Saiba quem são os brasileiros suspeitos de planejar atentado


O grupo de brasileiros alvo da Operação Hashtag da Polícia Federal, que prendeu dez pessoas sob suspeita de tramar ataques terroristas durante a Olimpíada, inclui catorze nomes – alguns deles adotaram nomes árabes ou falsos para se comunicar nas redes sociais: Alisson Luan de Oliveira, Antonio Andrade dos Santos Junior (Antonio Ahmed Andrade), Daniel Freitas Baltazar (Caio Pereira), Hortencio Yoshitake (Teo Yoshi), Israel Pedra Mesquita, Leandro França de Oliveira, Leonid El Kadre de Melo (Abu Khalled), Levi Ribeiro Fernandes de Jesus (Muhammad Ali Huraia), Marco Mario Duarte (Zaid Duarte), Matheus Barbosa e Silva (Ismail Abdul-Jabbar Al-Brazili), Mohamad Mounir Zakaria (Zakaria Mounir), Oziris Moris Lundi dos Santos Azevedo (Ali Lundi), Valdir Pereira da Rocha (Valdir Mahmoud) e Vitor Barbosa Magalhães (Vitor Abdullah). Da lista, dois suspeitos foram conduzidos coercitivamente para depor e outros dois estão foragidos.
Levantamento de VEJA publicado nesta semana revela que 32 brasileiros juraram fidelidade ao Estado Islâmico. Pelo menos quatro deles, incluindo Vitor Magalhães e Antônio Andrade dos Santos (o último à direita e o primeiro à esquerda) estão entre os investigados pela Operação Hashtag.
Suspeitos – Mohamad Mounir Zakaria é brasileiro e dono de cinco empresas de confecção na região do Brás, bairro onde mora em São Paulo. As confecções de Zakaria, a exemplo da Raio Jeans Confecções, ficam na Rua Barão de Ladário. Ele também trabalhou na Rua Oriente, um dos principais pontos de venda do Brás, e é o 2º diretor de patrimônio da Liga da Juventude Islâmica Beneficente do Brasil, cuja mesquita fica no Pari, bairro próximo do Brás na capital paulista.
O sul-matogrossense Leonid El Kadri é mecânico em uma agropecuária em Campos de Júlio (MT), cidade onde vive. Ele já cumpriu pena de 18 anos e oito meses de prisão por homicídio e roubo qualificados. Durante o período em que esteve preso em Araguaína (TO), El Kadri chegou a fugir da prisão e se apresentou em Vila Bela da Santíssima Trindade (MT). Atualmente divorciado, ele estudou em uma escola evangélica, participou de um grupo escoteiro no Tocantins entre 1989 e 2000 e cursa engenharia mecânica na Faculdade Anhanguera.
Investigação – A Divisão Antiterrorismo da Polícia Federal monitorou mensagens trocadas pelos brasileiros em redes sociais, especialmente via Telegram e Whatsapp, e detectou conversas em que eles demonstravam apoio aos últimos atentados do Estado Islâmico e faziam referências a uma tentativa de compra de uma arma no Paraguai.
Um dos investigados entrou em contato, por e-mail, com um fornecedor de armas clandestinas naquele país, solicitando a compra de um fuzil AK-47. A PF não sabe se o grupo tinha apoio financeiro externo. “Houve pedido do líder [do grupo] para que começassem a pensar uma forma de financiamento, mas não houve [o financiamento em si]”, relatou o ministro.
Nas conversas monitoradas com autorização judicial, os suspeitos, que em parte utilizavam nomes fictícios para se identificarem, também discutiam táticas de guerrilha e propagavam intolerância racial, de gênero e religiosa. Pelo menos um menor de idade participava das conversas, enquanto dois dos brasileiros investigados já haviam sido condenados por homicídio. Foram interceptadas mensagens de comemoração pelas execuções feitas pelo grupo extremista no Oriente Médio e pelos recentes massacres em Orlando e em Nice.
As prisões e buscas na Operação Hashtag foram realizadas no Amazonas, Ceará, Paraíba, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Mato Grosso e Rio Grande do Sul. Uma ONG com atuação na área humanitária também é investigada por evidências de que fez palestras que incitavam o público a favor do Estado Islâmico. O presidente da instituição foi levado coercitivamente para prestar esclarecimentos.
O recrutamento do grupo preso nesta quinta-feira foi feito via internet, prática habitual do Estado Islâmico. Não houve contato direto do grupo de brasileiros com terroristas do grupo, embora um deles tenha informado nas mensagens trocadas que estaria disposto a viajar ao exterior para se encontrar com líderes extremistas.

Moro desbloqueia R$ 1,2 milhão de Otávio Azevedo

O juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em Curitiba, desbloqueou ontem 1,2 milhão de reais do ex-presidente do grupo Andrade Gutierrez Otávio Marques de Azevedo. O valor estava bloqueado desde junho de 2015, quando o empreiteiro, delator e réu na Lava Jato, foi preso na 14ª fase da operação, batizada de Erga Omnes.
Na decisão em que autorizou o levantamento do bloqueio, Moro afirmou que Azevedo já pagou a multa de 2,65 milhões de reais em seu acordo de delação. O juiz federal também considerou uma carta de ordem enviada pelo relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Teori Zavascki, determinando o cumprimento de uma cláusula de desbloqueio prevista no acordo de delação com o Ministério Público Federal.
Publicidade
A cláusula prevê que, após a homologação da colaboração premiada pelo STF, “serão levantados todos os bloqueios bancários realizados, bem como todas as demais restrições patrimoniais”. A delação de Otávio Azevedo e de outros executivos da Andrade Gutierrez foi homologada por Zavascki em abril.

Já o ex-executivo da empreiteira Elton Negrão de Azevedo, também delator e réu na Lava Jato, não teve a mesma sorte do ex-chefe. Embora tenha depositado a multa de 1,7 milhão de reais e seu acordo contenha a mesma cláusula de desbloqueio, Moro não lhe concedeu o benefício porque o STF não enviou ordem para tanto. Ele vai decidir a respeito após “melhor exame dos requerimentos” enviados pelo executivo ao Supremo. Negrão pede que retornem a suas contas bancárias 3,7 milhões de reais bloqueados pela Justiça.

"ACHEI QUE NUNCA SERIA PRESO" ASSISTA AO VÍDEO



João Santana prestou longo depoimento ao juiz Sérgio Moro. Na abertura da audiência, Moro disse que "não tem nenhuma dúvida dos talentos" do marqueteiro, mas que ele estava ali por causa de "outros problemas".
Santana fez um histórico de seus serviços ao PT. "Fui chamado durante a crise do mensalão e terminei fazendo a campanha de reeleição." O marqueteiro reiterou a divisão de tarefas entre ele (estratégia e criação) e Mônica Moura (financeiro). Feira falou também dos custos das campanhas e disse que seu lucro fica entre 10% e 18%.
Ele foi questionado sobre os depósitos ilegais na conta Shellbill feitos pelo operador Zwi Skornicki. Dinheiro desviado dos contratos da Keppel Fels com a Petrobras.
"Soube por Mônica que era uma dívida da campanha de 2010 da presidente Dilma. Era coisa de R$ 10 milhões. O partido (PT) sugeriu procurar o seu Zwi."
Santana, em seu depoimento, negou que soubesse da origem ilegal dos recursos, admitindo apenas a prática de caixa 2 - uma velha estratégia usada por Duda Mendonça no mensalão.
"É uma prática nefasta, de caixa 2, que é generalizada nas campanhas. É um ato ilegal. Sempre lutei contra isso." Ele disse que aceitou receber por fora para não prejudicar sua relação com o PT e achou que nunca seria preso.


"Não seria a pessoa a destruir Dilma"



Sérgio Moro perguntou a João Santana por que ele não confessou a existência de depósitos ilícitos no exterior para quitação de dívidas da campanha de Dilma Rousseff.
"Não queria romper o contrato de confidencialidade e achava que poderia prejudicar profundamente a presidente Dilma. Eu, que ajudei a eleição dela, não seria a pessoa que iria destruir a presidente."
"Eu sabia que isso poderia gerar um grave problema."

"FORTES INDÍCIOS DE IRREGULARIDADES GRAVES"



No despacho em que determinou a suspensão do contrato de quase R$ 400 milhões entre a Telebras e o consórcio EMC, o ministro Bruno Dantas disse que "são fortes os indícios de ocorrência de irregularidades graves nos processos licitatórios conduzidos pela Telebras".
A essas irregularidades, segundo ele, "se soma a constatação de que o diretor-geral da licitante vencedora se trata de ex-funcionário da Telebras, desligado em 1/10/2015, ano de início dos processos de aquisição".
"Mesmo que se considere que, em tese, tenha sido respeitada a quarentena prevista na Lei 12.813/2013, o tratamento da matéria, considerada a relevância e materialidade do objeto a ser contratado, recomenda o mais alto grau de cautela na avaliação da ocorrência de possíveis conflitos de itneresses que possam ter maculado os princípios que regem as licitações públicas."
"Causa espécie, ainda, a significativa variação de valores entre os certames realizados em 2015 e 2016."

TCU SUSPENDE CONTRATO DA TELEBRAS




O ministro Bruno Dantas decidiu suspender a contratação pela Telebras do consórcio EMC, cujo diretor-geral foi assessor de Jorge Bittar, presidente da estatal.
A denúncia foi feita ontem por O Antagonista.
O setor de inteligência do TCU confirmou a ligação entre o ex-assessor Ronald Valladão e a EMC, que venceu a concorrência.
Em despacho obtido há pouco pelo site, Dantas determinou à Telebras "que suspenda imediatamente os andamentos do RDC (Regime Diferenciado de Contratação) presencial, abstendo-se de celebrar contratos com a licitante vencedora".
Ele determinou, ainda,as oitivas da Telebras, do Consórcio EMC e da empresa Advantech Wireless Inc., para que, no prazo de 15 dias, manifestem-se no mérito sobre todos os fatos apontados na denúncia, alertando-os sob o risco de cancelamento da concorrência.

'Não imaginava', diz vizinho de suspeito preso por terrorismo no RS


Vizinhança foi acordada por volta das 5h com movimentação em estrada.
Homem de 26 anos morava há cerca de 20 dias em Morro Redondo.

Patrícia PorciúnculaDa RBS TV
Casa onde homem foi preso na manha desta quinta-feira (Foto: Patrícia Porciúncula/RBS TV)Casa onde homem foi preso na manha desta quinta-feira (Foto: Patrícia Porciúncula/RBS TV)
A prisão de um homem de 26 anos, suspeito de terrorismo, nesta quinta-feira (21) assustou moradores de Morro Redondo, no Sul do Rio Grande do Sul. A ação da Polícia Federal ocorreu na localidade de Açoita Cavalo, na área rural do município de pouco mais de 6,2 mil habitantes. Um homem de 64 anos diz ter sido acordado por volta das 5h com a movimentação na estrada.
Moradores foram alertados por movimentação em estrada (Foto: Patrícia Porciúncula/RBS TV)Moradores foram alertados por movimentação
em estrada (Foto: Patrícia Porciúncula/RBS TV)
Ele não quis se identificar, mas conta que, durante a ação da Polícia Federal, vizinhos chegaram a ser interrogados, mas foram liberados. "Não imagina isso (envolvimento do homem com terrorismo)."

O suspeito, segundo o vizinho, morava há cerca de 20 dias na localidade com a esposa, o filho e seu pai. E diariamente ele ia para Pelotas, a cerca de 38 quilômetros da cidade. "Ele (o homem preso) estava estudando em Pelotas.O pai dele o levava todo o dia." A reportagem da RBS TV chegou a ir na residência da família, mas não foi recebida.

Há duas semanas da Olimpíada
A operação contra o terrorismo da Polícia Federal foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (21) a duas semanas da Olimpíada do Rio de Janeiro. Dez pessoas foram presas em 10 estados, sendo que  uma das prisões cocorreu no Rio Grande do Sul.
Não foram dados mais detalhes sobre os motivos da prisão ou sobre o translado do suspeito para Brasília.
Batizada de "Hashtag", a operação investiga a possível participação de brasileiros em uma organização criminosa de alcance internacional, como uma célula do Estado Islâmico no país. Conforme o Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, o grupo era organizado de forma amadora.
De acordo com a Polícia Federal, o juiz Marcos Josegrei da Silva, da 14ª Vara da Justiça Federal do Paraná, expediu 12 mandados de prisão temporária por 30 dias, sendo que as detenções podem vir a ser prorrogadas por mais um mês.
Em entrevista coletiva concedida em Brasília no final da manhã desta quinta, o ministro da Justiça anunciou que a PF já havia cumprido 10 dos 12 mandados de prisão. Ele destacou que os 2 alvos que ainda não tinham sido presos estavam no "radar" dos policias e que, provavelmente, seriam presos em breve.
"Hoje, culminou na primeira operação onde uma suposta celula terrorista no Brasil foram presos 10 indivíduos. Isso é muito importante, que passaram a partir do nosso rastreamento de simples comentários sobre o Estado Islâmico", relatou Alexandre de Moraes na entrevista concedida na sede do Ministério da Justiça.
"A partir do momento que passaram para atos preparatórios, a partir do momento que saíram simplesmente, daquilo que é quase uma apologia ao terrorismo, para atos preparatórios, foi feita prontamente a ação do governo federal, realizando, em 10 estados, 10 prisões desses supostos terroristas que se comunicavam via internet, via grupos, Whatsapp e Telegram, complementou o ministro.

Suspeito de manter ligação com grupo terrorista é preso na Paraíba


Homem morava com os pais em casa no município de Cabedelo.
Mais 11 mandados de prisão foram expedidos em outros estados.

Dani FechineEspecial para o G1 PB
Suspeito de ligação com o grupo terrorista Estado Islâmico foi encontrado em Cabedelo e levado para Brasília. (Foto: Walter Paparazzo/G1)Suspeito de ligação com o grupo terrorista Estado Islâmico foi encontrado em Cabedelo e levado para Brasília (Foto: Walter Paparazzo/G1)
Uma das dez prisões de pessoas suspeitas de ligação com o grupo terrorista Estado Islâmico, que atua no Oriente Médio, nesta quinta-feira (21), aconteceu em Cabedelo, na Grande João Pessoa. Segundo informações da Polícia Federal, o suspeito foi preso na casa em que morava com os pais e levado para Brasília. O momento do embarque foi registrado com exclusividade pelo cinegrafista Walter Paparazzo.
A assessoria da PF na Paraíba não confirmou se o suspeito é paraibano ou se apenas foi preso no estado.
operação antiterrorismo aconteceu em todo o país a duas semanas do início da Olimpíada do Rio. Além da Paraíba, as prisões aconteceram no Amazonas, no Ceará, em Goiás, no Mato Grosso, em Minas Gerais, no Rio de Janeiro, em São Paulo, no Paraná e no Rio Grande do Sul, de acordo com a assessoria do Ministério da Justiça
Foram expedidos 12 mandados de prisão pela 14ª Vara da Justiça Federal do Paraná e os suspeitos ficarão presos temporariamente por 30 dias, podendo ser prorrogado por mais um mês.
Segundo o Ministério da Justiça, a Operação intitulada “Hashtag” encontrou as informações a partir de comentários nas redes sociais e mensagens de texto para “atos preparatórios” para atentados terroristas. "A partir do momento que saíram daquilo que é quase uma apologia ao terrorismo, para atos preparatórios, foi feita prontamente a ação do governo federal, realizando, em 10 estados, 10 prisões desses supostos terroristas que se comunicavam via internet, via grupos, Whatsapp e Telegram”, observou o Ministério da Justiça.

Estudo mostra que pernilongo é potencial transmissor da zika


Estadão

 
Uma pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) detectou o vírus da zika em mosquitos Culex quinquefasciatus – conhecidos popularmente como pernilongos – coletados na cidade do Recife, capital do Pernambuco. Segundo informações da Agência Fiocruz, o estudo, divulgado nesta quinta-feira, 21, confirma que a espécie é um potencial vetor do vírus causador da infecção.
perni
(Foto: Divulgação EBC)
Para realizar o teste, foram coletados mosquitos na Região Metropolitana do Recife. Culex infectados naturalmente pelo vírus da zika foram identificados em três dos 80 grupos de pernilongos analisados. Em duas amostras, os pernilongos não estavam alimentados – o que indica que o vírus não foi contraído pelo mosquito após picada recente em um hospedeiro contaminado.
Segundo a Agência Fiocruz, na região onde a pesquisa foi realizada, a população do pernilongo é cerca de vinte vezes maior do que a de Aedes aegypti – mosquito considerado o principal vetor do vírus. Pernambuco é o Estado brasileiro com maior número de casos confirmados de microcefalia, má-formação associada à infecção pelo vírus da zika.
Laboratório
Os pesquisadores também alimentaram os espécimes de Culex e Aedes com sangue e vírus. Depois, cada mosquito foi dissecado para a extração do intestino e da glândula salivar, que bloqueiam o desenvolvimento do vírus. Quando a espécie não é vetor de uma doença, o vírus é barrado pelo mosquito. Em caso contrário, ele se dissemina, infectando a glândula salivar, de onde será transmitido às pessoas por meio da picada. A pesquisa mostrou que foi possível detectar o vírus tanto no Aedes quanto no Culex.
Segundo a Agência Fiocruz, os resultados apontam para a necessidade de novos estudos para avaliar a participação do Culex na epidemia de zika.

"Prisões justificadas"



Do ponto de vista legal, sustenta o juiz federal Marcos Josegrei da Silva, responsável pela Operação Hashtag, as prisões de hoje estão devidamente justificadas.
"Não é um pré-julgamento, não está se afirmando que há uma célula terrorista em plena atividade. Está se afirmando que, diante das circunstâncias, a melhor medida para terminar a investigação foi essa (a prisão). Agora, dizer que era um grupo organizado que tinha a finalidade de cometer um ato terrorista com dados concretos, não posso dizer."

Terrorista de Nice teve apoio de várias pessoas e planejou ataque por meses


Estadão

Promotores franceses afirmaram nesta quinta-feira que a investigação sobre o homem que matou 84 pessoas atropeladas na semana passada, em Nice, parecia vir planejando o ataque desde o ano passado.
tunisiano
Reprodução Daily Mail
François Molins, que lidera a equipe de promotores, pediu a investigação de cinco pessoas por acusações preliminares de terrorismo. Todas elas já estão sob a custódia da polícia.
“A investigação não apenas forneceu mais confirmações de que houve premeditação do atentado por Mohamed Lahouaiej Bouhlel, mas também estabeleceu que ele tinha apoio e cúmplices na preparação do crime”, disse Molins.
Entre os detidos, alguns são suspeitos de fornecer uma pistola a Bouhlel, que ele utilizou para atirar em policiais enquanto dirigia um caminhão alugado sobre dezenas de pessoas que celebravam o Dia da Bastilha. A polícia também descobriu um arsenal de armas falsas na parte de trás do caminhão.
Paralelamente, equipes antiterrorismo conduziram buscas no subúrbio de Argenteuil, a 11 quilômetros de Paris, atrás de pessoas suspeitas de terem conexões com a rede de terroristas do país. A polícia cercou uma vizinhança e invadiu três casas. Cerca de 20 pessoas foram detidas. Fonte: Dow Jones Newswires.

Homem é preso suspeito de abusar de sobrinhos de dez e seis anos em Pinhais


Da Polícia Civil


Um homem de 58 anos, suspeito de abusar de seus sobrinhos de 10 e 06 anos, foi preso, no final da tarde desta quarta-feira (20), pela equipe de investigação da Delegacia de Pinhais, região metropolitana de Curitiba. O homem foi preso em um bar, no bairro Weisopolis, em cumprimento a um mandado de prisão preventiva por estupro de vulnerável.
PINHAIS
(Foto: Divulgação Polícia Civil)
As denúncias chegaram até a delegacia no início deste mês. Os pais das crianças souberam dos abusos através das próprias vítimas, que relataram o que estava acontecendo. Tanto os familiares que trouxeram o caso até a unidade quanto as crianças foram ouvidas na delegacia. Em seguida, as vítimas foram encaminhadas para a perícia e demais exames para comprovar a ação do suspeito.
De acordo com o delegado-titular da unidade, Haroldo Luiz Vergueiro Davison, o homem ainda será investigado por ter abusado de uma terceira vítima, de 12 anos de idade. “O suspeito é tio das vítimas e creio que tenha se aproveitado da relação de confiança da família para ter oportunidade de cometer os crimes”, afirma Davison.
Diante dos fatos o delegado representou pela prisão preventiva do suspeito, que foi expedida no mesmo dia pela Poder Judiciário do município. O homem foi encaminhado para o Centro de Triagem I, onde aguarda à disposição da Justiça.

Ladrão rouba e estupra mulher na frente da filha em Arapongas: “Se gritar, mato vocês duas”


Do TN Online


Uma mulher de 29 anos foi estuprada em Arapongas, no Paraná (PR), na manhã desta quinta-feira (21) durante assalto em sua casa, na Rua Araçari de Crista, no Conjunto São Bento. O bandido, armado com uma faca, invadiu a residência e anunciou o roubo. Ele levou certa quantia em dinheiro e o celular da vítima. Ainda antes de fugir, o bandido estuprou a moradora.
arapongas
(Foto: Reprodução WhatsApp
A mulher estava em casa na companhia da sua filha pequena durante a ação. O criminoso pediu para que ela tampasse os olhos da sua filha e que não fizesse nenhum barulho e nem reagisse, caso contrário, ele as mataria. Após o abuso, ele fugiu tomando rumo ignorado.
A vítima acionou a polícia por volta das 8h30. O Sistema de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também se deslocou até o local para atender a ocorrência. A mulher que estava bastante abalada e chorando muito, precisou ser encaminhada ao Hospital Santa Casa de Arapongas.
De acordo com a vítima, o rapaz branco de olhos claros vestia uma camiseta azul com estampa de caveira. A PM realiza diligência em toda região.