Nossa opinião: Sete juízes não substituem 144 milhões de eleitores


No julgamento de casos de cassação de registro de partidos, a Justiça Eleitoral deve equilibrar o cumprimento da lei com o respeito à soberania popular

19/08/2016 - 19h11 - Atualizado 19/08/2016 19h11
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pode se defrontar, em breve, com um caso sem precedentes. Na semana passada, o ministroGilmar Mendes, presidente do TSE, autorizou investigações contra PT, PMDB e PP para apurar se houve desvio de verbas da Petrobraspara o financiamento desses partidos. As investigações na Justiça Eleitoral são desdobramentos da Operação Lava Jato e podem culminar na cassação do registro desses partidos.
Até hoje, na história brasileira, houve apenas um caso de cassação de registro de partido pela Justiça Eleitoral. Em 1947, o TSE proibiu o funcionamento do então Partido Comunista do Brasil (PCB). A cassação do registro do PCB se deu com base numa interpretação da Constituição de 1946 que vedava o funcionamento de partidos políticos cujas ações contrariassem o pluralismo político e o regime democrático. O episódio se deu num contexto de mudança geopolítica. Estados Unidos e União Soviética  iniciavam a Guerra Fria – e o Brasil, então sob o governo de Eurico Gaspar Dutra, se alinhou aos Estados Unidos.
Fachada do TSE. Brasília (Foto:  Roberto Jayme/ASICS/TSE)
As circunstâncias agora são diferentes. A Lava Jato desvendou o maior esquema de corrupção e de desvio de dinheiro público para o financiamento de campanhas eleitorais da história do país. A lei de partidos políticos, de 1995, estabelece que os partidos que não prestam as devidas contas à Justiça Eleitoral e recebem recursos financeiros oriundos do exterior estão sujeitos à cassação do registro. No caso do PT, o lobista Zwi Skornicki delatou que a campanha da reeleição da presidente Dilma Rousseff, em 2014, foi financiada com recursos de propinas de fornecedoras estrangeiras da Petrobras enviados para contas secretas do marqueteiro João Santana na Suíça.
As acusações são bastante graves – mas, ao procurar que a lei seja observada, o TSE deve sopesar outras questões, como o protagonismo dessas legendas no cenário democrático. Por princípio, a Justiça Eleitoral deve procurar ser minimalista para equilibrar o cumprimento da lei com o respeito ao princípio da soberania do voto popular. Essa é a base do regime democrático, em que o poder deve emanar da vontade do povo.

A experiência histórica mostra que os eleitores sabem usar as urnas como instrumento de punição. No Brasil, vários políticos foram condenados à irrelevância depois de atingidos por escândalos de corrupção. Na Itália, os partidos atingidos pela Operação Mãos Limpas que antes dominavam o cenário político foram definhando eleitoralmente até sumirem do mapa. Isso ocorreu não em decorrência de uma decisão judicial, mas da decantação do processo político. É recomendável que os sete ministros do TSE, no exame desse processo, tenham prudência para não cair na tentação de substituir mais de 144 milhões de eleitores.

Diretor da Oi pagou mais de R$ 50 milhões para advogado fraudar clientes, diz PF


O esquema consistia em subornar um escritório de advocacia que defendia mais de 13 mil clientes em ações contra a companhia, em troca do encerramento das ações judiciais

ANA CLARA COSTA
19/08/2016 - 21h42 - Atualizado 19/08/2016 22h44
Eurico Teles (Foto: Mateus Pereira/Agecom)

Nota fiscal que consta na investigação do diretor jurídico Eurico Teles, da Oi (Foto: Reprodução)
O advogado Eurico Teles nunca foi sócio de uma grande banca do país, mas é figura de prestígio, daquelas capazes de impulsionar a carreira de juristas. Marcus Vinícius Furtado Coelho foi alçado ao posto de presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) depois de uma ostensiva campanha apadrinhada por ele. No Superior Tribunal de Justiça, o ministro Benedito Gonçalves refere-se a Eurico como “meu irmão branco”; em retribuição é chamado de “meu irmão preto”. O “irmão branco” apoiou a candidatura de Gonçalves a uma vaga no Supremo Tribunal Federal. Como diretor jurídico da operadora de telefonia Oi, Eurico contratou a mulher de Gonçalves, Santina, como advogada da empresa no Distrito Federal. Há 15 anos na Oi, ele sobreviveu a sete presidentes. É o único a chamar por “Carlos” o controlador da empresa até 2013, Carlos Jereissati, responsável por sua contratação.
Quando a Oi foi criada, a diretoria jurídica e a presidência foram escolhas de Jereissati. Para as áreas de engenharia e financeira, as cabeças eram escolhidas por Otávio Azevedo, presidente da Andrade Gutierrez, que detinha outra fatia de controle da empresa. Preso pela Operação Lava Jato, hoje Azevedo usa tornozeleira eletrônica. Na semana passada, o bem menos conhecido Eurico sentiu o desconforto da acusação.
O Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul, abastecido por uma investigação da Polícia Federal, o denunciou por formação de quadrilha, estelionato, patrocínio infiel e lavagem de dinheiro. Na peça apresentada à Justiça na terça-feira, dia 16, Eurico e outras três pessoas são acusadas de ter participado de um esquema de estelionato que, segundo a PF, lesou mais de 30 mil pessoas no estado. É suspeito de mais que isso, de contribuir para fraturar, por dentro, o casco da Oi, o gigante que exibiu um rombo de R$ 65,4 bilhões em um pedido de recuperação judicial apresentado neste ano.
O esquema consistia em subornar um escritório de advocacia que defendia mais de 13 mil clientes em ações contra a companhia, em troca do encerramento das ações judiciais. Em vez de enfrentar os clientes, era mais fácil comprar seu defensor. A ação começou quando Eurico Teles foi convocado a propor soluções para reduzir o tamanho do passivo da Oi, fruto de sua criação. Em vez de manter a estratégia de tentar reduzir na Justiça os valores das ações judiciais, usada até ali, Eurico preferiu contratar o tal escritório, do advogado Maurício Dal Agnol. Ele se destacara por conseguir bloquear várias ações na Justiça estadual. Pelo acerto, a Oi se comprometia a pagar R$ 50 milhões a Dal Agnol para que os processos de seus clientes fossem encerrados por 50% do valor já depositado pela própria empresa em juízo, à época R$ 638 milhões. Desta forma, a Oi conseguiu recuperar cerca de R$ 300 milhões.
As investigações que descobriram as fraudes em ações judiciais contra a Oi alcançaram Eurico depois que a Polícia Federal apreendeu, em 2014, um contrato particular firmado por ele e por Dal Agnol. O delegado Mario Luiz Vieira, da PF de Passo Fundo, mantinha 200 inquéritos abertos para investigar fraudes nas disputas com a Oi no estado. O esquema foi desmontado quando a PF deflagrou a Operação Carmelina, em fevereiro de 2013. O nome é uma homenagem a uma das clientes do advogado, que morrera de câncer sem ter recebido o dinheiro que a Justiça lhe determinara. Em uma ação de busca e apreensão, os policiais descobriram uma sala secreta na casa de Dal Agnol. Lá estavam pilhas de documentos sobre seus negócios com a Oi, inclusive o contrato firmado com Eurico Teles para garantir a vitória nas ações judiciais.
Ao longo da investigação, a PF descobriu que circularam entre 2009 e 2013 R$ 2 bilhões pela conta do escritório e de empresas de fachada de Dal Agnol, sendo que apenas uma ninharia foi repassada aos acionistas minoritários da Oi. Assim, Dal Agnol decidiu ficar com muito mais que os R$ 50 milhões firmados em contrato. Ele embolsou boa parte dos outros R$ 300 milhões que serviriam para ressarcir seus clientes, cujas ações, em muitos casos, já haviam transitado em julgado. O destino desse dinheiro ainda será rastreado. Assim, durante a negociata, a Oi também era lesada porque, estranhamente, em alguns casos o “acerto” com os advogados saía mais caro que a ação.
O advogado Maurício Dal Agnol AO SER PRESO,2014 (Foto: Agência RBS)
A PF rastreou a passagem de R$ 2 bilhões pelas contas do advogado Maurício Dal Agnol (Foto: Reprodução)
Segundo os investigadores, Dal Agnol conseguiu a proeza porque, como advogado das partes autoras, tinha a prerrogativa de movimentar alvarás em nome de seus clientes. Inclusive alvarás que permitiam o saque de depósitos judiciais feitos pela Oi . Era um negócio fácil para ele e Eurico. Um funcionário de Dal Agnol percorria o estado em busca de donos de antigas linhas telefônicas e os convencia a processar a Oi. Depois era só negociar o valor das ações com a Oi. Alguns processos de clientes lesados por Maurício Dal Agnol e, consequentemente, pela Oi também foram parar na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) depois que um dos conselheiros fiscais da empresa questionou os valores pagos em ações judiciais. A reclamação foi convertida em inquérito administrativo que tramita na autarquia.
Procurada por ÉPOCA, a Oi afirmou, por meio de nota, que o “departamento jurídico da empresa ainda não foi cientificado, formal ou informalmente, acerca do ajuizamento de uma ação penal”. A Oi diz que seus advogados recebem a informação com “estranheza”, pois, “por diversas vezes, os órgãos investigativos” afirmaram que a operadora ou seus representantes legais não eram investigados. A Oi diz que sempre atendeu aos pedidos de informação feitos pelos investigadores.  O advogado Maurício Dal Agnol não respondeu aos pedidos de entrevista.

Crianças participam de ação em apoio às Medidas Contra Corrupção: “Queremos um país melhor”


Por Luiz Henrique de Oliveira e Flavia Barros
arena 2
Crianças estavam empolgadas em participar do movimento contra corrupção (Fotos: Flávia Barros – Banda B)

Cerca de 50 crianças, entre nove e doze anos, realizaram na manhã deste sábado (20), na Arena da Baixada, em Curitiba, uma ação de apoio às 10 Medidas Contra Corrupção, que aguardam aprovação na Câmara dos Deputados, em Brasília. Inicialmente, o evento deveria acontecer na Praça Afonso Botelho, mas devido à chuva o grupo se deslocou ao estádio do Atlético Paranaense.
arena 1[
Evento aconteceu na Arena da Baixada
O evento foi organizado pelo movimento Mude, que busca a mobilização popular para a aprovação das medidas, conforme descreveu à Banda B a diretora executiva Patrícia Alves Ferman.
“Nós entendemos que as dez medidas precisam chamar a atenção e têm que ser votadas integralmente, sem alterações. É necessária uma mobilização popular para pressionar os deputados”, afirmou.
Izabel Louise Vaigter, de 11 anos, era uma das crianças no evento. Afiada, ela falou sobre as medidas contra a corrupção.
“É um projeto para tornar o nosso país melhor. Foi muito importante para mim fazer parte disso, colhendo assinaturas. Eu sei de cor todas as medidas e a mais importante é a questão do dinheiro roubado que terá que ser devolvido integralmente”, contou.
A pequena notável ainda deixou um recado aos políticos corruptos. “O que eles fazem errado, nós vamos tentar fazer diferente”, disse.
Connheça abaixo as 10 Medidas Contra à Corrupção:
1-Prevenção à corrupção, transparência e proteção à fonte de informação
2-Criminalização do enriquecimento ilícito de agentes públicos
3-Aumento das penas e crime hediondo para corrupção de altos valores
4-Aumento da eficiência e da justiça dos recursos no processo penal
5-Celeridade nas ações de improbidade administrativa
6-Reforma no sistema de prescrição penal
7-Ajustes nas nulidades penais
8-Responsabilização dos partidos políticos e criminalização do “caixa dois”
9-Prisão preventiva para evitar a dissipação do dinheiro desviado
10-Recuperação do lucro derivado do crime

Uber libera pagamento em dinheiro na próxima semana em Curitiba


Da Redação

uber
Aplicativo está em processo de regulamentação em Curitiba. (Foto: Banda B)
A partir da próxima quarta-feira (24) o aplicativo Uber disponibilizará aos usuários mais uma opção de pagamento. Os usuários poderão pagar as corridas com dinheiro. Até então, o pagamento é possível via cartão de crédito.
Segundo a assessoria do Uber, a opção não será liberada para todos os usuários. A forma de pagamento aparecerá para todos gradativamente. Ainda de acordo com a assessoria, uma pesquisa realizada pelo Uber, mostrou que muitas pessoas não concluíam o cadastro no aplicativo porque era solicitado o número do cartão de crédito.
O pagamento em dinheiro já é permitido em algumas cidades do Brasil.

Polícia divulga retrato falado de assaltante que deixou morador do São Braz em estado grave


Da Redação


rosto
Polícia espera informações do atirador (Foto: Divulgação)
A Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba (DFR) divulgou, nesta sexta-feira (19), o retrato falado do suspeito de atirar e ferir gravemente Marco Aurélio Valt, morador no bairro São Braz, em Curitiba, na noite de quinta-feira, durante um assalto.
Valt foi abordado em frente a residência em que mora e levou um tiro em crânio. Em seguida, o atirador, que queria levar o carro dos moradores, fugiu e não foi mais localizado. O assaltante era moreno e tem cabelo ralo, conforme o retrato falado.
Quem tiver informações pode ligar anonimamente na DFR no telefone 3218-6100.

Último jogador a ser convocado, Weverton se torna herói do ouro e é o primeiro jogador do Atlético a ganhar medalha


Por Pedro Melo 

Weverton defendeu a última cobrança da Alemanha. (Leonardo Benassatto/Futura Press/Estadão Conteúdo)
Weverton defendeu a última cobrança da Alemanha. (Leonardo Benassatto/Futura Press/Estadão Conteúdo)
O goleiro Weverton entrou para a história junto com a seleção olímpica por conquistar a primeira medalha de ouro da história do Brasil nos Jogos Olímpicos e ainda virou o herói ao defender a última cobrança da Alemanha. Entretanto, o caminho até o lugar mais alto do pódio do camisa 1 foi totalmente diferente dos seus 17 companheiros.
Weverton sequer estava na pré-lista de 35 jogadores e não tinha mais esperança quando foi definido os 18 atletas que estariam no Rio de Janeiro. Porém, o goleiro Fernando Prass foi cortado por uma lesão no tornozelo e o goleiro do Atlético foi convocado com o aval do preparador de goleiros Rogério Maia.
O que o Weverton não imaginava era que três semanas depois se tornaria o goleiro brasileiro a menos sofrer gols em uma edição da Olimpíada – foi vazado apenas uma vez – e ainda ficou muito a frente de Pinga, que levou quatro gols em seis partidas em 1984, e Taffarel, vazado em cinco oportunidades durante a competição quatro anos depois. Entretanto, os dois ficaram com a medalha de prata perdendo para União Soviética e França, respectivamente.
Em entrevista ao Sportv, o camisa 1 agradeceu à Deus e exaltou a segunda chance que Neymar teve já que foi o único remanescente do elenco que ganhou a prata em Londres. “Deus me abençoou. Pátria amada, o ouro é nosso mas a glória é de Deus. O Neymar falou que Deus tinha dado uma segunda chance pra ele, que tinha sido prata em Londres. Deus ama ele, assim como ama todos”, comentou.

Além disso, o goleiro é o primeiro jogador do Atlético a conquistar uma medalha olímpica e o mais próximo no clube foi o também arqueiro Neto, revelado pelo Rubro-Negro, mas que estava jogando na Fiorentina quando foi medalhista de prata em Londres 2012.
Porém, não é o primeiro a trazer uma medalha jogando no futebol paranaense. Em 1988, o então meia Milton estava jogando no Coritiba e foi titular nas seis partidas durante a campanha dos Jogos Olímpicos de Seul, na Coréia do Sul.

Lula comemora: Teori não remete inquérito a Moro


Lula conseguiu escapar – mais uma vez – das mãos do juiz Sergio Moro. Depois de ter uma de suas acusações, a de que atuou com o ex-senador Delcídio do Amaral para travar as investigações da Operação Lava-Jato, enviada para a Justiça em primeira instância em Brasília, o ministro Teori Zavascki, relator do petrolão no Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu enviar também para o mesmo tribunal outro inquérito em que o ex-presidente é suspeito de tentar atrapalhar a apuração do esquema de corrupção na Petrobras. Num despacho sigiloso, obtido por VEJA, Teori sustenta que os indícios de crime envolvendo o líder petista não têm conexão direta com os processos em andamento em Curitiba.
De acordo com o pedido de instauração de inquérito feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR), Lula tentou influenciar lideranças do Senado para esvaziar a Lava-Jato. A suspeita se baseia na delação do ex-senador Delcídio do Amaral, que diz ter se reunido com o ex-presidente e os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Romero Jucá (PMDB-RR) no Instituto Lula, em São Paulo, em meados de 2015. Nesse encontro, Lula “tentou persuadir os congressistas, que estão entre as mais ascendentes lideranças senatoriais, a criar, no Senado Federal, comissão de acompanhamento da Operação Lava-Jato, com a finalidade explícita de miná-la”.
Publicidade
Apesar de se tratar de um suposto complô armado contra a Lava-Jato, Teori Zavascki entendeu que o assédio de Lula aos parlamentares teria se “consumado no âmbito do Senado Federal, em Brasília”. “Nesse contexto, evidencia-se, em princípio, a inexistência de conexão necessária com os processos em trâmite na 13ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Curitiba”, escreveu o ministro em seu despacho de seis páginas assinado no último dia 8 de agosto. Essa é a segunda vez que Teori discorda da PGR num caso envolvendo o ex-presidente. Em junho, o ministro do STF mandou uma denúncia contra Lula, também por obstrução da Lava-Jato, para a Justiça Federal de Brasília. Os procuradores queriam que o processo fosse conduzido pelo juiz Sergio Moro. O ex-presidente se tornou réu por ter feito parte de um esquema para subornar o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, numa tentativa de evitar a delação premiada do ex-dirigente.
Além de Lula, também são suspeitos de tentar frear a Lava-Jato a presidente afastada Dilma Rousseff, os ex-ministros José Eduardo Cardozo e Aloizio Mercado, os ministros Francisco Falcão, presidente do Superior Tribunal de Justiça, e Marcelo Navarro Ribeiro Dantas, além do ex-senador Delcídio do Amaral. Todos se tornaram alvos de um inquérito no STF.
No caso de Dilma, há duas suspeitas de crime. A primeira é a de que a petista teria blindado Lula contra o juiz Sergio Moro ao nomear o ex-presidente como ministro da Casa Civil. A segunda está relacionada com a tentativa de Mercadante de tentar evitar a delação de Delcídio. Segundo a PGR, essa investida “baseou-se, ainda, na invocação parcialmente cifrada, mas suficientemente clara, do respaldo da senhora presidente da República, Dilma Rousseff”. Os envolvidos negam ter praticado qualquer irregularidade.
Em sua decisão, Teori também determinou que sejam realizadas as 18 diligências propostas pelos procuradores. Dentre elas, estão o acesso às imagens dos circuitos de segurança do Palácio do Planalto, o depoimento do pecuarista José Carlos Bumlai e a análise no processo e no termo de posse do ex-presidente Lula na Casa Civil. O prazo para a coleta dessas provas varia de cinco até 90 dias, podendo ser estendido por mais tempo.

Suzana Gullo Mion enfrenta câncer de mama e faz desabafo nas redes sociais



Na tarde deste sábado (20), Marcos Mion e Suzana Gullo Mion compatilharam a dor da família nos últimos 6 meses. A mulher do apresentador enfrentou um câncer de mama e todo o tratamento acabou somente agora. Em rede social, os dois publicaram textos explicando todo o drama familiar. Segue na íntegra o depoimento do casal:
Marcos Mion:
"Tudo tem seu tempo.
E chegou a hora de dividir com vcs e tornar público a realidade que estamos vivendo na minha família.
Assim como milhares e milhares de mulheres, minha esposa Suzana, teve um diagnóstico de câncer de mama ao qual, com a orientação de grandes médicos, conseguimos agir rápido e VENCEMOS.
Temos a intenção de explicar aos nossos conhecidos o pq do nosso "sumiço nos últimos 6 meses", mas principalmente alertar e conscientizar o maior número de mulheres possível, pois aprendemos duramente que o câncer é uma realidade que não distingue nada, nem ninguém. E está mais próximo do que a maioria pode querer.
Segue o texto que ela escreveu, dando esse passo à frente e me enchendo de orgulho. Vc é a mulher mais incrível que já conheci, meu amor! Te amo."

Suzana Mion:
"Querida amiga quimioterapia,
Enfim chegamos ao final do nosso íntimo relacionamento.
Obrigada por todos os benefícios que você me deu, obrigada por me acompanhar durante os últimos seis meses e me mostrar que o melhor de mim nem mesmo eu conhecia. Obrigada por me mostrar a força e a coragem que descobri ter, dia após dia. Obrigada por me ensinar que o cansaço exaustivo, o mal estar constante, enjoo, fadiga, dores que nunca imaginei, a rápida mudança de aparência, entre tantos outros, são fatores que se tornam tão pequenos, tão insignificantes perto dos valores e virtudes que passamos a apreciar.
Sei bem que não sentirei saudades, mas me despeço com um profundo agradecimento.
Prometo sempre te defender acima de tudo e prometo sempre passar adiante um segredo que descobri sobre você. És muito mais eficiente e menos devastadora quando trabalha junto com a crença e a fé. Minha fé católica e a de todos que me querem bem me provaram isso sobre vc.
Meu Pai e Senhor, sem você nada somos. Minha luta foi e sempre será pela minha família, pelos meus amores... pela VIDA!! Sempre venceremos JUNTOS!!
Sem vocês, meus amores, essa caminhada não seria possível da forma como foi. Toda minha coragem, força e confiança vieram do meu Senhor, meu Deus e da minha família.
Então preciso agradecer em primeiro lugar a Jesus e à Nossa Senhora por estarem comigo em todos os momentos, me dando muita paz, serenidade e confiança.
Mesmo quando fisicamente não tinha ninguém ao meu lado, sempre senti a presença deles e soube que estavam comigo.
Obrigada meus amores, meu MARIDO, meus médicos, meus filhos, minha mãe, meu pai, irmãos, cunhadas, meus sogros e amigos queridos que durante esse período foram o meu tudo! Minha base, força, alegria, confiança e serenidade.
O pior já passou, vencemos! Mas ainda não acabou o tratamento. Temos radioterapia pela frente, acompanhamentos, etc, mas é isso aí. Que venha! Tenho fé e confiança no caminho que Deus traçou pra mim.
Só tenho que AGRADECER, principalmente pela descoberta precoce feita pelo meu marido que com certeza foi um sinal de Deus. Com Fé não nos falta nada.
Claro que receber um diagnóstico, ainda que precoce, de câncer de mama, não é fácil para nenhuma mulher. Ainda mais antes dos 40, que foi meu caso. Temos várias fases, o questionamento, a tristeza, medo, insatisfação, até que atingimos a aceitação. E com ela vem a coragem, a luta! Para mim, a fé foi e será sempre uma grande aliada. Agradeço todos os dias por ter Deus na minha família. Sempre deposito nele o meu caminhar! Assim como me ensinou meu diretor espiritual, um sacerdote, às vezes precisamos pedir os olhos de Deus emprestado, como fazia João Paulo II, quando passamos por tribulações que são difíceis de compreender. Os olhos de Deus nos mostram os porquês. Eu acredito que a cruz é o sinal de Cristo. Deixou de ser o símbolo do mal para ser o símbolo da VITÓRIA.
É muito bom poder falar sobre tudo isso, pois como diz o meu marido, tudo tem seu tempo e sinto que o meu foi agora. Nossa vida é feita de momentos, de alegrias, de tristezas, incertezas, felicidades. A vida nos apresenta muitos obstáculos, mas é nesse vai e vem que ela nos mostra que tudo tem um motivo para ser vivido, nada nos é dado sem que tenhamos condição de superação. É nas dificuldades e tb nas alegrias que, com a graça de Deus, tiramos força para nosso crescimento, evolução e sabedoria. E sabendo que nada é eterno, temos que buscar um equilíbrio na certeza que " isso também passará".
O câncer de mama precisa ser muito divulgado, é muito importante que todas as mulheres saibam da importância dos exames frequentes, do auto exame, mesmo antes dos 40 anos. Os maridos podem e devem ajudar. Preciso muito dizer que no meu caso, como já disse, quem descobriu foi o meu marido. Meu exame de rotina seria em novembro e olha quantos meses ele antecipou! 10 meses! Fez toda diferença, tendo em vista que meu tipo era de crescimento rápido. Sim, somos muito católicos e acredito que tenha sido um sinal de Deus, mas o que realmente importa é que os maridos podem ajudar! Afinal que marido não gosta de fazer uma vistoria nesse setor não é mesmo rsrsrsrs?
Sei que nem todas mulheres tem a sorte da descoberta precoce, então fica aqui o nosso apelo familiar, façam exames médicos de rotina, exames de auto toque e também exames de toque do marido! Um beijo ,
Suzana e família Gullo Mion."

O voto de Renan



Brasil  19:24


Nas duas primeiras votações em plenário do processo de impeachment de Dilma Rousseff, Renan Calheiros não votou.
O Estadão informa que a base de Michel Temer tem pressionado para que o presidente do Senado se posicione pelo afastamento no julgamento final e, assim, sele o apoio ao governo.
O Antagonista soube que Renan está, sim, disposto a votar pelo impeachment, mas fará charme até o último minuto.

Ouro, enfim: Brasil bate Alemanha nos pênaltis e é campeão


Gol da Alemanha? Medalha de prata? Não mais. A seleção brasileira, enfim, conquistou o título olímpico no futebol ao bater a Alemanha nos pênaltis, após empate em 1 a 1 no tempo normal, em uma noite de gala, com drama e emoção, no Maracanã. Neymar, com uma espetacular cobrança de falta, e Max Meyer, o destaque alemão, marcaram os gols da partida. No fim, brilhou a estrela do goleiro Weverton, que defendeu a cobrança de Petersen. Neymar, então, converteu a última cobrança e fez tremer as arquibancadas do templo do futebol.
A vitória dramática colocou fim ao trauma brasileiro de sempre bater na trave em Olimpíadas. E, se o título não apaga o vexame do 7 a 1, certamente ameniza a dor da derrota do Mineirão em 2014 – e deixa com a Alemanha a decepção de não ter um título olímpico.  De quebra, o Brasil superou a extinta Iugoslávia e se tornou o país com mais medalhas olímpicas na história do futebol: seis, duas de bronze (Atlanta-1996 e Pequim-2008), três de prata (Los Angeles-1984, Seul-1988, Londres-2012) e a medalha dourada conquistada em casa.
Publicidade
Neymar, tão criticado nas primeira partidas, saiu consagrado. Com um golaço de falta que fez lembrar Zico, arrancou aplausos até mesmo de Usain Bolt, o mito jamaicano que pulou como um pentacampeão nas arquibancadas. O camisa 10 ainda fez o que craques como Romário, Ronaldo e Ronaldinho não conseguiram: subir ao mais alto do pódio.
Mais importante do que a medalha dourada, a Rio-2016 deixa uma herança importante para o futebol brasileiro: o time de Rogério Micale apresentou uma filosofia de jogo definida, voltada ao ataque, algo que há anos o Brasil se ressentia. Ainda é cedo para se empolgar, mas Tite, que estava no estádio certamente irá se aproveitar na equipe adulta da semente plantada por Micale. Gol do Brasil.
Euforia – O arrepiante momento do hino nacional, cantado por 70.000 vozes, foi o prenúncio da bela festa que se daria durante os 90 minutos de bola rolando. O novo canto “pula sai do chão, quem é pentacampeão” balançou o Maracanã e deu ainda mais incentivo aos times, que entraram bastante ligados. A Alemanha teve a primeira chance clara. Brandt recebeu na entrada da área e bateu colocado, mas a bola explodiu no travessão de Weverton, gelando o Maracanã. O Brasil, porém, era melhor na partida, preciso nos desarmes e com mais lucidez na frente. A pressão brasileira empurrou a Alemanha para trás e Renato Augusto, mais uma vez excelente na função de segundo volante, quase marcou após cobrança de escanteio.
Aos 25 minutos, a apoteose no Maracanã: Neymar sofreu falta da entrada da área e, empurrado pela torcida que gritava seu nome, viveu seu momento de Zico, com uma cobrança magistral que ainda bateu no travessão antes de encontrar as redes. Neymar celebrou com o tradicional gesto de Usain Bolt, que estava na arquibancada e vibrou com o espetáculo, e com uma frase eternizada por Cristiano Ronaldo: ‘Eu estou aqui”.
Neymar faz gesto para Usain Bolt após marcar gol de de falta sobre a Alemanha, na final do futebol masculino nas Olimpíadas Rio 2016
Neymar faz gesto para Usain Bolt após marcar gol de de falta sobre a Alemanha, na final do futebol masculino nas Olimpíadas Rio 2016 (Ivan Pacheco/VEJA.com)
A Alemanha, que desde sua unificação jamais conquistou um ouro olímpico (a Alemanha Oriental venceu em Montreal-1976), deu menos prioridade que o Brasil à Olimpíada, mas chegou à decisão com uma equipe de qualidade. Referência em trabalho de base, o time tinha nos meias Max Meyer, do Schalke 04, e Serge Gnabry, do Arsenal, suas principais esperanças. E, apesar da boa atuação do Brasil, chegou bem perto do empate na primeira etapa. Foram duas bolas no travessão após cruzamentos na área. O goleiro Weverton também deu um susto na torcida, ao quase entrar com a bola na meta após chute desviado de Meyer. A primeira etapa terminou sob aplausos da torcida e em cima de plena confiança. 
Drama – Com um time frio, e uma proposta semelhante ao do Brasil – compactação, passes rápidos e velocidade – a Alemanha reabriu a decisão logo no início da segunda etapa. O lateral Toljan cruzou da direita, a bola atravessou a área brasileira e o capitão Max Meyer bateu de primeira para empatar. Foi o primeiro gol sofrido pelo Brasil em seis partidas. A decepção não calou o Maracanã, já que a torcida seguiu cantando, mas o clima de angústia começava a tomar conta. O Brasil respondeu com chute de fora da área de Renato Augusto que passou raspando.
A Alemanha cresceu na partida, mas o Brasil teve boas oportunidades em contra-ataques. Gabigol, porém, tomou decisões erradas e foi substituído, sob vaias, por Felipe Anderson. Guiado por Renato Augusto, técnico e vibrante, e empurrado pela torcida, o Brasil seguiu em busca do gol. Neymar se reencontrou na partida e levou perigo em duas jogadas individuais: primeiro, puxou contragolpe e achou Felipe Anderson, que demorou para bater e foi desarmado. Depois, fintou o zagueiro e chutou com perigo, raspando a trave de Horn. Brasil e Alemanha assustaram em contra-ataques no fim, mas as defesas se mantiveram intransponíveis.
Prorrogação – Logo no início do tempo extraGabriel Jesus teve boa chance, mas foi desarmado. Depois, fez falta dura e se arriscou a levar o segundo cartão amarelo. Micale, então, tirou a revelação do Palmeiras para a entrada de Rafinha Alcântara. O jogo seguia o mesmo panorama, com defesas bem postadas e as melhores chances em contragolpes. Destaque ao longo da campanha, Luan teve outra chance, mas demorou a finalizar. O nervosismo começou a tomar conta do time e da torcida. 
O Brasil começou pressionando no segundo tempo da prorrogação. Neymar encontrou Felipe Anderson na área, mas o goleiro Horn saiu bem, nos pés do meia da Lazio. Neymar, já mancando depois de tanto dividir com alemães, tentou chute de fora da área, mas a bola foi por cima. A Alemanha passou a tocar a bola com pouca objetividade, provocando vaias da torcida.  Rafinha ainda teve boa chance, mas seu chute foi desviado. 
Nos pênaltis, Ginter, Renato Augusto, Gnabry, Marquinhos, Brandt, Rafinha, Süle e Luan foram perfeitos na cobrança. Petersen, então, bateu para defesa de Weverton.  Coube a Neymar a responsabilidade de balançar a rede e acabar com os traumas. O craque caiu no gramado, com lágrimas de emoção, assim como diversos companheiros. O carnaval no Maracanã chegou ao seu ponto máximo no momento das tão desejadas medalhas e ouro.