a partida pela arquibancada. A versão do policial é que ele perseguiu o representante, em direção ao estacionamento, por imaginar que ele estivesse armado, já que andava com as mãos na cintura.
O PM atirou três vezes contra Gilson. Imagens que circulam por meio das redes sociais nesta segunda-feira mostram uma garrafa de água sendo retirada da cintura do jovem, o que negaria a versão dada pelo policial. O PM, lotado na Ronda Ostensiva Tático Móvel (Rotam) do 22º, foi levado por uma viatura até a Delegacia de Campina Grande do Sul. De lá, após depoimentos, o policial militar foi para a casa e retornou à corporação para dar seguimento ao processo, mas segue em liberdade.
Prisão
Na manhã de hoje (20), o delegado de Campina Grande do Sul, Messias da Rosa, que comanda as investigações, disse à Banda B que as provas apresentadas revelam que houve crime de homicídio. “Até agora, tudo aponta que houve uma precipitação por parte do policial militar. Infelizmente, ele usou uma arma da corporação para praticar um crime e, pelas provas materiais e testemunhas, houve um homicídio”
Com base em provas, a Polícia Civil afirmou que pode pedir a prisão preventiva do soldado lotado na Ronda Ostensiva Tático Móvel (Rotam), do 22º Batalhão da Polícia Militar (BPM), suspeito de assassinar Gilson Camargo, 28 anos.

Delegado viu imagens, ouviu socorrista que atendeu jogador morto pelas costas e pode pedir prisão de PM


Por Elizangela Jubanski e Geovane Barreiro

campina-dentro-800x600
Crime aconteceu em uma cancha de futebol, domingo à tarde. Foto: DS/Banda B


gilson (1)
Gilson era representante comercial, casado e tinha um filho de 8 anos. Foto: Reprodução
A Polícia Civil afirmou que pode pedir a prisão preventiva do soldado lotado na Ronda Ostensiva Tático Móvel (Rotam), do 22º Batalhão da Polícia Militar (BPM), suspeito de assassinar Gilson Camargo, 28 anos, no último domingo. O delegado de Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba, Messias da Rosa, que comanda as investigações, disse à Banda B na manhã desta quarta-feira (20) que as provas apresentadas revelam que houve crime de homicídio. “Até agora, tudo aponta que houve uma precipitação por parte do policial militar. Infelizmente, ele usou uma arma da corporação para praticar um crime e, pelas provas materiais e testemunhas, houve um homicídio”
Além de imagens sem cortes apresentadas ao delegado, testemunhas de ambos os times foram ouvidas, assim como o bombeiro civil que prestou os primeiros atendimentos à vítima, com ferimentos nas costas.”Não somente as palavras deles, como levamos em conta as imagens colhidas praticando o ato do socorro. Esse bombeiro civil já foi ouvido e afirmou, com toda a certeza, que somente tinha uma garrafa pet de 500 ml de água junto ao corpo da vítima”, destacou.
As novas imagens apresentadas na delegacia mostram o momento do crime, sem cortes, e a vítima sendo baleada pelas costas, sem esboçar reação. “O policial militar agiu com precipitação e o crime é de homicídio”, disse.
Segundo o delegado Messias, o pedido de prisão preventiva poderá ser encaminhado ao Ministério Público e ao Poder Judiciário da Comarca. “Há uma grande possibilidade de ser decretada a prisão preventiva desse soldado nos próximos dias. Caso isso ocorra, ele será recolhido à sede da Companhia da PM ou no Quartel da PM, em Curitiba”.
No entanto, a finalização do inquérito precisa ainda de um fator determinante – a origem da arma apresentada pelo soldado acusado de homicídio. “Estamos nos aprofundando para descobrir se houve o crime de fraude processual, tendo em vista, que segundo levantamento de testemunhas ouvidas por essa autoridade policial, nenhum momento foi provado que a vítima portava arma de fogo. É muito importante sabermos a quem pertencia essa arma de fogo apresentada na delegacia”, descreveu.
O delegado afirmou que já solicitou apoio da Polícia Federal, responsável pelo cadastramento de armas, e também encaminhou ofício à fábrica de origem da arma. “Vai ser fácil identificá-la, não está com a numeração suprimida e resta a conclusão dos relatórios sobre a origem dela para que tudo seja finalizado”, concluiu.
O caso
O crime aconteceu em uma cancha na Rua Júlio Guidolin, no Jardim Santa Rosa, na tarde de domingo (17). O time do policial disputava uma partida contra a equipe de Gilson. Em momentos diferentes, o representante foi expulso e o policial substituído no jogo. Os dois terminaram de assistir a partida pela arquibancada. A versão do policial é que ele perseguiu o representante, em direção ao estacionamento, por imaginar que ele estivesse armado, já que andava com as mãos na cintura.
O PM atirou três vezes contra Gilson. Imagens que circulam por meio das redes sociais nesta segunda-feira mostram uma garrafa de água sendo retirada da cintura do jovem, o que negaria a versão dada pelo policial. O PM, lotado na Ronda Ostensiva Tático Móvel (Rotam) do 22º, foi levado por uma viatura até a Delegacia de Campina Grande do Sul. De lá, após depoimentos, o policial militar foi para a casa e retornou à corporação para dar seguimento ao processo, mas segue em liberdade.
Polícia Militar
A Polícia Militar (PM) se manifestou por meio de nota à imprensa um dia após o envolvimento do soldado no crime. Como de praxe, a corporação afirmou que o policial militar, que tem cinco anos de corporação, ficaria afastado das funções operacionais até o término do procedimento administrativo. A Banda B voltou a entrar em contato a assessoria da Polícia Militar (PM) sobre o novo episódio e foi informada que a corporação continua acompanhando as investigações e contribuindo com a Polícia Civil, sem dar detalhes efetivos do procedimento.

Com ajuda de soldados, grávida dá à luz em meio a congestionamento na BR-116


Por Marina Sequinel e Marco Piza
partodentro
(Foto: Soldado Stadnick)

Imagina só a cena: uma mulher prestes a dar à luz fica presa em um congestionamento em uma rodovia. Desesperados e sem saber o que fazer, marido e familiares descem do carro para pedir ajuda. Parece até cena de novela, mas foi exatamente isso que aconteceu na manhã desta quarta-feira (20) na BR-116, no bairro Tatuquara, em Curitiba.
E essa história teve um final feliz com o apoio dos soldados Guilherme Tissi e Cleiton Stadnick, do Regimento de Polícia Montada (RPMon). O bebê, chamado André, não quis esperar e acabou nascendo nas mãos dos PMs, em meio ao congestionamento.
“A gente já estava no fim do expediente, fazendo patrulhamento em frente à Central de Abastecimento do Paraná [Ceasa], quando uma senhora chegou pedindo auxílio. Ela nos contou que a filha dela estava em trabalho de parto e não conseguia chegar ao hospital, por causa do trânsito”, contou o soldado Tissi em entrevista à Banda B.
Os policiais começaram, então, a abrir caminho com a viatura, para que o carro da família passasse. “A bolsa já estava rompida e a mulher não conseguia andar. Uma quadra depois, nós vimos que o bebê começou a nascer. Paramos o nosso veículo e começos a orientá-la até a chegada do Samu. No fim, nós mesmos acabamos fazendo o parto”, completou Tissi.
Há quatro anos na corporação, ele afirmou que jamais tinha passado por uma experiência como essa. “No começo, a gente ficou preocupado, porque é uma mãe e uma nova vida ali, que precisam de cuidados, ainda mais a criança que é um serzinho tão delicado. Mas depois que tudo deu certo, o sentimento foi de uma felicidade enorme, não temos nem como descrever. Pensamos que só íamos ajudar uma mãe a chegar no hospital, mas ajudamos um bebê a chegar no mundo”, finalizou, emocionado.
A mãe e o bebê foram encaminhados a uma casa hospitalar e passam bem. Os pais do pequeno André já deixaram claro que os soldados serão amigos da família por toda a vida.