EDINHO SILVA É O PRÓPRIO CAIXA 2



Edinho Silva declarou à Justiça Eleitoral até agora ter recebido cerca de R$ 50 mil em doações para sua campanha à prefeitura de Araraquara.
O valor não paga sequer os salários dos seis seguranças que o acompanham nos eventos. Aliás, o próprio Edinho declara despesas superiores a R$ 200 mil.
Considerando que Edinho é investigado por uso de caixa dois na campanha de Dilma Rousseff, o Ministério Público Eleitoral precisa descobrir urgentemente quem está bancando a eleição do ex-ministro.

MOMENTO ANTAGONISTA: TCHAU, LEWANDOWSKI - vídeo





Claudio Dantas comenta a saída de Ricardo Lewandowski da presidência do STF e o impacto que terá sua volta à segunda turma, que julga a Lava Jato.
Os recursos contra o impeachment de Dilma Rousseff, rejeitados por Teori Zavascki e Rosa Weber, também estão no Momento Antagonista.



Defesa de Bumlai questiona retorno à prisão em meio a tratamento de saúde

Foto: Rodolfo Buhrer/Paraná Portal
Foto: Rodolfo Buhrer/Paraná Portal
José Carlos Bumlai chegou à superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba pouco antes das 10h da manhã desta terça-feira (6). Visivelmente abatido e acompanhado de advogados, ele não falou com a imprensa. Bumlai retorna ao regime fechado após passar cerca de seis meses em prisão domiciliar, enquanto realizava tratamento para combater um câncer.
Logo depois de se reapresentar às autoridades, Bumlai foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), onde fez exame de corpo de delito, e, na sequência, foi encaminhado para o Complexo Médico Penal, em Pinhais, na Grande Curitiba.
A previsão inicial era de que ele retornasse ao regime fechado no dia 23 de agosto, mas essa data foi adiada por duas vezes porque – de acordo com a defesa de Bumlai – ele estava internado, sem previsão de alta, no Hospital Sírio Libanês, de São Paulo. O pecuarista foi colocado em prisão domiciliar, com monitoramento por tornozeleira eletrônica, para o tratamento de saúde e precisou passar também por uma cirurgia cardíaca.
Para a advogada dele, Daniela Meggiolaro, não há justificativa para obrigar o cliente a voltar para a prisão em meio ao tratamento. “É uma decisão que manda de volta para a cadeia um homem de 71 anos, com câncer na bexiga, deve passar os próximos quatro meses a base de corticoide para tratar uma infecção causada justamente por causa do tratamento do câncer”, explica, ressaltando que, nos meses em que esteve em prisão domiciliar, o pecuarista não teria agido de forma a justificar a nova prisão.
No despacho em que fixou para 6 de setembro a volta de Bumlai à prisão, o juiz Sergio Moro afirmou que, se houvessem razões médicas comprovadas, o pecuarista deveria ser internado em um hospital de Curitiba.
Moro cobrou, ainda, a realização de uma perícia médica a pedido do Ministério Público Federal (MPF). A avaliação pretende comprovar o real estado de saúde do acusado.
Segundo a advogada de Bumlai, ainda não há data para o procedimento, nem perito responsável designado. Daniela Meggiolaro afirmou que dependendo do resultado da perícia, a defesa pode sim pedir que a volta ao regime fechado seja alterada e destacou que já existem outras medidas em andamento. “Já existe um habeas corpus em trâmite no Supremo Tribunal Federal, cuja liminar foi deferida, mas que deve ser apreciado pela segunda turma do STF”, afirma,
José Carlos Bumlai foi preso preventivamente em setembro de 2015, na 21ª fase da Lava Jato. Ele é acusado de realizar um empréstimo fraudulento junto ao banco Schahin. A operação aconteceu em 2004 em nome da pecuarista e o dinheiro foi repassado ao Partido dos Trabalhadores (PT), segundo as investigações.
(Com informações da CBN Curitiba)

Helicóptero Falcão localiza cinco bandidos na mata e polícia prende todos, logo após roubo de carro


Por Denise Mello e Flavia Barros

falcao9
Helicóptero Falcão da PM do Paraná – Imagem de aquivo AEN


Cinco suspeitos de roubar um veículo em Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), na tarde desta quinta-feira (8), acabaram presos após uma perseguição que contou com o apoio do helicóptero Falcão, da Polícia Militar do Paraná. O quinteto acabou cercado no mato, local onde imaginava que iria conseguir se esconder. O que o grupo não contava era com a visão do alto da aeronave que acabou facilitando a ação dos policiais em terra.
O acompanhamento tático do veículo Voyage vermelho roubado começou em Campo Largo pela equipe do 22º Batalhão, que logo se uniu com uma equipe do município. “Começamos a perseguição e quando o veículo chegou no encontro entre o posto desativado da Polícia Rodoviária Federal e o Contorno Sul, os cinco saltaram do carro e correram para o mato. Com o apoio aéreo do helicóptero Falcão, conseguimos cercar os indivíduos e efetuar a prisão, assim como recuperar o carro”, explicou o subtenente Padilha.
Segundo o subtenente, os cincos presos participaram do roubo horas antes em Campo Largo. “Agora, vamos ver para onde serão levados, de acordo com a competência do caso”, concluiu com a operação em andamento.

Lewandowski, o santo



Antes de encerrar sua última sessão à frente do STF, Ricardo Lewandowski fez um balanço da gestão e concluiu citando uma passagem bíblica:
"Tenho a convicção de que combati o bom combate."
É um deboche à sagrada escritura.

GLEISI TEM ENCONTRO MARCADO



O Antagonista apurou que Gilmar Mendes vai colocar em julgamento, no próximo dia 20, a denúncia contra Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo.

Jovem de 21 anos morre, família doa órgãos e cinco devem sair da fila de espera no Acre


 João Renato Jácome  07/09/2016  12:24:59
trans-3
Um total de cinco pacientes que estão na fila de espera da Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos no Acre (CNCDO/AC) devem receber novos órgãos no Acre. Isso será possível graças à família de um jovem de 21 anos que morreu após sofrer traumatismo craniano. O caso foi confirmado pela Secretaria de Saúde do Acre.
Como destacou a pasta, foram doados duas córneas, dois rins e um fígado. As córneas foram enviadas a Brasília, onde passam por avaliação. Já os demais órgãos devem ser transplantados em pacientes compatíveis que aguardam na fila estadual.
De acordo com a coordenadora da Central de Transplantes do HC, Regiane Ferrari, os procedimentos de acolhimento da família foram realizados logo após a notificação da morte encefálica. “É muito importante o ‘sim’ da família, pois dependemos da conscientização da população para realizar esse trabalho de salvar vidas”, disse.
Para ser doador não é necessário deixar nada por escrito – basta informar à família o seu desejo. A doação só se efetiva após a autorização familiar documentada. Podem ser doados rins, coração, pulmões, fígado, pâncreas e tecidos, córneas, pele e ossos.

Renan arquiva pedido de impeachment de Lewandowski


Presidente do Senado alegou falta de justa causa para arquivar pedido.
Grupo diz que ele violou lei em votação de impeachment de Dilma Rousseff.

Do G1, em Brasília
O presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski, abre no Senado a sessão final do julgamento do impeachment de Dilma Rousseff, em Brasília (Foto: Geraldo Magela/Agência Senado)O presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski, durante a sessão final do julgamento do impeachment de Dilma Rousseff, em Brasília (Foto: Geraldo Magela/Agência Senado)
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), arquivou nesta quinta-feira (8) um pedido de impeachment do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski.
O pedido foi protocolado na última terça (6) por um representante do grupo Movimento Brasil Livre (MBL). Ao arquivar o pedido, Renan alegou falta de justa causa para dar andamento ao processo de impedimento do ministro.
Lewandowski deixará a presidência do STF na próxima segunda-feira (12) e será substituído pela ministra Cármen Lúcia. Procurado pelo G1, o ministro disse na terça, via assessoria, que não iria se manifestar sobre o pedido.
O ministro conduziu as sessões do julgamento final do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff no Senado. A votação resultou na perda do mandato da petista, mas os senadores mantiveram a habilitação de Dilma para assumir cargos públicos.
O MBL, que defendeu o impeachment da ex-presidente, acusava Lewandowski de ter cometido crime de responsabilidade por aceitar o fatiamento da votação do impeachment.
De acordo com o coordenador nacional do grupo, Fernando Silva Bispo, o presidente do STF não seguiu a Constituição quando permitiu que a votação do impedimento da petista fosse dividida em duas partes: uma referente à perda de mandato e outra sobre a possibilidade de Dilma assumir funções públicas.
O advogado Cleber Teixeira, colaborador do MBL, afirmou que a guarda da Constituição é uma atribuição do presidente do STF. Para Teixeira, Lewandowski se omitiu desta função quando aceitou dividir em duas a votação do impeachment.
A representação contra o presidente do STF, que pede a cassação do mandato de Lewandowski como ministro, afirma que ele descumpriu a lei do impeachment.
"A partir do momento em que ele se pronuncia na mesa do Senado dizendo que só tomou conhecimento da manobra um dia antes através da imprensa, ele contradiz a versão da própria senadora Kátia Abreu e das reportagens que a própria imprensa postou de que já sabia disso há nove dias. Então o presidente da corte maior do país teria mentido em plenário", declarou o advogado.

Marcos Valério presta depoimento a Sérgio Moro na segunda-feira

Reprodução / TV Band
Reprodução / TV Band
O publicitário Marcos Valério deve prestar depoimento na próxima segunda-feira (12), pela primeira vez em uma ação penal da Operação Lava Jato. Ele é réu em um processo da 27ª fase da Lava Jato e condenado a 37 anos de prisão na Ação Penal (AP) 470, que ficou conhecida como a ação do mensalão. Ele cumpre pena em regime fechado na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem (MG).
O juiz Wagner de Oliveira Cavalieri, responsável pela comarca, autorizou o preso a participar de audiência, marcada para o dia 12 de setembro na 13ª Vara Federal, aqui em Curitiba. Marcos Valério deve ser conduzido à capital paranaense com escolta local, a cargo da Polícia Federal.
O depoimento presencial será presidido pelo juiz Sérgio Moro, titular da 13ª Vara Federal em Curitiba.
A 27ª fase da Lava Jato, na qual surgiu o nome de Valério, investiga os beneficiários do empréstimo de R$ 12 milhões feito pelo pecuarista José Carlos Bumlai – também réu da operação – junto ao Banco Schahin.
Valério é réu no processo. Em tentativa de negociação de delação premiada com a Procuradoria-­Geral da República (PGR) em 2012, Valério disse que parte dos recursos foram repassados a Ronan Maria Pinto. O operador é investigado por suspeita de participar da ocultação dos valores.

STF confirma remessa de inquérito contra Edinho Silva para Justiça Federal no PR

Antonio Cruz/Agência Brasil
Antonio Cruz/Agência Brasil
Por unanimidade de votos, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) manteve decisão do ministro Teori Zavascki que determinou a remessa dos autos do Inquérito (INQ) 4117, no qual se investiga o ex-ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República Edinho Silva, para a 13ª Vara Federal de Curitiba (PR). A decisão foi tomada no julgamento da Petição (PET) 6197, por meio da qual a defesa questionava a decisão do relator.
Edinho Silva era tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff à reeleição, em 2014. Ele é investigado pela suposta prática do crime previsto no artigo 317 do Código Penal, porque teria solicitado de Ricardo Pessoa, então presidente da empreiteira UTC Engenharia, doações oficiais para a campanha presidencial de 2014 “como forma de manutenção de interesses do doador em contratos com a Petrobras”. Em junho, depois que Edinho Silva deixou de ser ministro, condição que garantia o foro por prerrogativa de função no STF, o ministro Teori Zavascki, relator do INQ 4117, determinou a remessa dos autos para a 13ª Vara Federal de Curitiba (PR). Visando reformar essa decisão, a defesa de Edinho apresentou agravo regimental, autuado no Supremo como Petição.
Em 23 de agosto deste ano, no início do julgamento do agravo regimental, o ministro Teori Zavascki votou pelo desprovimento do recurso, confirmando seu entendimento no sentido de que os fatos apontados no Inquérito 4117 guardam pertinência com inquéritos e ações penais em curso naquele juízo. Na ocasião, o ministro Gilmar Mendes pediu vista dos autos.
Na sessão desta terça-feira (6), o ministro Gilmar acompanhou o relator, por entender que entre os crimes em apuração estão desvios relacionados à Petrobras, tendo, portanto, conexão com procedimentos em andamento na 13ª Vara Federal de Curitiba. Os demais ministros presentes à sessão também acompanharam o relator, pelo desprovimento do agravo.

Fachin ignorado por Ela



Edson Fachin deu cinco dias de prazo para que a PGR se manifestasse na ação direta de inconstitucionalidade que discute a autorização prévia da Assembleia Legislativa para a cassação de Fernando Pimentel.
O despacho de Fachin para a então vice-PGR Ela Wiecko foi protocolado em 1o. de agosto. Até hoje, o ministro espera uma resposta.

Carro com 627 kg de maconha capota durante perseguição em rodovia do Paraná


do Portal ARede, de Ponta Grossa
carro capota
Carro ficou destruído – Foto: Rádio Thalento

carro capota1
Mais de 600 quilos de droga foram encontrados no carro
Uma perseguição na BR-153, em Irati, terminou com um veículo capotado na manhã desta quinta-feira (8) e ajudou a Polícia Militar a apreender 627 kg de maconha. Um Hyundai Santa Fé fugia de viaturas policiais quando o motorista acabou perdendo o controle da direção e capotou o veículo. O motorista conseguiu sair do veículo e se esconder em um matagal próximo ao local do acidente.
Segundo informações iniciais, outros três veículos atuavam como ‘batedores’ do Santa Fé carregado com a grande quantidade de droga. Equipes da Polícia Militar e Polícia Rodoviária Estadual (PRE) realizam buscas para tentar localizar os demais envolvidos no crime. A quantia total apreendida foi de 627,75 kg de maconha.

Paraná passará a adotar o nono dígito no celular a partir de 6 de novembro


Redação
nono

A partir do dia 6 de novembro os telefones celulares do Paraná passarão a adotar o nono dígito dos números. O dígito 9 deve ser acrescentado à esquerda dos atuais números de celular , que passarão a ter o formato: 9xxxx-xxxx. Após a implantação, deve haver um período de adaptação em que serão aceitas ligações marcadas com oito dígitos. Gradualmente, avisos devem ser fornecidos até que a antiga forma de discagem deixe de ser completada. Operadoras como a Vivo já começaram a avisar aos usuários sobre a mudança.
A data de 6 de novembro para o Paraná foi estabelecida em cronograma da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e deve valer também para os estados de Santa Catarina e Rio grande do Sul. O nono dígito já vem sendo implementado em todo o Brasil desde 2012 e já foi implementado em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Amapá, Roraima, Amazonas, Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e Minas Gerais.
Segundo a Anatel, a inclusão do nono dígito nos telefones celulares em todo o Brasil tem por objetivo aumentar a disponibilidade de números na telefonia celular e dar continuidade ao processo de padronização da marcação das chamadas.
Agenda
Vários aplicativos gratuitos podem ajudar na atualização automática da agenda de contatos. Os programas incluem automaticamente o 9 na frente de todos os contatos do celular nas regiões onde o nono dígito já foi implantado. Há sistemas disponibilizados pelas operadoras de telefonia móvel e outros oferecidos por empresas de tecnologia.

Greve dos bancários atinge menos de 20% das agências de Curitiba e região metropolitana


Da Redação

Dados divulgados pelo Sindicato dos Bancários de Curitiba nesta quinta-feira (8), terceiro dia de greve da categoria, mostra que menos de 20% das agências são afetadas pela mobilização. De acordo com a entidade, são 101 agências atividades paralisadas na capital e em sete cidades da região. Todas as agências de Curitiba estão fechadas nesta quinta por causa do feriado municipal de Nossa Senhora da Luz. No Paraná, são 332 agências fechadas.
grevebancos
Foto: Sindicato dos Bancários
Segundo o levantamento do sindicado, um centro administrativo está fechado em São José dos Pinhais. A greve afeta ainda agências de Araucária, Fazenda Rio Grande, Lapa, Campo Largo, Pinhais e Colombo
“A forte mobilização dos bancários no primeiro dia de greve já foi capaz de fazer com que a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) reabra as negociações. Precisamos nos manter firmes nesta quinta (8) e sexta (9) para garantir que forças para pressionar os banqueiros na mesa de negociação. Pois, só a luta vai nos garantir avanços!”, disse Elias Jordão, presidente da entidade sindical.
Entre as reivindicações da categoria está a reposição da inflação do período mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial, no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$3.940,24 em junho), Programa de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de três salários mais R$ 8.317,90, combate às metas abusivas, ao assédio moral e sexual, fim da terceirização, mais segurança, melhores condições de trabalho.