Futuro da Lava Jato está ligado ao STF, dizem procuradores


Mais de dois anos após o início da Operação Lava Jato, o futuro das apurações sobre o esquema de corrupção na Petrobrás depende de quatro eixos, segundo procuradores da República ouvidos reservadamente pelo jornal O Estado de S. Paulo. Um deles, e dos mais importantes, é a relação dos investigadores com o Supremo Tribunal Federal – que teve um dos ministros no centro de um embate com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na última semana.
Os outros fatores apontados por membros da força-tarefa que atua no caso em Brasília envolvem a delação dos executivos da Odebrecht, a tentativa do Legislativo de aprovar leis que atravanquem a condução do caso e o processo de sucessão de Janot, no ano que vem.

Na última semana, o ministro Gilmar Mendes, do STF, fez críticas aos procuradores após o vazamento de informações sobre a delação premiada da OAS que mencionava outro integrante da Corte, Dias Toffoli. Janot, que suspendeu as tratativas com a empreiteira após a divulgação, reagiu: “A Lava Jato está incomodando tanto? A quem? E por quê?” No STF, a Lava Jato está a cargo da 2.ª Turma do tribunal. O colegiado é presidido por Mendes – e composto ainda por Teori, Toffoli, Cármen Lúcia e Celso de Mello.
A partir do dia 12, Cármen assume a presidência da Corte e deixa a cadeira na Turma para o ministro Ricardo Lewandowski. Nos julgamentos sobre casos relacionados à Lava Jato, Cármen tem sido dura. “Criminosos não passarão”, disse, ao votar pela prisão do senador cassado Delcídio Amaral. Entre investigadores, há um receio de que Lewandowski mostre um perfil jurídico diferente e se “descole” mais do que Cármen dos votos de Teori, relator da operação. Na turma, três votos dos cinco ministros podem arquivar ou autorizar ações penais contra políticos – e ditar o sucesso das investigações propostas por Janot.
Prisão
O plenário do Supremo terá papel decisivo em outra questão: o tribunal irá julgar na quinta-feira ações que questionam a decisão tomada neste ano de permitir a prisão após condenação em 2.ª instância – e antes do fim do processo. Para a equipe de Janot, se o STF confirmar o seu entendimento, uma verdadeira “fila de delações vai andar”, já que executivos e políticos temem ir para trás das grades mais rápido.
Mas, dentre as delações já encaminhadas, não é a da OAS e sim a da Odebrecht, em estágio mais avançada, que é vista como maior desafio. A previsão de um procurador próximo a Janot é de que o grupo passe ao menos dois meses debruçado apenas sobre os depoimentos dos executivos da empreiteira.
Articulação
A articulação para frear a Lava Jato veio a público com a divulgação de áudios gravados pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. Em conversa com senador Romero Jucá (PMDB-RR), o peemedebista, sugeriu um “pacto” nacional para “estancar a sangria”. Com os diálogos escancarados, o plano ficou inviabilizado. Tentativas de bloquear o andamento da operação são investigadas pela PGR.
Com o respaldo popular à operação, o Ministério Público encampou o pacote de dez medidas para combate à corrupção, encaminhado ao Congresso. O receio de investigadores é de que, a exemplo do que aconteceu após a Operação Mãos Limpas na Itália, o Legislativo tente nesta discussão aprovar medidas que tornem mais burocráticos processos de investigação.
Sucessão
O mineiro Rodrigo Janot tem mais um ano no cargo. Em setembro de 2017, ele irá se aposentar. A continuidade das investigações, no entanto, é dada como certa, mas podem ocorrer mudanças no grupo de trabalho ligado ao caso. Na gestão de Janot, a ordem é “pau que dá em Chico, dá em Francisco”.
Na lista de pré-candidatos, Janot tem dado força à candidatura de Nicolau Dino, subprocurador-geral da República. A escolha do novo PGR é feita pelo presidente da República, que não é obrigado a indicar o mais votado pela carreira. A expectativa de procuradores é de que a disputa de 2017 seja marcada por “patrocínios” políticos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Lote de achocolatado é interditado após morte de menino


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou hoje a interdição cautelar de um lote do achocolatado Itambezinho, fabricado pela marca Itambé. O produto interditado foi fabricado em maio de 2016 e é válido até o mês de novembro deste ano. A medida foi tomada após a morte de uma criança de dois anos na última quinta-feira, por parada cardiorrespiratória, após tomar o mesmo achocolatado. Embora não haja confirmação de que a bebida tenha causado a morte da criança, a Coordenadoria Estadual de Vigilância Sanitária do Mato Grosso solicitou a interdição cautelar do lote completo de todos os achocolatados desta marca.
Segundo denúncia feita pela mãe do menino à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o filho estava bem e começou a passar mal logo após ingerir a bebida, sofrendo com falta de ar, fraqueza e princípio de desmaio. Ainda segundo o relato, ela e um tio da criança também apresentaram mal-estar momentâneo após ingerir um pouco do mesmo produto.

Ao sofrer dos sintomas, a criança foi levada para a Policlínica do Coxipó, em Cuiabá, Mato Grosso, mas faleceu uma hora após a internação. Em depoimento, a mãe, de 28 anos, disse que o filho bebeu o achocolatado por volta das 9 horas da manhã. Antes disso, a vítima estava bem, apresentando apenas os sintomas de um resfriado leve havia dois dias. Após ingerir um pouco do mesmo achocolatado, a mãe relatou ter sentido náuseas e tontura. O tio do menino, com sintomas mais fortes, teria se dirigido ao Pronto-Socorro de Cuiabá.

Desfecho melancólico



Gilmar Mendes comentou o desfecho do impeachment: afastou, é claro, qualquer ideia de golpe e disse que o processo encerra de forma melancólica um ciclo histórico.
"A própria chegada do PT ao poder foi um sinal de vitalidade da nossa democracia, alternância de poder, depois de forças políticas diferentes terem estado (no poder). Collor, inicialmente, depois Fernando Henrique Cardoso, depois Lula e Dilma. Isso dá um sinal de vitalidade, mas é claro que terminar esse ciclo com o impeachment, e também tudo o que foi revelado, mostra que estamos encerrando um ciclo de maneira bastante melancólica”, disse o ministro, segundo o Estadão.

Pai mata o filho de quatro anos e se suicida em fórum de São Paulo


estadao_conteudo_cor-13-6

O motoboy Carlos Ti On Martins Kon, de 41 anos, matou o filho e cometeu suicídio na manhã desta segunda-feira, 29, no Fórum Trabalhista Ruy Barbosa, na Barra Funda, zona norte de São Paulo, segundo a polícia. Kon abraçou o filho, Bryan, de 4 anos, e se jogou do alto do prédio. Os corpos foram encontrados no saguão no prédio por volta das 10h50.
saopaulo
Reprodução Google Street View
Kon tinha um bilhete no bolso com número de telefone de familiares e a informação de que a criança era filho dele. O bilhete também dizia: “às vezes tem um suicida na sua frente e você não vê”. O motoboy ainda teria ligado para uma amiga se despedindo e avisando que se mataria.
Kon sofreu uma fratura no braço direito e o braço esquerdo foi amputado. A criança teve fratura craniana. Os dois morreram na hora.
Aos policiais, os irmãos de Kon disseram que ele estava desempregado e passava por problemas financeiros, mas era muito apegado ao filho. Bryan é fruto do segundo casamento de Kon. O motoboy tinha uma relação conturbada com a ex-mulher, segundo os familiares.
Kon não tinha audiência no Fórum Trabalhista nesta segunda, o que faz a polícia acreditar que o homicídio e suicídio foram premeditados. O caso é investigado pelo 23º DP (Perdizes). O expediente do tribunal foi suspenso e só será retomado nesta terça.

Não haveria impeachment se senadores conhecessem antes defesa de Dilma, diz Lula


estadao_conteudo_cor-13-6

luladilma
Foto:Ricardo Stuckert/ Instituto Lula
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira, 29, que, se os senadores tivessem lido antes o discurso da presidente afastada, Dilma Rousseff, não haveria impeachment. Para Lula, sua sucessora teve uma atuação “firme e centrada” ao se defender no plenário do Senado.
Em conversa na galeria do Senado, de onde acompanhou desde cedo a sessão de julgamento, Lula considerou o impeachment praticamente irreversível. Em público, porém, o ex-presidente não entregou os pontos. “O jogo vai terminar com uma vitória nossa. Não é sempre que a gente consegue trazer o Chico ao Senado”, disse ele, numa referência ao cantor Chico Buarque – que acompanhou parte do julgamento de Dilma.
Questionado se estava se referindo ao julgamento final do impeachment ou a seu futuro político, Lula respondeu: “Vamos esperar isso aqui terminar”. O ex-presidente classificou o depoimento de Dilma como “forte e preciso”. “Ela falou o que tinha para falar”, insistiu o ex-presidente, antes de deixar o plenário do Senado.

Polícia prende suspeito de participar de assalto que terminou com morte de funcionário de farmácia


Da Redação com Polícia Civil
sitio-2
Funcionário de farmácia foi baleado na cabeça (Foto: Banda B)

Em menos de 24 horas a equipe de investigação da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) de Curitiba prendeu Dhjon Diego Marcelino Mendonça, de 19 anos, nesta sexta-feira (26). Ele é suspeito na participação do crime que vitimou  Eduardo de Souza, 23 anos, funcionário de uma farmácia morto com um tiro na cabeça após um assalto.
suspeito 2
Suspeito foi preso no mesmo bairro em que assaltou (Foto: Flávia Barros – Banda B)
O suspeito foi preso em sua residência no bairro Sítio Cercado, após uma sequência de investigações realizadas pela especializada. O homem também foi autuado em flagrante pelo crime de tráfico de drogas, já que no local a polícia apreendeu um quilo de maconha.
O crime aconteceu na noite da última quinta-feira (25), no mesmo bairro onde Mendonça residia, quando três homens armados entraram na farmácia, deram voz de assalto e levaram todo o dinheiro do caixa. Uma quarta pessoa participou do crime teria ficado do lado de fora para vigiar o local.
“Os suspeitos já estavam com o dinheiro e, mesmo assim, um dos participantes do crime acabou atirando na cabeça da vítima, sem que ela esboçasse qualquer resistência”, disse o delegado-adjunto da DFR, Emmanoel Aschidamini David.
Segundo informações constatadas pela polícia, além deste assalto, o suspeito já foi condenado há seis anos de reclusão por outro crime de roubo. O homem foi reconhecido por testemunhas como um dos assaltantes que vitimaram Souza.
“O suspeito estava em regime aberto, com uso de tornozeleira. Ele também foi reconhecido por cometer outro assalto no início deste mês agosto, na mesma rede de farmácias”, conta o delegado.
Mendonça encontra-se preso à disposição da Justiça. As investigações seguem para identificar e prender os outros envolvidos no crime. A informação no local era de que o funcionário teria corrido atrás dos bandidos, o que não foi confirmado pela polícia.

Bandidos roubam carro, atiram contra vítima, mas se dão mal ao cruzarem com Bope


Por Luiz Henrique de Oliveira e Flávia Barros

Um jovem de 27 anos foi baleado na perna após ser vítima de um assalto na região do bairro Pinheirinho, em Curitiba, no início da tarde desta segunda-feira (29). De acordo com a Polícia Militar (PM), a vítima foi abordada por três homens armados próximo a um hipermercado, onde entrou para pedir socorro. Em perseguição após o crime, a Polícia Militar deteve um suspeito e deixou outro ferido.
bombeiro
A vítima foi levada ao Hospital do Trabalhador (Foto: Flávia Barros – Banda B)
Um amigo da vítima contou à Banda B o que aconteceu. “Ele foi abordado pelos vagabundos, resistiu a entrar no carro e ir com eles e acabou baleado. A princípio, foi isso que aconteceu”, disse um amigo da vítima, que não quis se identificar.
Segundo o apurado pela Banda B, o jovem descansava dentro de um veículo, quando foi abordado pelos elementos armados, na marginal da Linha Verde.  O Siate do Corpo de Bombeiros foi acionado e o jovem levado ao Hospital do Trabalhador, com ferimentos leves.
Em seguida, policiais militares do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) receberam a informação do roubo, iniciando acompanhamento tático, que resultou em um suspeito baleado em estado grave e outro preso. Um terceiro elemento conseguiu fugir, de acordo com o Bope.
A Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos de Curitiba (DFRV) deve receber o inquérito policial do caso. Durante a perseguição, os bandidos bateram o carro roubado contra uma viatura policial.

Temer rebate acusações



Michel Temer soltou nota sobre acusações feitas durante o dia de hoje na sessão do impeachment.
Ele não diz assim, mas nós dizemos: Dilma mentiu.

Cunha: "Dilma se utiliza de técnica fascista"



Questionado por O Antagonista sobre as acusações de Dilma, Eduardo Cunha divulgou nota em seu perfil no Twitter. Ele também lembrou que, ao todo, arquivou mais de 30 pedidos de impeachment.

Família é encontrada morta em condomínio na Barra, no Rio, pai deixa carta


Bombeiros dizem que casal e duas crianças morreram.
Peritos da Divisão de Homicídios estão no local.

Alba Valéria Mendonça e Cristina BoeckelDo G1 Rio
O corpo de Nabor Oliveira e dos dois filhos foi encontrado na área da piscina do prédio. Eles teriam caído do apartamento do 18º andar. (Foto: Reprodução / Facebook)O corpo de Nabor Oliveira e dos dois filhos foi encontrado na área da piscina do prédio. Eles teriam caído do apartamento do 18º andar. (Foto: Reprodução / Facebook)
Quatro pessoas de uma família foram encontradas mortas por volta das 7h desta segunda-feira, (29), no Edifício Lagoa Azul, que fica no Condomínio Pedra de Itaúna, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Os corpos de duas crianças e do marido estavam na área da piscina do prédio e teriam caíram do 18º andar. O corpo da mulher foi encontrado na cama, dentro do apartamento.
Segundo vizinhos e o porteiro do prédio, o marido era Nabor Coutinho Oliveira Junior, 43 anos, a mulher Lais Khouri, 48 anos, e as crianças Arthur, 7 anos, e Henrique, 10 anos.

Em uma carta encontrada no apartamento, há relatos de desespero. Em um dos trechos está escrito: "Sinto um desgosto profundo por ter falhado com tanta força, por deixar todos na mão mas, melhor acabar com tudo logo e evitar o sofrimento de todos”. A carta foi encaminhada à perícia para confirmar se foi escrita por Nabor.
De acordo com o delegado titular da Delegacia de Homicídios, Fabio Cardoso, a polícia não descarta nenhuma linha de investigação.
"O que se sabe é que a mulher da vítima estava com cortes no pescoço, morta na cama. Os dois filhos e o homem estavam caídos no vão da piscina. As informações iniciais obtidas no local do crime apontam uma suspeita inicial de que ele teria matado a mulher com golpes de faca, jogado as duas crianças e depois se jogado. Mas não descartamos outras linhas", explicou o delegado.
Marido deixou carta em apartamento (Foto: Reprodução)Carta foi encontrada no apartamento da família (Foto: Reprodução)
Para o delegado, a carta deixada no apartamento aparentemente foi deixada por Nabor e mostra que ele tinha problemas profissionais.
"A carta sinaliza que ele tinha problemas profissionais. Temos que analisar a carta com mais profundidade. Mas também temos que conversar com familiares para saber o que aconteceu. Ele trabalhava em uma empresa e mudou de emprego recentemente. Só podemos falar que ele trabalhava em uma grande empresa", explicou Fábio Cardoso.
Corpos caíram do 18º andar do Edifício Lagoa Azul, que fica no Condomínio Pedra de Itaúna, na Barra da Tijuca (Foto: G1)Corpos caíram do 18º andar do Edifício Lagoa Azul, que fica no Condomínio Pedra de Itaúna, na Barra da Tijuca (Foto: G1)
"Era uma família normal. Eram Crianças educadas que falavam conosco. Não escutei nenhum barulho. Quando cheguei já tinha acontecido. Eu estou chocado. As crianças gostavam de mim. Um deles eu conheci na barriga. Era uma família tranquila", contou Wilton Santos, porteiro do prédio há 14 anos.
Na cama do quarto das crianças havia um martelo (Foto: G1)Na cama do quarto das crianças havia um
martelo (Foto: G1)
A doméstica Lucina Salviano da Silva ouviu estampidos e o som da queda dos corpos.
"Eu acordei 6h20 para chamar o menino para a escola. Eu ouvi os barulhos, como se fosse de tiro, e chamei a minha patroa, disse que estava acontecendo alguma coisa. Olhei pela janela e vi o primeiro corpo. Eu a chamei e, quando olhei para baixo, vi os outros dois corpos", contou Lucinda.
De acordo com Marcia Kandelman, patroa de Lucinda, a família era calma.

"Conhecia de passar no prédio. Um casal super educado. Eles estudavam na mesma escola onde meus filhos estudavam", conta Marcia.
A mulher, Lais Khouri, foi encontrada morta dentro do apartamento (Foto: Reprodução / Facebook)A mulher, Lais Khouri, foi encontrada morta dentro
do apartamento (Foto: Reprodução / Facebook)
De acordo com uma vizinha que mora na cobertura do prédio, ela estava em casa com o marido quando escutaram barulhos que pareciam de tiros e gritaria, por volta das 6h30. Ela relatou que a impressão é que as crianças foram jogadas vivas pela janela e a rede de proteção do apartamento estava rasgada. O prédio tem 23 andares.
Segundo um outro vizinho do condomínio, a família era bem estruturada e os meninos, Henrique e Arthur, estudavam na mesma escola que seus filhos, a Escola Parque, mas que não eram da mesma turma.
O corpo de Nabor Oliveira foi encontrado na área da piscina no prédio (Foto: Reprodução / Facebook)O corpo de Nabor Oliveira foi encontrado na área da
piscina no prédio (Foto: Reprodução / Facebook)
"Foi uma tragédia. A gente ficou sabendo que ele teria perdido emprego recentemente e estaria desesperado. Mas por enquanto, tudo é especulação. É só tristeza", disse o morador do condomínio.
Os Bombeiros foram acionados às 6h40, mas, ao chegarem no local, as vítimas já estavam mortas. Policiais Militares do 31º BPM também foram acionados para o local.
De acordo com informações da Delegacia de Homicídios da Capital, as investigações estão em andamento para apurar as circunstâncias do crime. Uma perícia também foi realizada no local e a polícia está investigando o caso para apurar detalhadamente o fato.⁠⁠⁠⁠
Faca com manchas de sangue foi encontrada no apartamento (Foto: G1)Faca com manchas de sangue foi encontrada no apartamento (Foto: G1)
  •  
Grade de proteção do apartamento estava rasgada (Foto: Divulgação)Grade de proteção do apartamento estava rasgada (Foto: G1)
  •  
Carro da Defesa Civil chega no local para retirar os corpos da família (Foto: Cristina Boeckel / G1)Carro da Defesa Civil chega no local para retirar os corpos da família (Foto: Cristina Boeckel / G1)
Mortes aconteceram do Edifício Lagoa Azul, no condomínio Pedra de Itaúna, na Barra da Tijuca (Foto: Cristina Boeckel / G1)Mortes aconteceram do Edifício Lagoa Azul, no condomínio Pedra de Itaúna, na Barra da Tijuca (Foto: Cristina Boeckel / G1)
Corpos caíram do 18º andar do Edifício Lagoa Azul, que fica no Condomínio Pedra de Itaúna, na Barra da Tijuca (Foto: Reprodução / Google Earth)Prédio Edifício Lagoa Azul, fica no Condomínio Pedra de Itaúna, na Barra da Tijuca (Foto: Reprodução / Google Earth)