Teori libera para julgamento denúncia de corrupção e lavagem de dinheiro contra Gleisi e Paulo Bernardo


gleisi-e-paulo-bernardo
Ucho Haddad
É extremamente complicada a situação da senadora petista Gleisi Helena Hoffmann (PT-PR), a mais estridente e enfadonha integrante da tropa de choque da presidente afastada. O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou para julgamento na Segunda Turma do tribunal a denúncia apresentada em maio passado, no âmbito da Operação Lava-Jato, contra a senadora e seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo da Silva.
A data do julgamento será definida pelo ministro Gilmar Mendes, presidente da Segunda Turma. Os ministros do colegiado decidirão se transformam os dois em réus em ação penal ou pedem o arquivamento da mesma.

A denúncia, que deve ser aceita por Gilmar Mendes, revela que Gleisi, em lugar de estar apregoando a inocência de Dilma, deveria ocupar seu tempo tentando estruturar sua própria defesa.
Gleisi, Paulo Bernardo e o empresário Ernesto Krugler, segundo a Procuradoria-Geral da República, “agindo de modo livre, consciente e voluntário, promoveram, em unidade de desígnios e conjugação de esforços, a solicitação e o recebimento de vantagem indevida, em razão de funções públicas subjacentes aos dois primeiros, no montante de R$ 1.000.000,00”.
De acordo com a PGR, o dinheiro foi destinado à campanha de Gleisi ao Senado em 2010. O texto diz ainda que o ex-ministro Paulo Bernardo agia como “verdadeiro operador de sua esposa” e ambos sabiam da origem ilícita dos valores, o Petrolão.
Os três são acusados de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por suposto recebimento de valores desviados da Petrobras para a campanha de Gleisi. O procurador-geral afirma na denúncia que delações premiadas da Lava-Jato e provas obtidas a partir dos depoimentos apontam indícios suficientes do envolvimento do trio em atos de corrupção.
Na época da denúncia, os advogados de Gleisi e Bernardo disseram que as provas obtidas no inquérito comprovam que a senadora não recebeu propina do esquema de corrupção e que a denúncia se baseia em “declarações contraditórias e inverossímeis”. É um dever do advogado defender aquele que o contratou, mas não há como tergiversar diante do incontestável. A senadora foi acusada de recebimento de propina por seis delatores da Lava-Jato.
Senadora de primeiro mandato, a petista chegou a chefiar a Casa Civil no primeiro mandato de Dilma, mas deixou o primeiro escalão da máquina federal para concorrer ao governo do Paraná, em 2014. Acabou na terceira colocação da disputa eleitoral. Atualmente, a parlamentar paranaense integra a comissão especial do impeachment no Senado.
Ex-deputado federal pelo Paraná, Paulo Bernardo comandou o Ministério do Planejamento na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2011, quando Dilma chegou ao principal gabinete do Palácio do Planalto, Bernardo permaneceu no governo, mas trocou de pasta, transferindo-se para o Ministério das Comunicações. Ele deixou a Esplanada dos Ministérios somente ao final do primeiro mandato da agora presidente afastada.

Pai repreende filho após tiroteio na porta de boate em GO: 'Sai dessa vida'


Vídeo mostra momento em que o homem dá 'bronca' no adolescente; assista.
Jovem de 18 anos, que estava com o adolescente, morreu em troca de tiros.

Do G1 GO
O pai de um adolescente de 16 anos, envolvido em uma troca de tiros com a Polícia Militar (PM), repreendeu a atitude do filho após ele ser apreendido pela corporação, nesta sexta-feira (19), em Goiânia (veja vídeo acima). “Sai dessa vida, isso não é vida não”, disse o homem, que não quis ser identificado, ao menor. Durante o tiroteio, que aconteceu na porta de uma boate, um dos suspeitos, um jovem de 18 anos, morreu.
saiba mais

Conforme a polícia, o grupo era composto por quatro rapazes que estavam dentro de um carro roubado usando drogas. Eles tentaram fugir durante a abordagem policial.
O tenente Célio Moura da PM informou que eles começaram a troca de tiros com os policiais ao notarem que seriam abordados. Um jovem de 18 anos morreu, outro de 20 anos foi preso e o menor, de 16 anos, apreendido, mas o quarto envolvido conseguiu fugir.
Ao encontrar o filho, já apreendido pela PM, o pai se mostrou decepcionado e pediu que o garoto mudasse suas atitudes.
“Ontem, a hora que você foi sair para essa boate eu estava na igreja louvando a Deus, para ver se Deus te dá uma oportunidade. Muda, sai dessa vida, cara. Isso não é vida não, moço. Você podia estar ali e eu podia estar indo lá no IML fazer reconhecimento de cadáver. Cadê seus amigos para chorar por você aqui agora? Não tem nenhum”, disse ao filho.
“Eu saí do serviço para me ajudar a sair desse mundo dele aí. Hoje eu capino lote, eu roço lote, eu faço tudo. Isso é muito triste. O que eu falo para esse menino [é]: muda, muda que a vida, igual eu estou falando para você, a vida vai te cobrar. Isso para um pai é muito triste uma coisa dessas”, completou.
Pai encontra filho apreendido após troca de tiros com PM e o repreende Goiânia Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Pai encontra filho apreendido após troca de tiros com PM e o repreende (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
O pai afirma ainda que pediu à juíza Stephanie Fiuza em uma audiência no juizado da infância e juventude que internasse o filho em uma instituição para que ele se livrasse da dependência das drogas, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. No entanto, o homem afirma que teve o pedido negado.
A juíza informou à TV Anhanguera que o adolescente foi encaminhado para três instituições, mas não quis ficar. Ela disse ainda que não há unidade de internação obrigatória em Aparecida de Goiânia.
Carro roubado
Segundo a PM, o veículo em que os suspeitos estavam foi roubado na noite de quinta-feira (19). O dono do carro contou que os assaltantes que o abordaram estavam armados.
“Eu estava esperando o portão abrir. Eles estavam armados. Me abordaram, eu saí do carro, me bateram, depois me colocaram dentro do carro de novo, depois me tiraram do carro”, relatou o homem que não quis ser identificado.

Seleção feminina perde para o Canadá e fica sem o bronze no futebol


estadao_conteudo_cor


Brasil terminou a Olimpíada em quarto lugar. (Ricardo Stuckert/CBF)
Brasil terminou a Olimpíada em quarto lugar. (Ricardo Stuckert/CBF)
A seleção feminina lutou, tentou buscar um jogo que parecia perdido e ficou perto de levar a decisão do terceiro lugar para a prorrogação nesta sexta-feira. Mas não deu. Nos 15 minutos finais, o Canadá segurou a pressão (das brasileiras e da torcida que lotou Itaquera) e venceu o Brasil por 2 a 1 em São Paulo, conquistando a medalha de bronze do futebol nos Jogos Olímpicos
Prata nos Jogos de Atenas-2004 e Pequim-2008, a seleção feminina tentava voltar ao pódio após ficar de fora das semifinais há quatro anos, quando perdeu nas quartas para o Japão. Mesmo sem o bronze, numa demonstração de apoio, a seleção feminina deixou o gramado aplaudida pela torcida.
Na disputa pelo terceiro lugar, o Canadá foi superior nos 90 minutos. Já no primeiro tempo, as rivais do Brasil foram mais organizadas como equipe, sobretudo no setor defensivo. A proposta de jogo estava bem clara: atacar o Brasil no contra-ataque, explorando as laterais do campo. O gol marcado por Rose, aos 24 minutos do primeiro tempo, foi exemplo dessa estratégia.
Ao desperdiçar uma bola no ataque, a seleção brasileira se viu desprotegida na defesa. Lawrence ultrapassou Fabiana e teve calma e o tempo necessário para cruzar a bola na área. Rose só tocou para as redes e abriu o placar.
Antes do gol, o Canadá havia acertado a trave em uma falta cobrada por Sinclair e também já havia criado chances de perigo, rondando a trave de Bárbara.
Já o Brasil tinha problemas de criação. Marta estava muito bem marcada e a seleção, salvo em bolas aéreas, não chegava nem perto do gol canadense. O resultado é que a seleção brasileira sempre teve mais a posse de bola, mas não o domínio do jogo.
Logo após a volta do intervalo, o gol de Sinclair aos sete minutos do segundo tempo, também fruto de uma jogada pelas laterais, tornou a partida mais complicada para o Brasil.
A equipe brasileira buscou o gol, foi obrigada a se expor na defesa, mas conseguiu diminuir. Aos 33 minutos, Beatriz aproveitou uma bola na área e fez o primeiro da seleção, encerrando um jejum de 412 minutos sem gols nesta Olimpíada. A partir daí, o Brasil buscou o empate até o fim, mas não conseguiu levar a partida para a prorrogação.

Vereador é preso acusado de agredir e ameaçar a namorada na RMC



Da Redação
 
O vereador Ailton Alves de Oliveira, o Fenemê, foi preso em flagrante na tarde de ontem no bairro Apolo em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Ele é suspeito de agredir e ameaçar a namorada, além de resistir à prisão por parte da Guarda Municipal (GM).
feneme
Vereador foi preso em flagrante pelas agressões (Foto: CMC SJP)
A prisão aconteceu depois de vizinhos acionarem a GM. Se condenado, o vereador, que está no terceiro ano do mandato, pode pegar até quatro anos de prisão, de acordo com as informações da assessoria de imprensa da Polícia Civil.
Ainda de acordo com a assessoria, a investigação do caso fica a cargo da delegada Tatiana Guzela. A informação apurada pela Banda B é que o vereador participará na tarde de hoje de uma audiência de custódia e poderá responder em liberdade pelos crimes.
Banda B buscou contato com a assessoria de imprensa do vereador e ainda aguarda um retorno.

Em busca de cirurgia para filho com doença rara, mãe cria ‘vaquinha virtual’ e pede ajuda


Por Felipe Ribeiro
guilherme
Foto: Arquivo Pessoal

Com uma doença rara conhecida como Anomalia de Ebstein, o pequeno Guilherme Gutowski Barres, de 5 anos, vem lutando há pelo menos um deles para poder viver como uma criança normal. Cardiopatia na válvula tricúspide, a Anomalia de Ebstein provoca insuficiência cardíaca congestiva, acúmulo de líquido nos pulmões e aumento no tamanho do coração, que pode levar a certas perdas de função. Nessa luta, a mãe Caroline Gutowski dos Santos criou rifas e uma ‘vaquinha virtual’, que tem o objetivo de arrecadar R$ 57 mil para a cirurgia do filho, e trouxe o filho para tratamento em Curitiba.
guilherme2
Foto: Arquivo Pessoal
Em entrevista à Banda B nesta sexta-feira (19), Caroline contou que ela e o filho moram em União de Vitória, no sul do estado, mas a arrecadação ainda está muito abaixo do esperado. “Assim que recebemos a indicação médica para corrigir a válvula, buscamos um médico que é referência no tipo de tratamento. Esse especialista realiza o procedimento no estado de São Paulo e criou uma forma muito positiva para a cirurgia do Guilherme”, explicou.
Guilherme nasceu com a cardiopatia e, ainda aos 24 dias, sofreu uma parada cardiorrespiratória e foi parar em uma UTI de Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba. Na ocasião, a anomalia não foi identificada, mas a mãe sempre estranhou as cores roxas que o pequeno costuma ficar. Após uma forte dor de cabeça sentida pelo pequeno há cerca de um ano, a doença foi diagnosticada.
Segundo Caroline, eles estiveram em São Paulo nesta última semana e, com o orçamento pronto da cirurgia, perceberam que precisariam de ajuda. Quem puder ajudar o pequeno Guilherme com qualquer valor, pode entrar no sitehttps://www.vakinha.com.br/vaquinha/nosso-pequeno-grande-coracao/contribua.
Mais informações estão na fanpage de ajuda ao Guilherme: https://www.facebook.com/Luta-de-um-pequeno-Cora%C3%A7%C3%A3o-472630039583529/?fref=nf.

Médico suspeito pela morte de fisiculturista presta depoimento em Curitiba


Da Redação
Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal

O médico Raphael Suss Marques, suspeito pela morte da fisiculturista Renata Muggiati, prestou depoimento na tarde desta sexta-feira (19), em audiência no Juizado da Violência Doméstica, em Curitiba. Essa é a primeira vez que o réu e as testemunhas prestam depoimento à Justiça. A partir destes depoimentos que será decidido se o acusado vai ou não a júri popular.
raphaelsuss
Foto: José Vilson/TV Bandeirantes
De acordo com o advogado da família de Muggiati, Cláudio Dalledone, todos os citados no inquérito policial foram chamados para a audiência. “O Marques tem direito a defesa de todos os depoimentos, uma vez que o caso é muito tumultuado. O advogado vai perguntar, o assistente de acusação vai reperguntar, o promotor vai questionar, tudo para que ele tenha direito ao contraditório. São informações que podem ser confirmadas ou não”, explicou.
No começo do mês, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) chegou a pedir para que Marques passase a ser monitorado com tornozeleira eletrônica, mas o pedido foi negado pela Justiça. O pedido alegava que Marques estaria descumprindo medidas cautelares impostas para que fosse libertado, como voltar para a casa até às 21 horas. Segundo a decisão, o suspeito não tinha ciência da decisão.
Renata Muggiati morreu no dia 12 de setembro do ano passado após cair do 31° andar do prédio onde vivia. Inicialmente o caso foi tratado como suicídio, mas novos fatos apontaram para a possibilidade de um crime. No dia 25 do mesmo mês, a Justiça do Paraná decretou a prisão temporária do namorado da fisiculturista. O IML indicou que a morte de Renata aconteceu por asfixia e não pela queda.
Desde o início, Raphael nega as acusações. Porém, a Justiça recebeu em janeiro denúncia contra ele, que passou a ser réu no processo sobre a morte da modelo.

Em carta, família de PM mostra preocupação com criança e pede punição pelo ‘beijo da morte’


Por Luiz Henrique de Oliveira


A família do policial militar Rodrigo Federizzi enviou nota à imprensa, na tarde desta sexta-feira (19), em tom de desabafo. Mostrando preocupação com o filho de nove anos de Rodrigo com Ellen Federezzi, que matou o marido com um tiro na nuca, o documento pede por justiça a quem o policial confiou e lhe deu como resposta o ‘beijo da morte’.
PM
(Foto: Reprodução Facebook)
Segundo o documento, o sentimento da família é de indignação. “Estamos despedaçados, cada familiar e amigo que conheceu o Rodrigo e sabe a pessoa querida e amável que ele foi, sente a imensa dor que é perdê-lo. O sentimento é de indignação, principalmente pela forma brutal como tudo aconteceu e por todas as mentiras que estão sendo descobertas”, diz um trecho.
A nota também mostra preocupação com o filho do casal. “Saber o quanto ele trabalhou para dar o melhor ao seu filho e ter sua vida ceifada por uma pessoa em quem ele confiou cegamente e que, até o momento fazia parte da família, é ainda mais doloroso. Mas nossa maior preocupação agora é a criança que está envolvida nessa historia terrível e que, mesmo sem culpa nenhuma, terá sua
infância marcada por este trauma”, descreve outra parte do documento.
Por fim, a família diz não querer vingança. “Acreditamos que a justiça será feita e só assim poderemos acalmar nossos corações, tendo a certeza de que a pessoa que o tirou de nós está no lugar que merece. Queremos agradecer a todos os policiais civis e militares envolvidos na investigação, que não medem esforços para nos dar respostas, e também a todos que tem rezado por nós nesse momento de tanta tristeza, nosso sincero obrigado”, conclui a nota.
Caso
Rodrigo teria sumido na manhã do dia 28 de julho e a esposa registrou Boletim de Ocorrência (BO) no dia 30, alegando que ele tinha saído de casa para resolver assuntos pessoais. A esposa do policial foi presa na noite de quarta-feira (10) em casa, no bairro Tatuquara, em Curitiba, após perícia minuciosa feita dentro da residência da família que, por meio da substância química luminol, foi encontrado sangue humano no quarto e no banheiro.
A casa estava totalmente limpa e o produto reagiu ao composto quando analisado nos dois cômodos. Um serrote, também com marcas de sangue, foi encontrado dentro da casa. O mandado de prisão de Ellen é temporária, válida por 30 dias, e decretada pela 1ª Vara Criminal de Curitiba. Rodrigo trabalhava na Secretaria de Segurança Pública do Paraná, setor de monitoramento de tornozeleira eletrônica. Juntos, o casal tinha um filho de 9 anos.

OAS DELATA TOFFOLI



A delação premiada da OAS, assinada com a PGR, vai mandar Lula para a cadeia.
Mas ele não vai sozinho.
De acordo com a Veja, o dono da empreiteira, Léo Pinheiro, entregou também o ministro Dias Toffoli.
O STF vai explodir.


SÓCIO DE LULINHA SE ENROLA



Em seu depoimento à Polícia Federal, Fernando Bittar assumiu a compra de metade do sítio de Atibaia, mas não explicou como adquiriu a parte mais cara, pagando o valor da mais barata.
Bittar também admitiu ter feito benfeitorias no sítio, mas disse não ter qualquer relação com as obras da OAS no triplex do Guarujá. Não sabe sequer o endereço do edifício, embora seu nome conste do projeto da cozinha aprovado e de emails trocados com a empreiteira.
Não se preocupe, querido. Léo Pinheiro já explicou tudo à Lava Jato.

Toffoli beneficiou Léo Pinheiro



Com a delação de Léo Pinheiro, ficará claro o motivo por trás do esforço de Dias Toffoli em liberar o ex-presidente da OAS. Em abril do ano passado, o voto de Toffoli foi decisivo no julgamento do habeas corpus de Ricardo Pessoa, da UTC, que foi estendido a Léo Pinheiro.

STF e STJ na delação de Léo Pinheiro



Além de Dias Toffoli, Léo Pinheiro também entregou o ministro Benedito Gonçalves, que intermediava encontros entre os dois.
Vale lembrar que o ex-presidente da OAS foi preso na véspera do aniversário de Toffoli, para o qual foi convidado. Mensagens apreendidas no celular de Léo Pinheiro mostram Benedito combinando de se encontrarem na festa do ministro do Supremo.

Infecção por zika também afeta células cerebrais de adultos, aponta estudo



estadao_conteudo_cor


Uma nova pesquisa realizada por cientistas norte-americanos revela que a infecção por zika mata células-tronco neurais em camundongos adultos. De acordo com a pesquisa, publicada nesta quinta-feira, 18, na revista científica “Cell”, ainda não foi estudado se a morte dessas células tem algum efeito de curto ou longo prazo nos animais adultos.
Os fetos têm quantidade muito maior das células que dão origem aos neurônios e já foi provado que o vírus zika as destrói, causando microcefalia e outras más-formações. Em adultos, em menor quantidade, essas células são fundamentais para a memória e para o aprendizado.
A pesquisa foi feita por pesquisadores da Universidade Rockefeller e do Instituto La Jolla de Alergia e Imunologia, ambos nos Estados Unidos. Segundo eles, a maior parte dos adultos humanos não apresenta sintomas quando são infectados por zika, exceto febre e vermelhidão na pele.
No entanto, a crescente incidência da Síndrome de Guillain-Barré ligada à zika tem levantado suspeitas de que o vírus produza impactos negativos no cérebro adulto.
“Nós queríamos saber se o zika tem mais efeitos em neurônios em formação do que em qualquer outra parte do cérebro adulto. Descobrimos que há algo especial nessas células que permite que o vírus entre nelas e afete sua proliferação”, declarou um dos autores da pesquisa, Joseph Gleeson, da Universidade Rockefeller
“Esse é o primeiro estudo a investigar o efeito da infecção por zika no cérebro adulto. Com base nas nossas descobertas, ser infectado pelo vírus pode não ser tão inócuo para os adultos como se pensava.”
Gleeson teve a colaboração da infectologista Sujan Shresta, do Instituto La Jolla, que criou modelos de camundongos para estudar a ação do zika, “desligando” as moléculas antivirais que naturalmente ajudam os roedores a resistir à infecção. Os cientistas então injetaram uma linhagem atual do vírus na corrente sanguínea dos animais.
Três dias depois, segundo o estudo, os camundongos adultos foram analisados e os pesquisadores usaram anticorpos para identificar a presença do zika. Os cientistas descobriram que as partículas do vírus estavam cercando as células-tronco neurais. Nos seus cérebros, a proliferação dos neurônios em formação havia caído de quatro a 10 vezes.
“A formação dos neurônios em adultos está ligada ao aprendizado e à memória. Nós não sabemos o que isso significa em termos de doenças humanas, ou se os comportamentos cognitivos dos indivíduos podem sofrer impacto depois da infecção”, afirmou Shresta.